sábado, 20 de outubro de 2012

Pesquisa Ibope em detalhes - por Marcos Doniseti!


Pesquisa Ibope em detalhes - por Marcos Doniseti!


Haddad abre imensa vantagem entre os eleitores mais jovens e de Russomanno e Chalita. 

Dilma tem 60% de ótimo/bom na capital paulista, contra 44% de Alckmin. Kassab é considerado ruim/péssimo por 43% dos paulistanos!




A pesquisa mais recente do Ibope para a eleição na capital paulista, que foi divulgada na quarta-feira (17/10) trouxe os seguintes resultados (considerando-se os votos totais):

Haddad 49% (60%);

Serra 33% (40%).

Mas, essa não é a única informação importante da pesquisa. No relatório completo da mesma, temos outras informações relevantes, como:


1) No auge da campanha, 22% dos eleitores dizem ter pouco interesse e outros 23% nenhum interesse na disputa pela prefeitura de São Paulo. 


Isso é, no mínimo, estranho e preocupante. 


Estranho, porque a prefeitura é, como disse o Paul Singer, o poder mais próximo do cidadão. E preocupante porque revela um grau extremamente elevado de desinteresse dos paulistanos pela própria cidade na qual vive. 


2) No quesito idade, a maior vantagem de Haddad sobre o tucano se dá entre os mais jovens, de 16 a 24 anos: 58% X 25%.  Na faixa de 25 a 29 anos a vantagem do petista chega a 22 p.p.: 53% X 31%. Haddad também ganha fácil entre os eleitores de 30 a 39 anos (52% X 33%) e de 40 a 49 anos (56% X 28%).


3) Haddad é o candidato preferido dos mais pobres. No aspecto da renda, Haddad tem grande vantagem nas famílias de menor renda; Nas famílias com renda de até 1 salário mínimo sua vantagem é de 24 p.p. (51% X 27%). Na famílias com renda entre 1 a 2 salários mínimos, sua vantagem é de 27 p.p. (54% X 27%) e entre 2 e 5 mínimos, a vantagem do petista é de 22 p.p. (53% X 31%).


4) Na divisão dos eleitores de Russomanno, Chalita, dos outros candidatos e dos que votaram em branco-nulo, o resultado foi:


Russomanno: 61% votam em Haddad e apenas 15% em Serra.

Chalita: 56% votam em Haddad e 21% em Serra.
Outros: 48% votam em Haddad e 30% em Serra. 
Brancos-Nulos no 1o. turno: Haddad tem 24%, contra 16% de Serra.

Assim, Haddad consegue atrair, no 2o. turno, muito mais votos dos demais candidatos do que Serra e com grande vantagem sobre o tucano.


Isso explica porque Haddad abriu 16 pontos (20 pontos nos válidos) sobre Serra neste segundo turno.


5) Voto não muda: 91% dos eleitores de Haddad e 90% dos eleitores de Serra não irão mudar o seu voto até o dia da eleição. 


Isso é péssima notícia para Serra, pois caso a população não mude de idéia até o dia 28 de Outubro, isso significa que ele já perdeu a eleição. 


6) Para 52% dos eleitores, o próximo prefeito de São Paulo será Haddad. Serra será o prefeito segundo 36% dos eleitores. 


7) Entre os eleitores indecisos, a tendência majoritária no 2o. turno ainda é por 'Não Sabe-Não Respondeu' (quer dizer, eles continuam indecisos...), com 52%. Depois, 20% dos indecisos tem a opção de votar em Haddad (20%) e 17% em Serra.


Logo, se depender dos indecisos para vencer a eleição, Serra está condenado à ser derrotado. 


8) Governo Kassab é considerado ruim/péssimo por 43% dos eleitores. Apenas 21% o avaliam como sendo ótimo/bom. 33% dizem que ele é regular.


9) 63% dos eleitores desaprovam a gestão de Kassab, contra apenas 30% que aprovam a mesma. 


10) O governo Alckmin é considerado ótimo/bom por 44% dos paulistanos. Outros 34% o vêem como regular e 18% como sendo ruim/péssimo.


11) O governo Dilma é considerado ótimo/bom por 60% dos paulistanos. Para 29% ele é regular. E apenas 9% o consideram como sendo ruim/péssimo.


12) Entre os eleitores de classe média da capital paulista, com renda familiar de mais de 5 salários mínimos mensais (R$ 3.110,00), Dilma alcança 58% de ótimo/bom, 29% de regular e apenas 11% de ruim/péssimo.


13) Os partidos preferidos dos paulistanos são:


PT 26%;

PSDB 10%;
PMDB 2%;
PV 2%;
PSOL 1%;
Demais 0%;
Nenhum 54%.

14) A preferência pelo PT aumenta entre os mais pobres, estando assim dividida entre as famílias:


Até 1 salário mínimo 30%;

De 1 a 2 sal. mínimos 30%;
De 2 a 5 sal. mínimos 26%;
Mais de 5 sal. mínimos 20%.

Já no caso do PSDB ocorre exatamente o contrário, com os índices sendo de 5%, 6%, 10% e 16%, respectivamente. Logo, o prestígio dos tucanos cresce conforme a renda familiar vai aumentando. 


Assim, confirma-se aquilo que todas as eleições em São Paulo mostram: o PT é o partido preferido dos mais pobres, enquanto que o PSDB obtém a maioria dos seus votos entre os mais ricos. 


Obs: Meu palpite para o resultado da eleição em São Paulo: Haddad 65% X 35% Serra. 


Link:


http://eleicoes.ibope.com.br/Paginas/Aumenta-vantagem-de-Fernando-Haddad-na-disputa-pela.aspx

Nenhum comentário: