terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Salário Mínimo acumula ganho real de 66% nos governos Lula e Dilma! - por Marcos Doniseti!

Salário Mínimo acumula ganho real de 66% nos governos Lula e Dilma! - por Marcos Doniseti!


Com o aumento anunciado do salário mínimo, que subirá para R$ 622 e cujo novo valor irá vigorar a partir de 01 de Janeiro de 2012, o mesmo acumula um reajuste de 211% desde a posse de Lula na presidência da República, há 9 anos atrás.


Quando Lula tomou posse, o Brasil tinha um salário mínimo de R$ 200, o que representava, naquele momento, apenas US$ 56, pois a cotação do dólar era de R$ 3,54. Agora, o salário mínimo subirá para R$ 622, o que dará US$ 336 (valor 6 vezes maior) , já que o dólar está cotado (atualmente) em R$ 1,85.


Enquanto isso, a taxa de inflação acumulada, no mesmo período, foi de apenas 61%.


Logo, o reajuste acumulado do salário mínimo (211%) é 3,46 vezes maior do que a inflação (61%)  do mesmo período de tempo (2003-2011). 


Isso representa o maior aumento real  de 66%, segundo o Dieese, que é a maior valorização concedida para o salário mínimo desde a época dos governos Vargas-JK-Jango, período histórico no qual o poder de compra do salário mínimo atingiu o seu valor máximo.


Depois, durante a Ditadura Militar, o poder de compra do salário mínimo caiu fortemente, devido a uma política oficial de arrocho salarial que, para ser implantada, levou os militares a promover uma fortíssima repressão ao movimento sindical brasileiro, na época. 


Como resultado disso, cerca de 10 mil dirigentes sindicais, eleitos pelos trabalhadores, foram afastados de suas entidades, pela Ditadura, entre 1964-1966. 


E é bom lembrar que esta política de valorização do salário mínimo é fruto de um acordo feito entre o governo Lula e as Centrais Sindicais, e que foi renovado no governo Dilma, no início de 2011, pelo qual o salário mínimo será, reajustado, até 2023, com base no resultado da soma da taxa de inflação do ano anterior com a taxa de crescimento do PIB brasileiro de 2 anos anteriores. 


Como o PIB brasileiro cresceu 7,5% em 2010 e a inflação de 2011 será de 6,5%, a soma dá 14%, que foi exatamente o percentual aplicado ao salário mínimo vigente, de R$ 545, resultando no valor de R$ 622.


Assim, a política de aumento real do salário mínimo garante, todos os anos, uma elevação do poder de compra dos salários dos trabalhadores e dos aposentados e pensionistas mais pobres (pois 19 milhões de pensionistas do INSS recebem 1 salário mínimo mensal), contribuindo para o crescimento do mercado consumidor e, logo, da economia brasileira. 


No total, cerca de 48 milhões de pessoas tem a sua renda atrelada ao salário mínimo, confirma o Dieese.


Junto com a geração de 17 milhões de empregos formais, entre 2003-2011, o aumento do poder de compra do salário mínimo é o fator que mais  contribui para a melhoria da distribuição de renda no país, que ainda é fortemente concentrada nas mãos dos 10% mais ricos. 



Além disso, com a renda nacional sendo melhor distribuída, o mercado consumidor do país cresce fortemente. Tanto isso é verdade que cerca de 50 milhões de pessoas ingressaram no mercado consumidor brasileiro desde o início do governo Lula. 


E também foi em função disso que a participação da renda do trabalho na renda nacional aumentou de 39% para 43% do PIB desde 2004, segundo o IPEA. 


Portanto, tal política de aumento real do salário mínimo tem que continuar, pois gera inúmeros benefícios para o Brasil e para o seu povo. 


Links:


Salário Mínimo é reajustado para R$ 622 a partir de 2012:


Salário Mínimo acumula ganho real de 66% desde 2003, diz Dieese:


Política Permanente de valorização do Salário Mínimo vale até 2023:


Aumenta a participação da renda do trabalho na renda nacional:



50 milhões de pessoas ingressaram no mercado consumidor brasileiro desde 2003:

http://guerrilheirodoentardecer.blogspot.com/2011/09/mercado-consumidor-brasleiro-ganhou-50.html

Participação da renda do trabalho na renda nacional:

Evolução do Salário Mínimo brasileiro:

Diminui em 5,6% a desigualdade na distribuição de renda, diz IPEA:



O Salário Mínimo e a distribuição de renda:


IPEA: Uma análise da queda da desigualdade de renda no Brasil:



 A Ditadura Militar e a política de arrocho do salário mínimo:


A Ditadura Militar e a resistência operária:

Nenhum comentário: