domingo, 16 de setembro de 2012

Afinal, porque o crescimento de Haddad desacelerou? - por Marcos Doniseti!

Afinal, porque o crescimento de Haddad desacelerou? - por Marcos Doniseti!


Comentei com um amigo nesta semana a respeito do motivo que faz com que Russomanno continue liderando as pesquisas na capital paulista. Entendo que o motivo disso é, até certo ponto, relativamente simples, e que é o seguinte:

No início desta campanha, quando começaram a se fazer pesquisas, o eleitorado somente conhecia dois candidatos: Serra e Russomanno. Os outros, como diria o FHC, eram 'todos japoneses'. 

Daí, o eleitor olhava o cartão de pesquisa e via apenas dois nomes conhecidos: o nome do Serra e o do Russomanno. Daí, o eleitor pensa: 'Serra, nem pensar. Esse Russomanno eu conheço e ele é diferente do Serra e do Kassab. Voto nele'. 

O grande problema do Haddad é que está demorando um pouco mais do que os petistas gostariam para que o seu nome se massifique, tornando-se conhecido de todo o eleitorado. 

No entanto, isso deverá acontecer até o final do 1o. turno. 

Então, é normal que tenhamos um crescimento mais lento da sua candidatura neste momento da campanha.

Afinal, segundo o Datafolha, 47% dos eleitores sabem pouco ou nada sobre o Haddad. E 50% dos eleitores ainda não assistiram ao horário eleitoral. 

Porém, o interesse dos eleitores irá aumentar à medida que a campanha for se desenvolvendo e deverá crescer bastantes nas duas últimas semanas, em especial. 

Com Dilma, isso aconteceu de maneira mais rápida, pois ela teve o então presidente Lula para levá-la a tudo quanto é canto do país e isso começou quase dois anos antes da eleição. Daí, quando começou o horário eleitoral ela já tinha um bom percentual de votos nas pesquisas, bem superior ao de Haddad.

Enquanto isso, Haddad não teve um presidente Lula em condições de sair com ele, pela capital paulista, antes do início do horário eleitoral, devido à sua doença. 

E mesmo agora, Lula tem que se conter um pouco, sem participar de muitas atividades de campanha, para não ficar mais debilitado. 

Com Haddad, Lula não pôde fazer isso e, desta maneira, ele demora mais tempo para conseguir atingir um patamar mais elevado de votos. 

Mas penso que há tempo de sobra para que o cenário mude e Haddad atinja os 30% que são o piso dos candidatos do PT na capital paulista já há muitas eleições.

Tenho certeza de que se a candidata do PT fosse Marta Suplicy, aposto que ela já teria uns 40% dos votos, no mínimo. 

Então, ao contrário do que muitos estão dizendo por aí, não é que o povo cansou da polarização entre PT X PSDB. O povo só cansou dos tucanos, mesmo.

Nenhum comentário: