quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Pesquisa Datafolha em detalhes! - por Marcos Doniseti!

Pesquisa Datafolha em detalhes! - por Marcos Doniseti!


O instituto Datafolha divulgou dados mais detalhados da sua mais recente pesquisa eleitoral para a prefeitura de São Paulo. Entre as principais informações, temos as seguintes:

1) Haddad - Passou de 21% para 40% entre os eleitores petistas (que são 25% do total da cidade) depois do início do horário eleitoral. Russomano tem 29% dos votos dos petistas, Serra tem 7% e Chalita tem 6%, Paulinho tem 4% e Soninha tem 3%.

Assim, 49% dos eleitores petistas escolhem outros candidatos. Isso é, claramente, fruto do desconhecimento em relação ao candidato do PT, que é o Haddad.

Na pesquisa anterior ao ínicio do horário eleitoral, Haddad tinha 21% dos votos dos petistas e os outros candidatos, somados, tinham 64% dos votos. Agora, Haddad tem 40%, contra 49% dos demais candidatos.

Portanto, tal como Dilma em 2010, Haddad é um novato em eleições e sofre com esse desconhecimento no início da campanha eleitoral.

Mesmo assim, dos 14% de intenções de voto que Haddad possui, 10% são de eleitores do PT e apenas 4% são de eleitores não-petistas.

Porém, se Haddad chegar ao patamar de 90% dos eleitores petistas, ele atingirá 22,5% das intenções de voto, mesmo que não conquiste mais nenhum voto entre os 75% restantes do eleitorado, o que não irá acontecer, é claro.

Se ele conquistar apenas 10% dos outros 75% de eleitores não-petistas, somados com os 90% de eleitores petistas (conquistando 22,5% dos 25% de petistas) Haddad já atingiria os 30% das intenções de voto.

Por isso, dificilmente Haddad ficará de fora do segundo turno das eleições. 

No entanto, Russomano ainda tem a simpatia de 29% dos petistas, o que dá 7,25 p.p. Assim, se o candidato do PRB perdesse todos esses votos de simpatizantes do PT, ele cairia fortemente nas pesquisas, indo para 24% das intenções de voto.

Isso mostra que Haddad ainda precisa se tornar mais conhecido entre os simpatizantes do PT para continuar crescendo e tirar votos de Russomano.

E isso é o que deverá acontecer nas próximas semanas.

Logo, como deverá perder muitos votos de petistas para Haddad, para Russomano não cair nas pesquisas ele terá que continuar a conquistar votos de outros candidatos, principalmente de José Serra. 

2) Haddad - É conhecido 'só de ouvir falar' por 27% dos eleitores; 25% dizem que 'não o conhecem'; 30% dizem que o conhecem 'um pouco'; Somente 18% dos eleitores dizem que conhecem Haddad 'muito bem'. Grau de desconhecimento chega a 52%.

3) O PT é o partido preferido de 25% dos eleitores da capital, contra apenas 9% do PSDB e 2% do PMDB.

4) Entre os eleitores cujas famílias ganham até 2 salários mínimos mensais o PT alcança 26% de apoio (contra 4% do PSDB); Entre eleitores cujas famílias ganham de 2 e 5 salários mínimos o apoio ao PT chega a 29% (contra 9% do PSDB); Entre 5 e 10 salários mínimos o PT chega a 22% (nesta faixa o PSDB chega a 20%). Na faixa de mais de 10 salários mínimos o PT chega a 15% e o PSDB a 18%.

Há claramente uma divisão de classes aqui. O PT é, disparado, o partido preferido entre os mais pobres e o PSDB cresce muito entre os mais ricos (tendo pouca penetração entre os eleitores de menor renda) embora haja um virtual empate técnico com o PT nas duas faixas de maior renda (de 5 a 10 salários mínimos e de mais de 10 salários mínimos).

5) Na categoria escolaridade, a preferência pelo PT chega a 24% entre eleitores com o Ensino Fundamental, a 28% entre eleitores com o Ensino Médio e atinge 21% entre o eleitorado com nível Superior.

6) Na pesquisa espontânea, Russomano tem 18%, Serra 13%, Haddad 9% (Candidato do PT tem 1%; logo, Haddad tem 10% e está empatado tecnicamente com Serra), Chalita 4% e Soninha 1%.

7) O índice de rejeição de Serra é de 43%, contra 21% de Haddad, 15% de Russomano, 15% de Chalita, 25% de Paulinho e 24% de Soninha.

8)  Gabriel Chalita - Apenas 16% dos eleitores o conhecem 'muito bem'; 28% o conhecem 'um pouco'; 30% o conhecem 'só de ouvir' e 25% 'não o conhecem'. Grau de desconhecimento chega a 56%.

9) O PT é mais popular entre os homens, com 29% de apoio. Entre as mulheres, o índice é de 21%.

10) Russomano é mais popular entre eleitores que tem um perfil 'petista': tem 33% entre eleitores com até o ensino fundamental e 35% entre eleitores com ensino médio; Russomano também chega a 30% entre eleitores com renda familiar de até 2 salários mínimos e 36% na faixa de 2 a 5 salários mínimos. Russomano também vai bem na faixa de 5 a 10 salários mínimos (onde o PSDB é mais popular), chegando a 31%.

11) Serra consegue apenas 61% dos votos de eleitores do PSDB. Entre estes, Russomano chega a 23%. Até Chalita consegue 9% dos votos de eleitores tucanos.

12) Entre os eleitores sem partido, Russomano tem 31%, Serra 21%, Haddad 6% e Chalita 6%. Isso mostra que Haddad tem pequena penetração, ainda, entre os eleitores que não tem preferência partidária (estes representam 52% do total).

13) Dos 31% de intenção de voto de Russomano, 7,1 p.p. são de eleitores petistas. Assim, se eles o abandonarem, Russomano cairá para 24% das intenções de voto, a não ser que compense esta queda com votos de outros eleitores não-petistas.

14) Até Chalita obtém 22% dos seus votos entre eleitores do PT. Se ele os perder (e não conquistar o voto de mais nenhum eleitor não-petista), ele cairá de 7% para 5,5% das intenções de voto.

15) Russomano obtém 24% dos seus votos entre Evangélicos Petencostais e 10% entre Evangélicos Não-Petencostais, somando 34% dos seus votos entre os mesmos.

16) Haddad obtém 18% dos seus votos entre Evangélicos Petencostais e 6% dos seus votos entre Evangélicos Não-Petencostais, somando 24% dos seus votos entre os mesmos. No caso de Serra os índices são de 18% e 9%, respectivamente.

Assim, nota-se uma penetração maior de Russomanos entre os Evangélicos. Dos seus 31% de intenção de voto, ele obtém 10,5 p.p. entre os Evangélicos. No caso de Serra, dos seus 22%, ele obtém 6 p.p. entre eleitores Evangélicos. No caso de Haddad, dos seus 14% alcançados na pesquisa, 3,4 p.p. vem de eleitores Evangélicos.

Assim, caso queira continuar crescendo e possa derrotar Russomano, Haddad precisa aumentar as suas intenções de voto entre os eleitores Evangélicos.

17) 43,2% dos eleitores disseram que assistiram ao horário eleitoral, contra 56,8% que não assistiram.

18) Entre os eleitores que assistiram ao horário eleitoral, o resultado foi o seguinte: Russomano 35%; Serra 22%; Haddad 17%; Chalita 8%; Soninha 3%, Paulinho 2%.

19) Entre os eleitores que não assistiram ao horário eleitoral, o resultado foi esse aqui: Russomano 28%; Serra 21%; Haddad 12%; Chalita e Soninha 5%; Paulinho 3%.

Assim, nota-se que Russomano sobe 7 p.p., Haddad cresce 5 p.p. e Chalita sobe 3 p.p. entre os eleitores que assistiram ao horário eleitoral. Serra ganha apenas 1p.p. Soninha perde 2 p.p. e Paulinho perde 1p.p.

20) Entre os eleitores que assistiram ao horário eleitoral, o índice de Brancos-Nulos-Nenhum é de 9%. Entre os que não assistiram o índice chega a 23%.

Logo, o horário eleitoral faz diferença, sim. As pessoas podem até não assistir a todos os programas, mas elas o vêem, sim, e o usam para se informar e tomar as suas decisões.

21) Na pesquisa de Julho do Datafolha (dias 19 e 20) Serra era o preferido de 82% dos eleitores tucanos. Agora, ele é escolhido por apenas 61% dos tucanos.

Assim, Serra perdeu 25,6% dos votos que tinha entre os simpatizantes do PSDB, mostrando o progressivo esvaziamento da sua candidatura entre a sua própria base eleitoral. Enquanto isso, Russomano passou de 7% para 23% entre os simpatizantes do PSDB. Até Chalita subiu de 6% para 9% de votos entre os tucanos.

22) Apesar de ser chamado de 'Coiso' por muitos dos seus detratores, Serra lidera entre os Espíritas, com 36%. Russomano tem 22% e Haddad 14%.

23) Os maiores índices de Rejeição de Serra estão entre eleitores de 16 a 24 anos e  de 25 a 34 anos, Em ambas as faixas, a Rejeição de Serra chega a 50%. No quesito Escolaridade, a sua maior Rejeição se dá entre os eleitores com ensino médio (46%) e no aspecto da  renda familiar, a maior rejeição se dá entre eleitores com renda de 2 a 5 salários mínimos (49% de rejeição).

Entre os eleitores com renda familiar superior a 10 salários mínimos, o mais rejeitado é Paulinho (45%), seguido de Haddad (30%), Serra e Soninha (ambos com 29%).

24) Entre os eleitores de Russomano, o mais Rejeitado é Serra (59%), seguindo de longe por Soninha (29%) e Haddad (25%).

25) Entre os eleitores de Serra, Haddad é rejeitado por 37%, Russomano por 30%, Paulinho por 38% e Soninha por 35%.

26) Entre os eleitores de Haddad, Serra é rejeitado por 69%, seguido por Levy Fidelix (25%). Russomano é rejeitado por 20%.

27) Entre os eleitores de Soninha, 75% rejeitam Serra. Já entre os eleitores de Chalita, 53% rejeitam Serra.

Isso é bem interessante, porque Soninha é aliada de Serra. Mas, se ela o apoiar, caso ela vá para o segundo turno, isso será bem mal visto pelos eleitores dela.

28) Entre os eleitores que assistiram ao horário eleitoral, a Rejeição de Serra chega a 48%. Entre os que não asssistiram, o índice é de 40%.

29) No caso de Haddad, a rejeição é de 20% entre os eleitores que assistiram ao horário eleitoral e de 21% entre os que não assistiram.

30) No caso de Russomano, o índice de rejeição é o mesmo (15%) entre os eleitores que assistiram e os que não assistiram ao horário eleitoral.

31) Entre os eleitores cujas famílias ganham até 2 salários mínimos, 30% somente 'ouviram falar' de Haddad e outros 33% 'não o conhecem'. Entre os eleitores com renda familiar de 2 a 5 salários mínimos, 27%  'só ouviram falar' de Haddad e 23% 'não o conhecem'.

Assim, entre os eleitores de menor renda há um elevado grau de desconhecimento quanto à Haddad.

Link:

http://datafolha.folha.uol.com.br/folha/datafolha/tabs/int_voto_pref_sp_28082012.pdf

Nenhum comentário: