sábado, 20 de agosto de 2011

Jango e o Golpe de 1964 - por Marcos Doniseti!

Jango e o Golpe de 64!- por Marcos Doniseti! 

(Texto originalmente publicado no blog Guerrilheiro do Entardecer no dia 27/12/2009; atualizado no dia 20 de Agosto de 2011)

Nassif, respeito totalmente as suas opiniões, é claro, mas não compartilho com as mesmas em relação ao governo Jango. Este tomou uma série de iniciativas que frutificaram, mesmo depois na época da Ditadura Militar (sob uma forma muito mais autoritária, é claro).

Exemplos:

1) Os primeiros estudos para se construir uma usina hidrelétrica que depois se transformou na Usina de Itaipu foram feitos no governo Jango;

2) O governo Jango aprovou o Estatuto do Trabalhador Rural, que Caio Prado Jr. considerou como sendo mais importante do que a Lei Áurea;

3) Foi o governo Jango que criou a Eletrobrás, que foi fundamental para ampliar os investimentos no setor de energia nas décadas seguintes e que modernizou e ampliou o setor, no qual o Brasil enfrentava grandes dificuldades até então, inclusive com racionamentos e cortes frequentes no fornecimento, mesmo nos estados mais ricos do país (SP e RJ). Então, por aí, se imagina como era a situação no restante do país;

4) Foi o governo Jango quem modernizou a estrutura universitária brasileira, ao implantar a Universidade de Brasília. O modelo de reforma da mesma (liderada por Darcy Ribeiro) serviu, depois, de modelo para a reforma universitária feita no regime militar em 1969;

5) O governo Jango estimulou a criação de sindicatos de trabalhadores rurais, que praticamente não existiam antes do seu governo. Em 1964 já eram cerca de 1500. Assim, o governo Jango criou a legislação trabalhista para o trabalhador rural e, ao mesmo tempo, criou as condições para que os trabalhadores rurais lutassem para transformar tais direitos em realidade.

6) A inflação e o déficit público foram heranças recebidas dos governos anteriores (JK e Jânio). A maxidesvalorização da moeda nacional em 1961, no governo Jânio, mais do que dobrou a taxa de inflação mensal no país, passando de 1,5% ao mês para cerca de 3,5% a 4% ao mês.

A aceleração da inflação, que é anterior ao governo Jango, promovia a desvalorização da arrecadação de impostos, tornando praticamente impossível resolver o problema do déficit público. O regime militar resolveu esse problema criando a correção monetária.

Jango cometeu erros, é claro, mas era o único líder efetivamente democrático que tínhamos no Brasil naquela época. As esquerdas mais radicais, lideradas por Brizola e Arraes, defendiam o fechamento do Congresso Nacional e que Jango governasse de forma autoritária. Jango recusou as pressões neste sentido.

E a Direita brasileira era golpista por natureza, tendo já organizado várias tentativas de Golpe antes mesmo do Golpe de 1964, que ocorreram em 1945, 1954, 1955, mais duas tentativas no governo JK, 1961 (Revoltas Militares de Jacareacanga e de Aragarças... Ambas foram tentativas de se desencadear um Golpe de Estado mas, felizmente, fracassaram).

Os planos de Jango, como o Trienal, foram inviabilizados justamente em função do fogo cruzado entre as Direitas Golpistas e as Esquerdas Radicais (do qual o César Benjamim, é um sofrível sobrevivente).

O erro fatal de Jango, e que acabou contribuindo para o Golpe de 64,  foi romper a aliança com o PSD (que era o PMDB da época).

Isso uniu todas as Direitas (tantos as radicais como as moderadas) em torno do projeto golpista das Direitas extremistas. Estas, até então, eram minoritárias até antes da opção de Jango por fazer uma aliança com Brizola e com as Esquerdas radicais e por romper a aliança com o PSD.

As Direitas moderadas chegaram até a apoiar a volta do Presidencialismo no início de 1963… Inclusive, Jango nomeou alguns dos seus representantes como ministros quando recuperou seus poderes em Janeiro de 1963.

Bem, Jango cometeu erros, sem dúvida alguma, mas seu governo atualizou a agenda política do país e foi vítima do radicalismo político-ideológico da época, quando vivíamos o auge da Guerra Fria.

E não se pode esquecer que foi o governo Kennedy quem decidiu mandar derrubar o governo Jango, ainda em 1961. Esta informação se encontra no livro ‘Uma História da CIA”, de Tim Weiner.

Link:

http://guerrilheirodoentardecer.blogspot.com/2009/12/jango-o-golpe-de-1964-e-o-meu.html

Nenhum comentário: