sábado, 14 de janeiro de 2012

As diferenças entre os projetos políticos de Lula-Dilma-PT e de FHC-Serra-PSDB! - por Marcos Doniseti

As diferenças entre os projetos políticos de Lula-Dilma-PT e de FHC-Serra-PSDB! - por Marcos Doniseti 



Existem muitas diferenças entre os projetos políticos e os governos de Lula-Dilma-PT e de FHC-Serra-PSDB.

O jornalista Paulo Henrique Amorim comentou várias dessas diferenças em um artigo publicado em seu blog, o Conversa Afiada (ver link abaixo). 

Entre outras distinções, PHA apontou: 

a) a questão das privatizações, defendidas de maneira radical pelos tucanos, que são favoráveis, até mesmo, às privatizações da Petrobras, do BB, da CEF, do BNDES, do FAT e do FGTS; 

b) os programas de inclusão social (como o Bolsa-Família) que são condenados pelos tucanos, que dizem que eles estimulam a 'vagabundagem' (obs: quando Getúlio Vargas criou as leis trabalhistas, os reacionários da época disseram a mesma coisa);

c) os governos de Lula-Dilma aumentaram fortemente o poder de compra do salário mínimo,  criaram 17 milhões de empregos formais (com a preservação dos direitos trabalhistas) melhoraram a distribuição de renda e ampliaram consideravelmente o mercado consumidor do país. 

O governo FHC não fez nada disso, muito pelo contrário. No caso da CLT, por exemplo, o governo tucano tentou eliminar os direitos trabalhistas garantidos pela mesma ao enviar um projeto de lei para o Congresso Nacional, em 2002. Isso somente não se concretizou porque o projeto em questão foi rejeitado pelos parlamentares. Senão...

d) No governo FHC, o Brasil recorreu 3 vezes ao FMI. Já no governo Lula, o Brasil pagou toda a dívida com o mesmo e ainda se tornou credor do FMI.

Bem,  quero acrescentar mais alguns itens importantes a esta lista do PHA, que está absolutamente correta, e que são os seguintes:

Política Externa: 

Enquanto FHC-Serra-PSDB falam grosso com a Bolívia e com o Paraguai eles afinam com Washington, Lula-Dilma-PT fazem exatamente o contrário, tanto que criaram a Unasul, a Celac, fortaleceram o Mercosul, enquanto mandavam (junto com Nestor Kirchner e Hugo Chávez) a Alca às favas.

FHC chegou a declarar que a entrada do Brasil para a ALCA era inevitável. Não era. Tanto que, atualmente, ninguém mais fala da ALCA. Ela está morta e enterrada. 

Com FHC-Serra-PSDB governando o Brasil, o nosso país também teria apoiado o Golpe contra o presidente democraticamente eleito de Honduras, Manuel Zelaya, e já teria declarado guerra contra o Evo Morales, Rafael Correa, Ollanta Humala, Daniel Ortega, Maurício Funes, Hugo Chávez, Fernando Lugo e contra Nestor e Cristina Kirchner. 

Muitas pessoas, hoje, se esquecem do fato, mas o então presidente FHC APOIOU o Golpe de Estado contra Hugo Chávez, em Abril de 2002, e que teria resultado na implantação de uma Ditadura na Venezuela, caso o mesmo tivesse sido vitorioso. 

Inclusive, o então  'presidente' golpista, Pedro Carmona, chegou a decretar intervenção no Poder Judiciário e o fechamento do Congresso, mostrando claramente a que vinha. E ele fez tudo isso com o apoio de FHC e, é claro, do governo dos EUA, que participou ativamente do Golpe. 

É conhecido também o fato de que FHC condecorou (com a Ordem do Cruzeiro do Sul, que é a principal honraria que o governo brasileiro pode conceder a um estrangeiro) o ditador do Peru, Alberto Fujimori, que hoje cumpre pena de 25 anos de prisão por desrespeito aos direitos humanos durante o seu governo ditatorial.  

Apoiar Golpes de Estado e condecorar Ditadores criminosos foram duas iniciativas que não vimos acontecer durante o governo Lula e tampouco no governo Dilma, mas que aconteceram no governo FHC. Mas é claro que os tucanos fazem questão, hoje, de esquecer disso.

Já durante os governos Lula-Dilma-PT, não só o Brasil atua para manter a Democracia na América Latina, como ainda temos o aprofundamento do processo de integração latino-americana, o que é fundamental para o desenvolvimento econômico e social da região. 

Um caso concreto que demonstrou esse compromisso democrático do governo Lula foi o do Golpe de Estado contra Evo Morales, em Setembro de 2008, que contou com a imediata condenação do governo do presidente Lula. Inclusive, este mobilizou os governos de toda a América do Sul, através da Unasul, a fim de condenar o golpe que se desenvolvia contra o governo democraticamente eleito de Evo Morales e que havia acabado de vencer um referendo revogatório por 2/3 dos votos. 

A Unasul, incentivada por Lula, deu total apoio ao governo de Evo Morales, deixando claro que nenhum outro governo seria reconhecido, fosse na Bolívia, ou na região de Santa Cruz, onde a tentativa golpista se desenvolvia. 


Com essa reação, ficou claro aos golpistas bolivianos que eles estavam isolados e que o seu movimento anti-democrático estava condenado. 

Desta maneira, a experiência democrática não foi interrompida na Bolívia, felizmente.  

Movimentos Sociais:

Além disso, existe uma clara diferença na maneira como os governos de Lula-Dilma e o PT se relacionam com os movimentos sociais e a forma como FHC-Serra e o PSDB o fazem.

Os governos petistas mantém um canal permanente de diálogo com os principais movimentos sociais brasileiros e muitos destes tem representantes nos governos de Lula-Dilma e do PT pelo Brasil afora, contribuindo para definir e colocar em prática uma série de políticas públicas destinadas a atender aos interesses e as necessidades dos setores populares da sociedade brasileira (trabalhadores urbanos e rurais, estudantes, sem-teto, feministas, movimento negro, sem-terra, LGBT, entre outros).

Já os governos tucanos usam da violência e da repressão indiscriminada contra os movimentos sociais em geral, mostrando a sua truculência e a total incapacidade de dialogar com os movimentos sociais. 


E isso acontece sempre, não importando se os movimentos em questão são de estudantes (vide o fato recentemente ocorrido na USP, com o uso da Tropa de Choque contra estudantes da universidade pública paulista que ocupavam a Reitoria da mesma), de professores (vide a repressão duríssima feita pelo governo Serra contra os professores estaduais paulistas, que entraram em greve no início de 2010) ou de policiais (no governo Serra, as duas polícias, Civil e Militar, quase entraram em guerra, tal a incompetência do governador tucano para dialogar com os representantes dos Policias Civis que se encontravam em greve naquele momento). 

Isso mostra que, para o PSDB, a questão social ainda é tratada como sendo um 'caso de Polícia' e não como um 'caso de Política', como deveria ser. 

Economia:

Vejam o gráfico que postei no início desta mensagem. Ele mostra o valor dos financiamentos desembolsados pelo BNDES entre 1999 e 2011. Em 2002, último ano do governo FHC, eles chegaram a  R$ 38,2 bilhões. Já em 2010, o valor foi de R$ 168,4 bilhões. Assim, tivemos um crescimento de 340,8% durante o governo Lula. 

O fortalecimento dos bancos públicos foi uma das principais medidas tomadas pelo governo Lula, como demonstra esse gráfico. E olha que eu não publiquei, por enquanto, os dados relativos à atuação do Banco do Brasil e da CEF durante 2003-2010. Os dois bancos federais também tiveram um grande crescimento neste período.

Mas um caso concreto que mostra como o governo Lula procurou fortalecer os bancos públicos foi a compra da Nossa Caixa pelo Bando do Brasil, por R$ 5,4 bilhões, no final de 2008. A intenção do governador José Serra era a de privatizar o banco público paulista, mas o presidente Lula mandou o BB comprá-lo. Evitou-se, assim, uma nova privatização, e de um banco lucrativo, e se fortaleceu o papel do BB no estado de SP, o mais rico do país.

Aliás, o fortalecimento dos bancos públicos durante o governo Lula,  foi reconhecido até mesmo pela revista neoliberal britânica 'The Economist', que disse que o uso dos bancos públicos pelo governo Lula ajudou muito para que este pudesse combater os efeitos da crise global sobre o Brasil.

Assim, enquanto o Brasil era atingido apenas por uma marolinha, os EUA e a Europa passavam por um verdadeiro tsunami econômico e social.  

Eu poderia escrever sobre outros temas nos quais as políticas públicas adotadas pelos governos do PT e do PSDB são inteiramente distintas, mas daí o texto ficaria imenso. Ele ficaria interminável, mesmo.

Mas entendo que estas diferenças apontadas aqui já são mais do que suficientes para mostrar que é um total e completo equívoco considerar que o PT e o PSDB são iguais e que defendem um projeto político-social semelhante. 

Isso não é verdade e as provas disso são inúmeras, estando mais do que claras e evidentes na forma como estes dois partidos atuam (ou atuaram) nos governos de muitas cidades, de  governos estaduais e, é claro, no governo federal.


Links:

PHA e as diferenças entre os projetos do PT e do PSDB:

http://www.conversaafiada.com.br/politica/2012/01/13/a-diferenca-entre-dilma-e-alckmin-e-profunda/

PSDB defende privatização ampla, geral e irrestrita:

http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/o-programa-sem-corpo-nem-alma-dos-pais-do-real

The Economist elogia uso dos bancos públicos pelo governo Lula no combate à crise global:

http://paginadoenock.com.br/home/post/2769

José Serra e os conflitos entre policiais paulistas:

http://mais.uol.com.br/view/1575mnadmj5c/manifestacao-de-policiais-civis-termina-em-conflito-em-sp-0402356EC4812326?types=A

Governo Serra reprime duramente professores em greve em SP:

http://www.youtube.com/watch?v=j2U_CC7g_U8

PSDB defende privatização do pré-sal:

http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/principal-assessor-de-serra-defende-privatizacao-do-pre-sal

Banco do Brasil compra a Nossa Caixa por R$ 5,4 bilhões:

http://www1.folha.uol.com.br/folha/dinheiro/ult91u469812.shtml

Economistas tucanos defendem o fim do FGTS e mais privatizações:

http://brasil247.com.br/pt/247/economia/13176/Persio-Arida-sugere-acabar-com-o-FGTS.htm

Governo Lula e os bancos públicos:

http://envolverde.com.br/economia/crise-economia/as-analises-falaciosas/

Nenhum comentário: