quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Dilma e as perguntas estúpidas de um representante da Grande Mídia!

Respondendo às perguntas que o Noblat postou em seu blog! - por Marcos Doniseti!

(texto originalmente publicado no blog Guerrilheiro do Entardecer no dia 07/09/2010)

O Ricardo Noblat postou, em seu blog, uma série de perguntas que ele gostaria de ver a Dilma responder.

Bem, decidi responder cada uma destas questões como se eu fosse a Dilma, ok?

Vamos lá, então:

Perguntas para Dilma - por Ricardo Noblat

O Globo entrevistará nesta semana os principais candidatos à sucessão de Lula. Dilma fugiu da entrevista. Serra e Marina irão.

Pedi no twitter do blog perguntas que os leitores gostariam de fazer a Dilma. Selecionei algumas. Se a candida quiser respondê-las aqui, terá toda o espaço que precisar.

1) O que a senhora faria se descobrisse que gente ligada ao PSDB quebrou o sigilo fiscal de sua filha?

R - O mesmo que eu fiz agora, no caso da filha do Serra, ou seja, pediria para que o caso fosse investigado pelas autoridades que tem a devida competência para isso. E que depois que tudo fosse descoberto, caso ficasse comprovada a prática de algum crime, que os responsáveis pelo mesmo pagassem por isso.

Afinal, eu fiz parte de um governo, o do Presidente Lula, no qual a Polícia Federal mais realizou operações especiais e nas quais prendeu milhares de pessoas (como políticos, industriais, comerciantes, banqueiros, funcionários públicos, entre outros) envolvidas em todo tipo de crime, como corrupção, tráfico de drogas, formação de quadrilha, entre muitos outros.

2) Como e onde contruiria as seis mil creches anunciadas se em oito anos de governo não construiu nenhuma?

R - No Brasil, mesmo. Afinal, não sou candidata a presidente de outro país.

Além disso, o fato de não termos feito algo no governo anterior não significa que deixaremos de fazer agora, pois teremos mais 4 anos para governar.

E outra coisa importante é que, hoje, a situação econômica e financeira do Brasil está muito melhor do que quando o Presidente Lula tomou posse, em 2003, e ela continua melhorando a cada ano.

Assim, teremos mais recursos públicos para investir nos próximos anos, o que não aconteceu, principalmente no período de 2003-2005, visto que tivemos que consertar os estragos feitos na gestão FHC, como o brutal aumento da dívida pública, o rápido crescimento da inflação em 2002, os juros escorchantes e o imenso déficit público, só para citar alguns dos problemas que o Presidente Lula recebeu do governo anterior.

Como o Brasil melhorou muito nos últimos anos, o próximo governo herdará uma situação muito melhor do que aquela que o Presidente Lula recebeu do seu antecessor e justamente por isso ele poderá fazer muito mais. E eu irei fazer muito mais e justamente em função dessa melhoria considerável que tivemos na situação do país durante o governo Lula, do qual eu fiz parte e com muito orgulho.

3) Como a senhora, se eleita, pretende se relacionar com o Irã, onde apedrejam mulheres e enforcam homossexuais? Será amiga, como é Lula?


R - Da mesma forma que nos relacionamos com os EUA, que invadiram o Iraque sob mil pretextos falsos e mentirosos, destruíram com o país e ainda mataram mais de 1 milhão e 200 mil iraquianos. E nem por isso rompemos relações diplomáticas com o governo dos EUA ou tampouco iniciamos uma guerra contra eles. E no Iraque não morreram apenas mulheres e homossexuais, mas idosos, crianças, doentes, heterossesxuais, enfim, morreram pessoas de todo o tipo.

Além disso, o fato de mantermos relações diplomáticas e de dialogarmos com o governo de um outro país não significa que estejamos de acordo com tudo o que esse governo faz.

Afinal, dialogar é uma coisa e concordar é outra completamente diferente.

E o Irã não é o único país onde ocorrem violações de direitos humanos, infelizmente.

Na Colômbia, por exemplo, todos os anos, mais de 300 membros de movimentos sociais são assassinados e os criminosos ficam totalmente impunes. Nem por isso vamos romper relações diplomáticas com a Colômbia e tampouco iniciar uma guerra contra o país.

Assim, questiono: Porque você não me questionou sobre a Colômbia, em vez de me perguntar sobre o Irã??

4) Lula disse que era "futrica" essa história de quebra de sigilo. A senhora concorda com ele?

R - Sim, pois até o momento não se concluíram as investigações que já se iniciaram a respeito do caso. Quando estas terminarem daí, sim, poderemos tirar conclusões a respeito do assunto. Até lá, fazer barulho e tentar tirar proveito político e eleitoral do caso, como faz o meu adversário, é futrica, sim.

Além disso, no RS, no governo da Yeda Crusius, do PSDB (que é do mesmo partido do meu adversário, sr. José Serra) estourou um caso muito mais grave, no qual já foi comprovado que tivemos milhares de pessoas com seus sigilos quebrados e que foram espionadas por um funcionário do governo gaúcho e que trabalhava no próprio Palácio Piratini, que é a sede do governo do RS.

Apesar disso, está se dando muito menos atenção a este caso do RS, e que é de uma gravidade muito maior, do que ao da filha do meu adversário.

5) A senhora acredita em Deus? E que a Bíblia é a palavra de Deus?

R - Acredito. Mas, também penso que essa é uma questão de foro íntimo. E o Brasil é um Estado laico. Aqui, não misturamos política com religião, tal como acontece na Arábia Saudita e no Irã, por exemplo.

Além disso, considero estranho e incoerente da sua parte que você critique o governo do Irã, que é teocrático (ou seja, comandado por autoridades religiosas), e ao mesmo tempo me faça uma pergunta sobre Religião, sendo que eu sou candidata a Presidente da República de um país laico, como é o Brasil, e não a Papa.

6) No que a senhora é melhor do que Serra? Por que eu deveria lhe dar meu voto?

R - Não se trata de ser melhor ou pior do que ninguém. Não sou candidata a Presidente da República por ambições pessoais ou por me considerar melhor do que os outros.

Apenas que me considero preparada para governar o país e, assim, terei condições de dar sequência a um projeto de país, que foi implantado pelo Presidente Lula, e que promove o crescimento econômico, a distribuição de renda, a justiça social e a melhoria contínua das condições de vida do brasileiro e que procura reforçar a nossa independência e a nossa soberania, fazendo do Brasil um país cada vez mais forte, democrático, justo e soberano.

7) Para qual candidato a senhora acha que O Globo faz campanha?


R - Acredito que a imprensa deveria se pautar por uma postura isenta na cobertura da campanha eleitoral, sem beneficiar ou prejudicar nenhum candidato, mas infelizmente isso não acontece.

Quanto ao jornal 'O Globo', cabe a você ler o jornal e tirar as suas conclusões a respeito.

Eu sou inteiramente favorável à liberdade de imprensa e lutei contra uma Ditadura Militar que censurou totalmente essa mesma imprensa.

Logo, não tente tirar de mim alguma declaração que possa me intrigar com a imprensa.

Entendo que essa pergunta deveria ser feita a quem, porventura, foi a favor da Ditadura Militar, que censurou a imprensa e não a mim, que lutou contra a mesma.

8) Qual a diferença entre rubrica e assinatura?

R - Isso não é pergunta que se faça em uma entrevista séria com um candidato (a) à presidência da República no qual deveríamos estar debatendo as soluções para os principais problemas do país.

Por que você, até o momento, não fez nenhuma pergunta sobre os meus planos de governo e sobre quais serão as minhas prioridades caso eu seja eleita?

Afinal, não é para isso que estamos aqui? Eu vim a este debate para isso, mas até agora não me questionaram a respeito do que pretendo fazer caso o povo brasileira me dê a honra de me escolher para governar o país nos próximos 4 anos.

Eu juro que pensei que isso aqui era um debate presidencial e não um programa que só fica perdendo tempo com futricas.

Chega de trololó e vamos debater os problemas do país e as possíveis soluções para os mesmos, ok?

9) O que acha do fato de Collor pedir votos para a senhora?


R - Isso faz parte da Democracia. A Ditadura Militar, felizmente, acabou há muito tempo e eu não posso impedir que ele, ou qualquer outro líder político ou cidadão brasileiro, faça isso.

E se eu fizesse tal coisa, seria um comportamento autoritário da minha parte. O Senador Fernando Collor foi eleito diretamente pelo povo de Alagoas e exerce o seu mandato de maneira legítima.

Veja que o meu adversário, por exemplo, também tem o apoio de líderes como o Quércia, a Yeda Crusius, o Leonel Pavan, o FHC, e ninguém o questiona a respeito disso. Por que será?

10) Cadê o dinheiro do cofre do ex-governador Adhemar de Barros que a senhora, na época da ditadura, ajudou a roubar?

R- Eu não participei de roubo nenhum!

Além disso, esse dinheiro era fruto de corrupção, o que você parece ignorar. Ele não pertencia, portanto, ao ex-governador Adhemar de Barros, mas ao povo brasileiro. Este dinheiro foi roubado pelo Adhemar.

Aliás, caso você não saiba, o próprio Adhemar de Barros admitia isso publicamente, tanto que o slogan dele era "Rouba, mas Faz!".

Se você tivesse se dado ao trabalho de estudar um pouco a respeito da história do Brasil, você saberia disso.

11) Se José Dirceu e Antonio Palocci não tivessem saído do governo, a senhora acha que seria a candidata do PT à sucessão de Lula?

R - Não cabe a mim responder a essa pergunta, mas ao Presidente Lula.

Foi ele que viu em mim as qualificações necessárias para dar continuidade aos projetos e obras do seu governo e eu fiquei muito honrada com essa escolha do Presidente Lula, com quem eu aprendi muito e que ensinou, para nós, o rumo correto que o país deve seguir.

Eu fui a pessoa responsável por coordenar alguns dos mais importantes projetos do governo Lula, como o Minha Casa, Minha Vida, o do petróleo do pré-sal, o Luz Para Todos e o PAC.

E assumo publicamente o compromisso de dar continuidade a todos estes programas do governo Lula, que é o Presidente mais popular da história do Brasil. Aliás, ele é tão bem avaliado que até o meu adversário tentou se utilizar da imagem do Presidente Lula em seu programa eleitoral e o próprio Presidente já o criticou publicamente por isso, pois foi a mim que ele escolheu para dar continuidade ao seu governo e não ao meu adversário.

12) A senhora acha que grandes jornais como O Globo, a Folha de S. Paulo e o Estado de São Paulo conservaram ou perderam sua credibilidade nos últimos anos?


R - Como eu já afirmei aqui, eu sou inteiramente a favor da liberdade de imprensa. Inclusive eu já disse, publicamente, prefiro uma imprensa totalmente livre, mesmo que ela minta, distorça os fatos, divulgue informações sem fundamento, como já aconteceu inúmeras vezes, do que uma imprensa censurada, como ocorria na época da Ditadura Militar.

Eu já fui vítima, tal como o Presidente Lula, muitas vezes, de críticas e acusações que considero injustas e equivocadas por parte da imprensa, sim, mas não é por isso que deixarei de respeitar integralmente a liberdade de imprensa. A continuidade desta estará garantida caso o povo brasileiro me dê a honra de ser a Presidenta da República.

Muito Obrigada e Boa Noite!

Obs: Gostou, Noblat (o 'Rei das Barrigas')???

Link:

http://guerrilheirodoentardecer.blogspot.com/2010/09/perguntas-para-dilma-o-globo.html

Nenhum comentário: