sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Kassab e Alckmin tentam se mostrar confiáveis para o eleitorado lulista! - por Marcos Doniseti!

Kassab e Alckmin tentam se mostrar confiáveis para o eleitorado lulista! - por Marcos Doniseti!


Os mais recentes movimentos de Alckmin e de Kassab mostram que ambos estão tentando se mostrar como sendo lideranças políticas confiáveis para o eleitorado lulista, principalmente para a 'nova classe média' que se formou durante o governo do Presidente Lula. Neste, 40 milhões de brasileiros entraram para a classe média, ampliando consideravelmente o mercado consumidor do país. 

Vejam o caso de Kassab: Ele criou um partido de direita, o PSD, e faz um 'discurso de esquerda', falando de justiça social e em se construir um país mais avançado, para tentar atrair o 'povão' assalariadao, pobre e miserável que melhorou de vida e que 'lulou' e, em 2010, 'dilmou'.

Assim, Kassab abandonou inteiramente o discurso do PSDB/DEM/PPS, que ficaram os últimos 8 anos dizendo aos brasileiros o quanto o governo FHC e as privatizações foram lindas e maravilhosas, o que entrava em choque frontal com a percepção que a própria população tinha, tanto de um, como de outro.

Como esse discurso fajuto dos tucanos e de seus aliados não 'colou' junto aos eleitores, Kassab abandonou esse monte de asneiras e, agora, tenta chegar ao topo do poder  usando de um discurso e de uma postura aparentemente progressistas, que defende o diálogo com todos, tentando agradar a cariocas e baianas, capitalistas e assalariados.

No caso de Kassab, isso significa vencer a eleição para o governo do estado de SP em 2014 e, provavelmente, ele fará isso tentando estabelecer algum tipo de aliança, formal ou informal, com o PT, Lula ou Dilma (dependendo de qual deles será o candidato do PT à Presidência da República), a fim de viabilizar a sua vitória. 

Com a sua origem de classe, a burguesia comercial paulista (Kassab foi presidente da Associação Comercial de SP), e seu perfil político-ideológico, um conservador 'moderado', Kassab tenta abrir uma brecha na polarização existente (tanto no plano estadual, como no federal), entre PT e PSDB.

Alckmin e FHC já perceberam isso e tentam, agora, se mostrar confiáveis para Dilma e para o eleitorado lulista, para a nova classe média criada pelo governo de Lula  (que é quem decide eleição no Brasil, agora) pois sabem que se não ganharem a confiança deste segmento da sociedade os tucanos jamais conseguirão voltar ao centro do poder, ou seja, à Presidência da República. E foi por isso que eles decidiram colaborar com o governo Dilma na política de erradicação da miséria na região Sudeste. 

Assim, na próxima eleição de 2014, o PSDB poderá se apresentar como um dos responsáveis por tal política, principalmente no caso dela ser bem sucedida, é claro.

Se cuidem, Lula e Dilma! Tratem de garantir o apoio do 'povão', da classe C, da nova classe média, antes que a mesma eleja um Berlusconi, como diz o PHA.

A questão é: Quem será o Berlusconi tupiniquim? Aécio, Alckmin ou Kassab?

Nenhum comentário: