quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Por que a Ditadura Militar brasileira matou menos do que a da Argentina e a do Chile? - por Marcos Doniseti!


Por que a Ditadura Militar brasileira matou menos do que a da Argentina e a do Chile? - por Marcos Doniseti!

(publicado no blog Guerrilheiro do Entardecer no dia 01/03/2009; revisto e atualizado no dia 24/11/2010).

Algumas pessoas debatem por que a Ditadura Militar brasileira matou menos do que a da Argentina (30 mil mortos) ou a do Chile (3 mil mortos). Porque ela foi uma 'ditabranda', como disse a 'Folha de S.Paulo'? Claro que não.

Isso aconteceu por vários motivos. Um deles é que os partidos políticos e os movimentos sociais e de guerrilha nestes países (Argentina, Chile) eram muito mais fortes e organizados do que os seus semelhantes brasileiros.

O Chile, em especial, possuía, até antes do Golpe Militar de 11/09/1973, um dos mais fortes e organizados movimentos populares do mundo. E isso já vinha de muito tempo, desde o final do século 19, pelo menos, quando os trabalhadores do setor de salitre já tinham desenvolvido um elevado grau de organização. Posteriormente, o mesmo se processou no setor de mineração do cobre, do qual o Chile se tornou o maior produtor e exportador mundial.

O Chile também foi o único país latino-americano que criou uma legislação trabalhista ainda na década de 1920, devido justamente à força dos seus movimentos sociais.

Isso explica, também, porque o Chile foi o único país fora da Europa que, em plena década de 1930, elegeu um presidente apoiado por uma 'Frente Popular' que contava com a participação de liberais, radicais, socialistas e comunistas. Seu lema de governo era 'Governar é educar', mostrando o quanto a questão social era importante para o mesmo. Inclusive, Salvador Allende foi Ministro da Saúde no mandato deste presidente.

Assim, como o grau de apoio popular e de penetração na sociedade argentina e na chilena dos partidos e movimentos de Esquerda era muito maior do que a Esquerda brasileira tinha aqui, então foi 'necessário' às Ditaduras destes países usar de um grau de violência muito maior do que aquele que a Ditadura militar brasileira utilizou.

Mas, não tenham dúvida de que se tivesse sido necessário prender 500 mil pessoas, torturar 200 mil e matar 50 mil, a Ditadura militar brasileira o teria feito e sem hesitar.

Logo, como as Esquerdas e os movimentos sociais brasileiros eram muito mais frágeis do que os da Argentina e do Chile, não tendo a mesma penetração popular das Esquerdas destes países, então a Ditadura brasileira pôde usar de um grau de violência inferior.

Porém, o fato é que tal Ditadura se utilizou de um grau de violência que foi mais do que suficiente para derrotar as Esquerdas e as forças nacionalistas brasileiras e consolidar o seu poder sobre o Estado e a sociedade.

Isso comprova que não houve 'Ditabranda' alguma em nenhum destes países. Em cada um deles foi utilizado o grau de violência necessário para se aniquilar com os movimentos sociais e de Esquerda que existia nos mesmos.

Nenhum comentário: