domingo, 23 de dezembro de 2012

Porque a oposição não tem chance alguma de vencer em 2014! - por Marcos Doniseti!

Porque a oposição não tem chance alguma de vencer em 2014! - por Marcos Doniseti!


A Presidenta Dilma é aprovada por 78% dos brasileiros e as pesquisas a mostram com mais de 60% dos votos válidos no Ibope e no Datafolha.


A oposição representada pelo trio PSDB-DEM-PPS não tem chance alguma de vencer a eleição presidencial de 2014. 

E afirmo isso por vários motivos, como:

1) Aécio Neves é fraco demais, tanto que fica bem atrás de Marina Silva nas pesquisas. E olha que ela sumiu da Mídia e do cenário político desde a eleição presidencial de 2010, hein!. Aécio chega a ficar tecnicamente empatado com o Joaquim Barbosa. Nestas condições, é muita pretensão dos tucanos querer derrotar Dilma;

2) Dilma tem uma aprovação pessoal de 78%. Seu governo é tido como ótimo-bom por 62%. Segundo a pesquisa mais recente do Datafolha, ela tem cerca de 60% a 64% das intenções de voto, o que permitirá liquidar a eleição já no primeiro turno. 

Já vi muita coisa na vida, mas uma (um) governante tão popular perder uma eleição, isso eu ainda não vi, não. E nem verei tão cedo;

3) Mesmo com a economia desaquecida em 2012, o desemprego continua em queda (em Novembro, tivemos a menor taxa da história para o mês, de 4,9%), a renda média da população cresce num ritmo superior a 5% ao ano, a pobreza e a miséria continuam sendo reduzidas, a inflação está controlada (acumulado em 12 meses é de 5,45%, abaixo do teto da meta, que é de 6,5% anuais) e as contas públicas (déficit público e dívida pública estão diminuindo) e externas (o déficit externo não chega a 2% do PIB) estão totalmente sob controle. 

E a economia brasileira já cresceu a um ritmo anualizado de 2,4% no 3o. trimestre de 2012, mostrando que se iniciou um processo de retomada, pois no primeiro semestre o crescimento foi praticamente nulo. 

As medidas tomadas pelo governo federal neste ano (redução dos juros e de impostos, aumento dos investimentos públicos, etc) irão surtir bastante efeito justamente em 2013-2014, que serão os dois últimos anos do governo Dilma. Daí, a atual presidenta deverá chegar a um nível de popularidade ainda maior, garantindo a sua reeleição e já no primeiro turno.

Assim, quem apostar numa crise econômica para 2013-2014 irá quebrar a cara; 

4) A oposição partidária ao governo Dilma-PT-Lula, de fato, caminha para a extinção, ao menos se depender do voto popular.

Oposição ao governo Dilma-Lula-PT, mesmo, quem faz, é a Grande Mídia. O trio formado PSDB-DEM-PPS é absolutamente ridículo. Ninguém os leva à sério e eles não possuem uma única liderança nacional que caia no gosto do povão, dos assalariados e dos mais pobres, que aprovam Lula e Dilma e que decidem eleição no Brasil;

5) O principal baluarte do PSDB, que é o governo do estado de São Paulo, está seriamente ameaçado de cair em mãos petistas em 2014. Isso porque o governo Alckmin tem um nível muito baixo de aprovação (29% na capital paulista. A grave crise de Segurança Pública poderá ser o grande ponto fraco a ser explorado pelo PT e pela oposição (PMDB, PCdoB) em 2014. 

Além disso, Dilma é muito mais popular do que o governador em todo o estado, Haddad venceu a eleição na cidade de São Paulo e o PT ainda irá governar 7 das maiores cidades do estado a partir de 2013 (São Paulo, Guarulhos, Osasco, S.André, S.B. do Campos, S.J. dos Campos e Mauá), estando muito bem posicionado para arrancar os tucanos do governo do estado.

Assim, a prioridade do PSDB em 2014 não deverá ser a presidência da República, mas preservar o controle do governo de SP, sem o qual o PSDB caminhará para a extinção. 

Então, os tucanos que coloquem as barbas de molho, pois não apenas poderão sofrer uma fragorosa derrota na eleição presidencial, como ainda poderão vir a ser derrotados em São Paulo, o que levaria o tucanato para um processo irreversível de esvaziamento. 


Resumindo: É a distribuição de renda, estúpido!

Links:

Reservas internacionais passam de US$ 378 bilhões:

http://www.bcb.gov.br/?RP20121220

Desemprego cai para 4,9% e renda média sobe 5,3% em Novembro:

http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2012-12-21/desemprego-atinge-menor-taxa-para-meses-de-novembro-desde-2002

Inflação acumulada em 12 meses chega a 5,45% em Outubro:

http://economia.uol.com.br/ultimas-noticias/efe/2012/11/07/inflacao-oficial-registra-aumento-e-fecha-outubro-em-059-aponta-ibge.jhtm

Gastos com juros da dívida pública caem para 4,89% do PIB; Dívida pública cai para 35,2% do PIB e déficit público nominal diminuiu para 2,47% do PIB:

http://www.bcb.gov.br/?ECOIMPOLFISC


Nenhum comentário: