quinta-feira, 7 de junho de 2012

'Tea Party', movimento formado por bando de fanáticos estúpidos, ameaça o governo Obama e Republicanos 'moderados'! - por Marcos Doniseti!

'Tea Party', movimento formado por bando de fanáticos estúpidos, ameaça o governo Obama e Republicanos 'moderados'! - por Marcos Doniseti!


(texto originalmente publicado no blog Guerrilheiro do Entardecer no dia 07/02/2010)



Um bando de fanáticos estúpidos e ignorantes criou, nos EUA, um movimento chamado 'Tea Party', que defende uma agenda política ultra-conservadora, cujas idéias fazem um anti-comunista histérico e imbecil como Ronald Reagan parecer um moderado.

Os integrantes do movimento são aqueles típicos imbecis desinformados, mentirosos e ultra-conservadores que, politicamente, estão à Direita de Gengis Khan e de Pinochet.

Um dos principais líderes do movimento, Richard Viguerie (foto acima), é tão extremista que considera que o governo Bush-Cheney foi excessivamente progressista. Para este pessoal, Hitler deve ter sido apenas um mero escoteiro bem comportado e nada além disso.

Mas, apesar de todas as mentiras propagadas e defendidas por eles, o fato é que este movimento patético está ganhando força nos EUA num momento em que o país enfrenta a sua pior crise econômica e financeira desde a Grande Depressão e o governo Obama encontra-se no seu pior momento em termos de popularidade e o Partido Democrata vem de sucessivas derrotas em eleições realizadas em estados importantes como New Jersey e Massachusetts.

Mas, parece que os integrantes deste movimento estúpido que é o 'Tea Party', esquecem que a atual crise enfrentada pelo EUA foi provocada pelo colapso das políticas Neoliberais e Imperialistas adotadas pelo governo dos EUA principalmente a partir do governo Reagan. Tais políticas foram apenas, parcialmente, atenuadas durante a gestão Clinton, mas jamais foram interrompidas, de fato.

Assim, enquanto os integrantes do 'Tea Party' fazem um discurso agressivo contra os impostos elevados o fato concreto, na verdade, é que estes foram reduzidos fortemente nas últimas décadas, principalmente nos governos de Reagan e de Bush Jr..

Essa significativa redução de impostos beneficiou as grandes empresas e os mais ricos. E após o 11 de Setembro, essa redução de impostos, junto com o brutal aumento dos gastos militares, com a 'Segurança Nacional' e com as guerras travadas no Iraque e no Afeganistão (tudo em nome da 'Guerra contra o Terror'), arrebentou com as contas públicas dos EUA.

Tanto isso é verdade que quando acabou o governo de Bill Clinton (1993/2001), os EUA tinham um superávit público anual superior a US$ 300 bilhões e previa-se a continuidade destes superávits anuais por, pelo menos, mais uma década, acumulando US$ 3 Trilhões de superávits durante 10 anos.

Inclusive, o grande debate travado no país naquele momento era o que se deveria fazer com o dinheiro do superávit público. Alguns defendiam que o mesmo deveria ser investido na melhoria da infra-estrutura do país, outros queriam guardar o dinheiro para pagar as pensões e aposentadorias da geração 'baby-boom' (que começou a se aposentar em 2008) e outros ainda queriam reduzir os impostos.

Mas, com o governo Bush Jr, as contas públicas dos EUA foram arrebentadas e um superávit público anual de US$ 300 Bilhões foi transformado num déficit público anual superior a US$ 450 Bilhões. Assim, houve uma inversão de US$ 750 bilhões anuais no governo Bush. Isso arrebentou com as contas públicas do país.

Com o colapso financeiro de 2008/2009, com as estatizações de empresas privadas falidas (Citigroup, GM, AIG) e com a adoção de pacotes de salvamento e de estímulo à economia a fim de se evitar uma nova Grande Depressão, o déficit público anual dos EUA passou de US$ 1,4 Trilhão no ano fiscal de 2008/2009 e se prevê algo próximo disso para o ano fiscal de 2009/2010.

Desta maneira, hoje os EUA têm um déficit público superior a 10% do PIB e a sua dívida pública bruta já se aproxima dos 90% do PIB.

Portanto, foram exatamente as políticas defendidas por estúpidos como esses integrantes do 'Tea Party' que levaram os EUA à sua atual crise.

Entre os objetivos deste movimento reacionário estão afastar os Republicanos tidos como moderados do partido e se apossar integralmente do Partido Republicano. O nível político-ideológico do movimento é tão baixo que uma das suas principais representantes é, simplesmente, a estúpida da Sarah Palin, a ex-vice do John McCain que espantou o país com o seu total e absoluto despreparo para ocupar qualquer cargo público de maior importância.



Todas as vezes em que ela abria a boca, durante a campanha eleitoral de 2008, McCain caía nas pesquisas e Obama subia. A situação ficou tão embaraçosa para McCain que Palin passou a ser devidamente escondida da população.

Caso estes ignorantes do 'Tea Party' atinjam os seus objetivos, podem ter certeza de que o processo de crise e de decadência que atingem os EUA atualmente irá se intensificar.

Quem viver, verá.

Link:

Onda conservadora anti-Obama abala política americana

http://www.estadao.com.br/noticias/internacional,onda-conservadora-anti-obama-abala-politica-americana,507623,0.htm

Nenhum comentário: