quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Por que a redução da dívida pública é positiva para o Brasil! - por Marcos Doniseti!

Por que a redução da dívida pública é positiva para o Brasil! - por Marcos Doniseti! 



A notícia de que a dívida pública brasileira foi reduzida para 36,6% do PIB, em Novembro deste ano, atingindo o menor patamar desde o início da série histórica, em 2001, é uma excelente notícia para o Brasil e por vários motivos. 


Vamos comentá-los:

1) Quanto menor for a dívida pública (proporcionalmente ao PIB), menor será a despesa (como proporção do PIB) com o pagamento dos juros da dívida. 


Não é à toa, por exemplo, que o pagamento dos juros da dívida absorvia 7,5% do PIB em 2003 e, em 2010, o gasto caiu para 5,3% do PIB. 


Isso aconteceu porque, no mesmo período, a dívida pública brasileira foi reduzida de 51,5% do PIB (2002) para 38% do PIB (2010). 


Portanto, uma dívida pública menor, resulta na redução dos gastos com juros. 


2)  Quanto menor for a dívida pública, menor será a taxa de juros (Selic) que remunera essa dívida. 


Como o Estado brasileiro está reduzindo a dívida, ele pode reduzir os juros que incidem sobre a mesma, pois terá mais credibilidade junto aos credores e estes aceitarão receber menos pelos empréstimos feitos ao Estado. E isso implicará em nova redução dos gastos com juros.

Portanto, as despesas com juros irão diminuir por dois motivos: a dívida pública foi reduzida e os juros que incidem sobre ela também. 


Logo, a economia de despesas, para o Estado, é dupla.

3) Com a redução da dívida pública e dos gastos com juros, sobrarão mais recursos do Orçamento para serem investidos na infra-estrutura (energia, transportes) e na área social (saúde, educação, transportes coletivos, saneamento básico, habitação), contribuindo para acelerar o ritmo de crescimento da economia e melhorar as condições de vida da população.


Assim, é extremamente importante que o Estado brasileiro continue reduzindo a dívida pública, tal como acontece desde o início do governo Lula, e cujo processo de redução tem continuidade, agora, com o governo Dilma.


Quanto menor for a dívida, melhor será para o país e para o seu povo.  

E o mais importante disso tudo é que essa redução está sendo feita de maneira a que não impede o crescimento da economia, nem a geração de empregos e tampouco a melhoria dos salários dos trabalhadores.  


Tanto isso é verdade que, entre 2003-2011, foram gerados 17 milhões de empregos com carteira assinada, o poder de compra do salário mínimo subiu 66% (contando já com o reajuste de 2012, com o valor do mínimo subindo para R$ 622) e o crescimento da economia brasileira foi tão significativo desde 2003 que o Brasil se tornou a 6a. maior economia mundial neste ano, superando a do Reino Unido. 


Portanto, é extremamente importante que esse processo de redução da dívida pública tenha continuidade, agora, no governo Dilma e que isso aconteça sem que o desenvolvimento econômico e social do Brasil seja prejudicado, tal como está ocorrendo até este momento.
Link:

http://www.redebrasilatual.com.br/temas/economia/2011/12/meta-da-economia-para-pagar-juros-do-brasil-chegou-a-99-em-novembro

Nenhum comentário: