sábado, 24 de dezembro de 2011

A Privataria Tucana e a frustração da classe média! - por Marcos Doniseti!

A Privataria Tucana e a frustração da classe média! - por Marcos Doniseti! 


Ao ler o livro do Amaury Ribeiro Jr, é muito provável que a classe média brasileira tradicional, conservadora e udenista, que sempre votou em 'políticos' como Carlos Lacerda, Adhemar de Barros, Quércia, Maluf, FHC e Serra, e  que apoiou ostensivamente ao processo de privatizações levado adiante nos governos de Collor-Itamar-FHC, descubra que foi enganada pelos neoliberais tupiniquins e pelos demotucanos quando estes lhes disseram que bastava privatizar tudo para que a qualidade dos serviços públicos (de energia, transportes, telecomunicações, saneamento básico) melhorasse e as tarifas dos mesmos fossem reduzidas.

Além disso, lembro-me muito bem que a tucanada e a Grande Mídia diziam que, com os recursos das privatizações, seria possível reduzir consideravelmente a dívida pública e, logo, diminuir a carga tributária. E com os recursos economizados, seria possível ao Estado aumentar os seus investimentos na área social.


Todos estes argumentos foram exaustivamente repetidos pelo governo FHC e pela Grande Mídia tupiniquim durante o processo de privatizações levado adiante na época.

Mas a classe média foi enganada, tanto pelos demotucanos, como pela Grande Mídia, que participou ativamente do processo de privatizações. Afinal, grandes grupos empresariais privados de Mídia (como a Folha, Estadão e Globo) foram sócios de consórcios que participaram dos leilões de privatização.


E é exatamente esse processo, caracterizado por mentiras e manipulações a granel, que o livro do Amaury Ribeiro Jr. desnuda, sem deixar margem para dúvidas.


E é por isso que a Grande Mídia mantém um silêncio sepulcral a respeito do conteúdo do 'A Privataria Tucana' e quando os seus empregados, como é o caso do Merval Pereira, se manifestam a respeito do mesmo, é para atacar o seu autor e o conteúdo do livro, que é inteiramente baseado em documentos públicos.

O fato de que a classe média brasileira foi, claramente, enganada com a história das privatizações é algo que pode ser confirmado pelo que ocorreu após a realização das mesmas.


Afinal, a dívida pública e a carga tributária brasileiras dispararam e a qualidade dos serviços privatizados não melhorou. Esse foi o caso, por exemplo, do setor de energia elétrica, que foi privatizado. Depois da privatização do mesmo, tivemos um Racionamento nacional de energia entre 2001-2002, que penalizou o consumidor brasileiro com interrupção no fornecimento de energia e aumento do valor das tarifas. Sem falar do impacto negativo para a economia brasileira como um todo. O TCU (Tribunal de Contas da União) calcula que, na época, o Brasil teve um prejuízo de R$ 45 bilhões devido ao racionamento.

Veja-se também o caso dos serviços da Internet brasileira, que é a mais lenta e a mais cara do mundo, ao mesmo tempo.

Além disso, o valor das tarifas subiu muito acima da inflação APÓS as privatizações, contribuindo para corroer o poder de compra da mesma classe média que, naquela época, apoiou o processo de privatizações. 

Ao ler o livro do Amaury, a classe média brasileira irá descobrir porque tudo isso aconteceu.

Afinal, o processo de privatizações foi levado adiante em meio a um verdadeiro festival de privilégios e em meio a um verdadeiro mar de lama e de irregularidades, como o livro do Amaury Ribeiro Jr demonstra claramente. 


E é claro que tudo isso influenciou diretamente na qualidade do processo de privatizações. Se este tivesse sido levado adiante com um mínimo de seriedade e de competência, por parte dos governos Collor-Itamar-FHC, é evidente que o resultado do mesmo poderia ter sido bem melhor. 

Isso significaria que as privatizações estariam justificadas? Claro que não. Afinal, mesmo em países desenvolvidos a privatização deu resultados ruins, como foi o caso da privatização da água no Reino Unido (ver link abaixo). As tarifas dispararam e a qualidade dos serviços despencou.

Mas, com um processo de privatização que fosse melhor conduzido, é provável que a decepção da classe média brasileira não fosse tão grande e seria mais fácil aos defensores da privatização justificar as vendas das estatais para o setor privado. Mas, da maneira como ela se desenvolveu, e com os resultados altamente negativos que ela gerou, tivemos a inevitável perda de prestígio e de popularidade dos partidos e líderes políticos que a promoveram (PSDB-DEM-PPS; Serra, FHC, etc).

Logo, não seria equivocado concluir que o sucesso e o impacto do livro de Amaury Ribeiro Jr., "A Privataria Tucana', é resultado direto do fracasso do processo de privatizações levado adiante, no Brasil, nos governos Collor-Itamar-FHC.

Os fatos relatados por Amaury, em seu livro, que se tornou um best-seller instantâneo, explicam as razões deste fracasso: A privatização (algo que, por si, já é altamente questionável, para dizer o mínimo, e pelas razões já apontadas aqui) se transformou numa privataria. 

Links:

PHA: Classe Média fez a 'Primavera Árabe' e comprou 'A Privataria Tucana':


http://www.conversaafiada.com.br/economia/2011/12/23/a-classe-media-fez-a-primavera-arabe-e-a-privataria/

Íntegra do livro 'O Brasil Privatizado', de Aloysio Biondi:

http://www.fpa.org.br/uploads/Brasil_Privatizado.pdf


Apagão de 2001-2002 gerou prejuízo de R$ 45 bilhões:


http://economia.uol.com.br/ultnot/valor/2009/07/16/ult1913u109995.jhtm

Internet brasileira é lenta e cara:

http://consumidormoderno.uol.com.br/na-pele-do-consumidor/onu-comprova-brasil-tem-banda-larga-mais-cara-do-mundo

A Ideologia e a Privatização das Teles:

http://www.rodrigovianna.com.br/outras-palavras/a-ideologia-e-a-privatizacao-das-teles.html

A privatização da água no Reino Unido:


http://www.correiodopovo.com.br/blogs/juremirmachado/?p=969



BNDES financiou privatizações:


http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u43720.shtml


Reflexos da Privatização (por Aloysio Biondi):


http://www.aloysiobiondi.com.br/IMG/pdf/engenheiros_pr_privatizacoes_ago10.pdf

Nenhum comentário: