domingo, 18 de setembro de 2011

Aumento das tarifas de importação de automóveis foi uma decisão correta! - por Marcos Doniseti!

Aumento das tarifas de importação de automóveis foi uma decisão correta! - por Marcos Doniseti!

Respondendo aos argumentos dos defensores da destruição da indústria automobilística brasileira e que criticaram a decisão do governo Dilma de elevar as tarifas de importação de automóveis e de caminhões:

1 - Entrada de carros chineses e coreanos no Brasil: As empresas chinesas e coreanas estão fazendo isso (trazendo grande números de veículos para o Brasil) graças ao Real artificialmente valorizado.

E essa supervalorização aconteceu devido à guerra cambial entre China e EUA. É algo que foge ao controle do governo brasileiro, portanto.O governo brasileiro tem o direito de reagir a esse dumping cambial. Foi o que ele fez.

2 - Importações das Montadoras: Se as montadoras continuarão trazendo carros importados sem aumento do IPI, como alguns críticos da medida do governo disseram, então porque tanta choradeira em função dessa medida do governo? Seu argumento mostra que essas reclamações todas não se justificam.

3 - Aumento de Preços de carros nacionais: O aumento da venda de carros importados acontece há vários anos e isso não impediu que os carros nacionais fossem reajustados. Muito pelo contrário.

4 - Prejuízo da Inovação: Inovação tecnológica não depende só de importações, mas do crescimento do mercado. E o mercado brasileiro é um dos que mais cresce no mundo há um bom tempo. Tanto que já temos o 4o. maior mercado do mundo, ficando atrás apenas da China, EUA e Japão.

Seria uma total irresponsabilidade deixar um mercado tão grande ser totalmente dominado por veículos importados. Seria uma imensa burrice, de fato.

Além disso, se as montadoras se transformarem em maquiladoras, aí é que não teremos inovação alguma, mesmo.

5 - Empregos dos Trabalhadores: Se os trabalhadores perderem seus empregos devido à inundação de veículos importados, eles não terão força alguma para negociar o que quer que seja, porque desempregados não negociam com patrão nenhum, pois não tem patrão para negociar.

Aliás, tal medida foi uma reinvidicação dos sindicatos de trabalhadores do setor, que já estavam denunciando a desnacionalização e a desindustrialização que ocorria no mesmo há um bom tempo.

6 - Importações de peças e componentes: Se as montadoras se transformarem em maquiladoras, não haverá motivo alguma para investir em inovação. Sem montadoras reais,verdadeiras, funcionando no país, os carros continuarão tão caros como sempre foram. Ou mais, pois não haverá competição, já que não haverá com quem competir.


7 - Impostos e Preços: Uma maior taxação sobre os importados também defende os interesses de 3 milhões de trabalhadores qualificados e bem remunerados e que poderão ficar desempregados se as montadoras se transformarem em meras maquiladoras, tal como ocorreu no México.

Dumping cambial, trabalhadores sub-remunerados e desprovidos de direitos sociais-trabalhistas-previdenciários e apoio estatal (impostos reduzidos, créditos facilitados, etc).

Produzir veículos baratos e exportá-los mundo afora nestas condições é fácil.

Quero ver é fazer isso sem essas mamatas.

O fato é que, com a crise global, os governos e as indústrias de inúmeros países começaram a inundar o mercado mundial com produtos vendidos a preço de banana a fim de aumentar as suas exportações, sair da crise o quanto antes, dominar o mercado internacional e arrebentar com a concorrência.

Isso sempre acontece em épocas de crise.

Daí, quando a economia mundial se recuperar, tais empresas e países aumentarão os preços de seus produtos e as suas margens de lucro irão para o espaço, pois já não haverá quem possa competir com eles.

Isso é mais velho do que andar para a frente. Acontece sempre em épocas de crise.


E o pior é que sempre temos um bando de elitistas deslumbrados e entreguistas que se deixam enganar facilmente por isso.

Lamentável.

Nenhum comentário: