domingo, 1 de janeiro de 2012

A impunidade das elites, a 'Veja' e a velha ladainha de sempre! - por Marcos Doniseti!

A impunidade das elites, a 'Veja' e a velha ladainha de sempre!- por Marcos Doniseti!

(texto originalmente publicado no blog 'Guerrilheiro do Entardecer' no dia 08 de Março de 2009)


Novamente, a suspeita e pouco séria publicação semanal da Editora Abril, a 'Veja', ataca o delegado Protógenes Queiróz, que foi o grande responsável pela 'Operação Satiagraha', que investigou os negócios pouco transparentes (obs: notem como estou sendo bonzinho nos comentários) do banqueiro Daniel Dantas.

Esta é, claramente, mais uma tentativa da 'Veja' de tentar, de uma vez por todas, desqualificar o trabalho do delegado Protógenes, a fim de proteger e inocentar o sr. Dantas.

Aliás, não é a primeira vez que a 'Veja' serve aos interesses do sr. Dantas. Quem não se lembra da famosa matéria de capa em que o panfleto neo-fascista da Abril acusava, com base num dossiê totalmente falso e que havia sido feito pelo sr. Dantas, o Presidente Lula e outros membros do seu governo de possuir contas em paraísos fiscais. A própria 'Veja' investigou tudo, por 6 meses seguidos, não encontrou nenhuma prova do que dizia o dossiê de Dantas e, mesmo assim, deu matéria de capa para uma acusação que não tinha como ser sustentada.

O que considero mais inacreditável é que, mesmo com a 'Veja' tendo feito inúmeras reportagens deste tipo nos últimos anos (repletas de acusações sem provas, matérias feitas sob encomenda, etc) ainda existam pessoas que levam a 'Veja' a sério. Dizem que nasce um otário por minuto: no Brasil, são todos leitores que acreditam na 'Veja'.

E é interessante como, desde que a 'Operação Satiagraha' veio a público, os investigadores passaram a ser muito mais visados e investigados do que os acusados pelas práticas de inúmeros crimes, como a evasão ilegal de divisas.

O mais impressionante é que isso continua mesmo depois de Daniel Dantas ter sido condenado a 10 anos de prisão pelo fato de ter tentado subornar os delegados da Polícia Federal que o investigaram.

Este caso demonstra o quanto que as elites deste país estão mancomunadas em todo o tipo de negócios sujos e criminosos. Quando algum deles é pego com a 'boca na botija', imediatamente aparecem os seus aliados para defendê-lo e protegê-lo. E iniciasse uma campanha para tentar desqualificar os adversários comuns.

Até parece que essas elites se comportam como uma gigantesca organização mafiosa, onde um protege o outro, recusando-se a denunciá-lo para a Justiça, bem como aos seus crimes, e assumindo a defesa deles quando estão com problemas.

Mas, dizer que tais elites se comportam como uma máfia não é nenhuma novidade, pois sempre o fizeram.

A única diferença é que, hoje, uma pequena parte das sujeiras que eles praticam são devidamente investigadas e denunciadas, algo que não acontecia antigamente, quando tais negócios escusos eram protegidos e ninguém tomava conhecimento dos mesmos.

E em alguns casos temos até a condenação de alguns destes criminosos de 'colarinho branco' (da turma do 'andar de cima', como diz o Elio Gáspari), embora dificilmente eles permaneçam algum dia preso, infelizmente, pois as leis brasileiras foram feitas por estas mesmas elites que praticam crimes e, logo, eles as fizeram sob medida para si, impedindo que paguem pelos crimes que cometem e que não são poucos.

A recente e lamentável decisão do STF de que somente poderão ser presos quem for condenado em última instância, quando não houver mais a quem recorrer, veio reforçar ainda mais o absurdo grau de impunidade que impera em nosso país. É claro que os ricos, possuindo tantos recursos financeiros à sua disposição, irão recorrer sempre das suas eventuais condenações e, com isso, impedirão que se faça Justiça.


Assim, os processos irão durar décadas e, muito provavelmente, quando algo for decidido em caráter definitivo (o que não acontecerá em inúmeros casos) os réus já terão morrido ou, coitados, já estarão velhos ou 'doentes' para poder cumprir a sua pena, ou ainda os crimes pelos quais respondem já terão prescrito.

Como se percebe, as elites tupiniquins pensam em tudo, nos mínimos detalhes, para livrar a própria barra.

A verdade é que enquanto as Leis e as Justiça deste país continuarem beneficiando as suas elites (banqueiros, industriais, latifundiários, ou seja, a turma da 'primeira classe') este jamais será um país verdadeiramente justo e democrático.

É essencial que a Lei seja igual para todos. Do contrário, teremos a lei da selva, do mais forte, predominando em nosso país e o sonho de construir uma nação civilizada, mais justa, democrática, solidária, fraterna e igualitária nunca passará disso, um mero sonho. 
Link:
http://guerrilheirodoentardecer.blogspot.com/2009/03/impunidade-das-elites-veja-e-velha.html

Nenhum comentário: