quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

O Congresso Nacional, o Orçamento e a Ficção-Científica - Marcos Doniseti!

O Congresso Nacional, o Orçamento e a Ficção-Científica - Marcos Doniseti!

Vejam os dados publicados nesta matéria da Carta Maior (link:http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=19621) que diz que o governo Dilma 'cortou' R$ 55 bilhões do Orçamento de 2012 que foi aprovado pelo Congresso Nacional.


Orçamentos:

Educação em 2011 - R$ 25 bilhões; em 2012 - R$ 33 bilhões (+ 32%);

Saúde em 2011 - R$ 64 bilhões; em 2012 - R$ 72 bilhões (+ 12,5%).

O orçamento da Educação é 32% maior do que foi em 2011 e o da Saúde cresceu 12,5%, certo?

Então, questiono: Que cortes? Quais? Onde?

Parece que a Mídia e os jornalistas brasileiros estão 'revolucionando a Matemática'.

Imaginem um professor de matemática ensinando os seus alunos assim:

Um orçamento passa de R$ 64 bilhões para R$ 72 bilhões e o outro passa de R$ 25 bilhões para R$ 33 bilhões de um ano para o outro. Baseado nestes números, responda: Em quanto eles diminuíram em R$ e em %?

Quem acertar, ganha um doce.


Outra coisa: Em 2011, o Estado brasileiro gastou 5,72% do PIB com o pagamento dos juros da dívida pública, representando R$ 236 bilhões.

Então, como é que o Congresso Nacional pode aprovar um Orçamento no qual esse item consumirá, em 2012, apenas R$ 140 bilhões? 


Se o valor deste item do Orçamento de 2012 for de R$ 140 bilhões, como diz a matéria da Carta Maior, então esse valor será R$ 96 bilhões INFERIOR ao de 2011, o que é uma excelente notícia. Este valor está, claramente, subestimado. Esses congressistas não sabem somar 2 + 2... Eles devem fazer parte da 'Turma do Primário Mal Feito', como diz o José Simão. 


O grande problema é que o Congresso Nacional sempre aprova Orçamentos que são verdadeiras peças de ficção científica.

Esses deputados e senadores são uns brincalhões e aprovam esse Orçamento ridículo.
 

Isso é uma jogada política-eleitoreira vagabunda, de 5a. categoria, para iludir e enganar o eleitorado. 

Os congressistas sempre fazem um Orçamento generoso, agradando a todos os segmentos do eleitorado tupiniquim, mas totalmente fora da realidade do país, e ganham pontos com o eleitorado desinformado, que mal sabe somar 2+2 e que não entende lhufas sobre o assunto.

Daí, o governo, que não pode ficar brincando de governar o país e que tem que ter os pés-no-chão, vai lá e 'corta' as maluquices desses deputados e senadores malandros, que não entendem lhufas sobre Economia e Finanças, mas que sabem muito bem como enganar e iludir os eleitores com suas promessas fáceis e totalmente inviáveis.

E o pior é que todos os anos essa palhaçada se repete. E depois ainda temos pessoas que reclamam quando o povo elege o Tiririca. 


Faça-me o favor...

E os tontos, iludidos como sempre, caem direitinho no 'conto do governo perverso' que 'corta' verbas que, na verdade, inexistem no mundo real, mas que existem no mundo de ficçção científica e de fantasia em que vivem as vossas excelências do Congresso Nacional.

Hipocrisia e palhaçada pouca, é bobagem, por parte dos 'nossos' congressistas.

Portanto, esse Orçamento aprovado pelo Congresso Nacional é, claramente, uma peça de ficção científica e não é à toa que, depois, o governo federal é obrigado a 'cortá-lo', trazendo-o, novamente, de volta à realidade.


Link:

Gastos com juros da dívida pública:

http://g1.globo.com/economia/noticia/2012/01/despesa-com-juros-da-divida-publica-soma-r-236-bilhoes-em-2011-diz-bc.html

Queda da dívida líquida do setor público em 2011:

http://g1.globo.com/economia/noticia/2012/01/pela-1-vez-divida-do-setor-publico-fecha-ano-abaixo-de-37-do-pib.html

Nenhum comentário: