domingo, 2 de junho de 2013

Afinal, porque o noticiário midiático não derruba a popularidade do governo Dilma? - por Marcos Doniseti!

Afinal, porque o noticiário midiático não derruba a popularidade do governo Dilma? - por Marcos Doniseti!

Dilma e o povo: A Grande Mídia e a oposição elitista, golpista e reacionária não suportam isso. 

O pequeno empresário e blogueiro Eduardo Guimarães, um dos mais ativos na Internet, publicou em seu blog a informação de que o governo Dilma faz trackings (pesquisas telefônicas) frequentes e que os mesmos demonstram que a popularidade do governo não está sendo afetada pelo brutal e agressivo bombardeio midiático de que o mesmo está sendo vítima desde o início deste ano. 

Em Janeiro do ano passado escrevi e publiquei um texto nos meus blogs (Guerrilheiro do Entardecer e Guerrilheiro do Anoitecer) comentando sobre alguns dos motivos que fazem com que o bombardeio midiático sobre Lula, Dilma e o PT não surte efeito quando chegam as eleições ou, pelo menos, não a ponto de mudar o resultado das mesmas, levando à vitória da oposição. 

Afinal, se a Grande Mídia fosse tão poderosa, assim, então Lula não teria vencido as eleições de 2002 e 2006 e Dilma não teria sido eleita em 2010. E nenhum dos dois chegaria sequer aos 10% de aprovação popular. 

No entanto, Lula terminou o governo com 87% de aprovação pessoal e Dilma já está com 79%. E o PT ainda é o partido mais popular do Brasil, com 29% das preferências (pesquisa Datafolha feita em Março deste ano), contra 7,5% do PMDB e 4,5% do PSDB.  

E isso acontece mesmo com todo o noticiário midiático negativo contra o PT, vide o julgamento da AP 470, no STF, que transcorreu exatamente durante toda a campanha eleitoral de 2012 e com as condenações de vários dos seus dirigentes ocorrendo na reta final da mesma. O 'JN' da Rede Globo fez uma edição com 18 minutos de duração a respeito do assunto faltando poucos dias para a realização do segundo turno da eleição. 

E mesmo assim, o PT foi o partido mais votado nas eleições municipais no 1o. turno em 2012, Fernando Haddad ganhou a eleição na capital paulista e o partido foi o grande vitorioso nas maiores cidades do estado de SP (tendo vencido em Guarulhos, Osasco, Mauá, S.B. do Campo, Santo André, entre outras grandes cidades do estado), tendo ainda se fortalecido muito em estados como Minas Gerais, Paraná e Goiás, que são os quatro estados mais importantes governados pelo PSDB. 

Porque isso acontece? Minha tese é simples: O povo brasileiro está se lixando para a brigalhada política e para essa permanente escandalização da política, onde todos chamam todos de ladrões, corruptos, incompetentes, etc. 

Quem se deixa influenciar pelo noticiário, de um jeito ou de outro, são as pessoas que já estão envolvidas nisso e uma pequena elite que gosta de se informar e debater sobre o tema. Mas estes são bem poucos. A maioria absoluta da população (uns 90%, pelo menos) está se lixando para tudo isso.  

Aliás, a maioria das pessoas sequer se manifesta sobre assuntos políticos. Muitos chegam ao ponto de dizer que 'política, futebol e religião não se discutem'. Bem poucos entram na Internet e nas redes sociais para debater e discutir com outras pessoas sobre questões políticas. 

É claro que não se pode generalizar, mas penso que o brasileiro é, na sua maioria, um povo despolitizado e desorganizado que prefere ficar na frente da TV assistindo novelas, seriados, jogos de futebol, reality shows, mas que pouco sai às ruas para se manifestar e reivindicar o respeito aos seus direitos. 

E desde que ele possa continuar 'tocando a sua vida', com emprego e salário garantidos (ainda mais se o poder de compra destes crescem continuamente e o desemprego despenca), ele simplesmente decide ignorar o noticiário midiático negativo e apocalíptico produzido diariamente com o objetivo de derrubar com a popularidade de Lula, Dilma e do PT.


Enquanto 'especialistas' que tinham um imenso espaço na Grande Mídia garantiam que a Petrobras estava 'quebrada', a empresa conseguiu promover uma das maiores emissões de títulos da história, captando US$ 11 bilhões para poder financiar parte dos seus imensos investimentos. 

Hoje li um texto do cientista político Marcos Coimbra, no qual ele afirma o seguinte:

Em pesquisa recente de âmbito nacional, a Vox Populi tratou do assunto. Ao invés de subscrever (ou atacar) a tese, apenas identificou o que a população pensa a respeito.
Os entrevistados foram solicitados a avaliar quinze áreas de atuação do governo Dilma. Depois, a comparar o desempenho de cada uma nos governos dela e de Lula com o que apresentavam quando Fernando Henrique era presidente.
As avaliações de todas as políticas nos governos petistas são superiores. Em nenhuma se poderia dizer que, para a população, as coisas estavam melhores no período tucano.
Consideremos algumas: na geração de empregos, 7% dos entrevistados disseram que FHC atuou melhor, enquanto 75% responderam que Lula e Dilma o superaram; na habitação, 3% para FHC e 75% para Lula e Dilma; nos programas para erradicar a pobreza, 4% ficaram com FHC e 73% com os petistas; na educação, FHC foi defendido por 5% e Lula e Dilma por 63%; na política econômica, em geral, FHC foi avaliado como melhor por 8% e os petistas por 71% dos entrevistados.
No controle da inflação, FHC teve seu melhor resultado: 10% acharam que foi melhor que os sucessores, mas 65% responderam que Lula e Dilma é que agiram ou agem melhor.
Na saúde e na segurança, os petistas tiveram as menores taxas de aprovação, mas mantiveram-se bem à frente do tucano: na primeira, Lula e Dilma foram considerados melhores por 46% dos entrevistados; na segurança, por 45%. FHC, por sua vez, por 7% e 6%.
No combate à corrupção, FHC teria atuado melhor que seus sucessores para 8%, enquanto 48% dos entrevistados afirmaram que Lula e Dilma foram-lhe superiores.

Assim, todos esses gigantescos aparatos midiáticos (TV, Rádio, Jornais, Revistas) acabam discursando para aquela mesma meia-dúzia de sempre e que é constituída por um bando de fanáticos e reacionários desinformados e idiotizados que odeiam Lula, Dilma e o PT, independente destes fazerem um bom governo ou não. 

Assim, a imensa maioria da população ignora esses discursos radicais, extremistas, odiosos e fanáticos e que são feitos pelos mesmos colunistas de sempre e que sequer precisam ser citados aqui, pois já são conhecidos de todos os leitores deste blog, com certeza.

E isso acontece, essencialmente, pois a vida está da população está melhorando, mesmo que de forma lenta e gradual.

Desta maneira, a Grande Mídia acaba pregando para os já convertidos, para o mesmo rebanho de sempre, para os neofascistas, estúpidos, desinformados e ignorantes que pensam que a Ditadura Militar foi uma maravilha e que Hitler fez mais pela Alemanha do que Lula pelo Brasil (obs: Isso não é uma piada... Uma estudante de história da UNESP escreveu isso, dias atrás, no Facebook...). 

Resumindo: O discurso midiático-oposicionista radical e extremista só acaba tendo maiores repercussões entre a famosa 'massa cheirosa' de sempre, que é a mesma que ficou p... da vida com o governo Dilma pelo fato de que esta aprovou e sancionou a 'MP das Domésticas', que beneficiou mais de 7,2 milhões de empregadas (aos) domésticas (os) do país inteiro. 

Então, acredito plenamente que os trackings (pesquisas telefônicas) feitos pelo marqueteiro João Santana sob a encomenda  do Palácio do Planalto, que mostram que a popularidade de Dilma e do seu governo permanecem intactos, e que comprovam a elevada popularidade do seu governo, estão totalmente corretos. 

Entendo que, de fato, o noticiário midiático agressivo contra Dilma quase não afeta a sua popularidade, pelos motivos já comentados aqui. 

Na melhor das hipóteses, esse noticiário apocalíptico mantém aqueles que já não gostam do PT, de Lula e de Dilma ativos, mobilizados e repercutindo (principalmente na Internet) e reproduzindo o mesmo discurso que a Grande Mídia divulga e produz o tempo inteiro. 

Mas a população, o cidadão comum, que está preocupado em trabalhar, estudar, conseguir um salário melhor, comprar uma casa nova, viajar, colocar os filhos na faculdade, enfim, o povo brasileiro está, essencialmente, preocupado em cuidar da própria vida e não liga a mínima para esses discursos 'politizados', ainda mais aqueles que são muito agressivos e extremistas. 


Mesmo sendo duramente atacado pela Grande Mídia o tempo inteiro, o PT é o partido preferido de 29% dos brasileiros, deixando o PSDB bem para trás, com apenas 4,5% das preferências. 
E como esta vida tem melhorado de forma gradual e consistente desde que Lula tomou posse como Presidente da República, em 2003, as pessoas continuam aprovando seus governos e votando em Dilma, Lula e, em menor grau, no PT. 

Logo, a elevada popularidade de Lula, Dilma e do PT devem-se à vários fatores concretos que melhoraram as condições de vida da população, como:

1) A queda do desemprego, que está no seu menor nível histórico. Em Dezembro de 2002 ele foi de 10,5%; em Dezembro de 2012 ele ficou em 4,6%. A taxa de desemprego de Abril deste ano, de 5,8%, foi a menor da série histórica. 

2) Aumento real dos salários, vide o salário mínimo (cuja renda está atrelada ao salários e rendimentos de 45,5 milhões de pessoas, e cujo poder de compra aumentou fortemente desde 2003. No período de 2003-2012, o aumento do salário mínimo ficou em 239%, contra uma inflação acumulada de 70,6% no mesmo período. 

Como resultado disso, o salário mínimo compra, hoje, o equivalente a 2,26 cestas básicas, o que é a maior relação da série histórica desde 1979, segundo diz o Dieese. 

E em todos os anos, desde 2003, a quase totalidade dos acordos salariais feitos pelos trabalhadores tem tido aumentos reais anualmente, como demonstra o Dieese. Em 2012, por exemplo, 95% das negociações salariais foram fechadas com a concessão de aumentos reais para os trabalhadores. 

3) A geração de 19 milhões de empregos formais entre 2003-2013: O número total de empregos formais no Brasil passou de 29 milhões, em 2002, para 48 milhões atualmente. Isso significa que 39,6% de TODOS os empregos formais existentes hoje no Brasil foram criados nos governos Lula-Dilma;

4) Inflação controlada: Ela está em 6% ao ano, em média, entre 2005-2012 e as previsões para este ano são de que ficará abaixo disso, em torno de 5,7%.

Assim, não é à toa que a pesquisa do Datafolha mais recente apontou que o governo Dilma é considerado ótimo/bom por 65% dos brasileiros. 

Segundo o Datafolha, "o governo Dilma Rousseff deve essa aprovação, principalmente, a políticas sociais e à condução da economia. É o que mostra resultado de levantamento do Datafolha que questionou os brasileiros os motivos pelos quais aprovam ou reprovam a gestão da petista. As respostas foram espontâneas, e os entrevistados puderam citar mais de uma razão para sua avaliação".

Portanto, entendo que, enquanto as condições de vida da imensa maioria da população continuarem melhorando, esse bombardeio midiático brutal e agressivo não surtirá nenhum efeito na popularidade da presidenta Dilma e do seu governo. 

Somente uma crise econômica e social muito forte, com a disparada da inflação, aumento do desemprego, arrocho salarial, é que poderia colocar em risco as chances de Dilma conseguir a reeleição em 2014. Caso esta crise não aconteça, então penso que Dilma já pode encomendar a faixa da posse para iniciar o seu segundo mandato, pois a população, na sua imensa maioria, continuará ignorando todo esse monte de baboseiras e asneiras monumentais produzidas pela Grande Mídia sobre o seu governo. Até porque, virtualmente tudo que a Grande Mídia diz a respeito dos mais variados acabar por não se confirmar. 


No início de 2013, a Grande Mídia anunciou, com estardalhaço, que o Brasil estava muito próximo de sofrer com um racionamento de energia. Até agora o mesmo ainda não começou...

Exemplos: 

A) O racionamento de energia elétrica, anunciado com estardalhaço pela Grande Mídia no início deste ano e que, até agora, não começou;

B) A disparada da inflação, que também não aconteceu, sendo que os índices mostram que ela está despencando. O IGP-M, da FGV, mostrou inflação de 0% no mês de Maio, fato este que foi ignorado pela Grande Mídia. 

C) A anunciada 'quebra da Petrobras', que acabou de conseguir um empréstimo de US$ 11 bilhões no mercado financeiro internacional para financiar parte dos seus imensos investimentos que serão feitos nos próximos anos (e que chegarão a US$ 236 bilhões). E a oferta de empréstimos para a empresa chegou a US$ 42 bilhões, muito acima do que ela acabou emprestando. 

Até o momento nenhum 'analista' da Grande Mídia apareceu para explicar porque, afinal, tantas instituições financeiras querem emprestar tanto dinheiro para uma empresa 'quebrada'...

Estes são apenas alguns dos cenários apocalípticos divulgados pela Grande Mídia nos últimos meses e que acabaram não se confirmando. 

Logo, não é nenhuma surpresa que a imensa maioria dos brasileiros acabe por ignorar todo esse noticiário midiático que anuncia, com todo a força, que o Brasil está afundando e a caminho do abismo.

O grande problema desse discurso patético e mentiroso produzido pela Grande Mídia,  e que é repercutido pelos idiotas fanatizados e desinformados que acreditam na mesma, é que ele insiste em entrar em conflito com a realidade, levando a que o mesmo seja ignorado pela imensa maioria dos brasileiros.

E enquanto isso acontecer, Lula, Dilma e o PT não terão nenhum motivo para se preocupar. 

Mas o mesmo não poderá ser dito a respeito desta Grande Mídia reacionária e golpista e tampouco sobre essa oposição mentirosa, incoerente, demagógica e patética. 

E é isso que explica o desespero deles (Grande Mídia, Oposição retrógrada) e que os leva a produzir tantos factóides patéticos e mentirosos, ficando presos a um interminável círculo vicioso e do qual eles não sabem como sair. 

Que continue assim. 


Obs: Abaixo, vou reproduzir um trecho do meu texto (que publiquei em Janeiro de 2012 nos meus blogs) onde procuro citar um caso que demonstra bem essa minha tese a respeito do fato de que os brasileiros ignoram o discurso midiático ultra-politizado e extremista contra Lula, Dilma e o PT. 


Duranta a campanha presidencial de 2010, a Grande Mídia e a campanha de José Serra ficaram semanas intermináveis falando sobre uma suposta e nunca confirmada 'quebra de sigilo' das contas de Eduardo Jorge. Mesmo assim, brasileiros com curso superior completo e acesso à informação não faziam a menor ideia de quem era este sujeito. 

Povo brasileiro não dá a mínima para a brigalhada política - por Marcos Doniseti!

Isso ajuda a explicar, inclusive, porque a popularidade de Lula, e agora, de Dilma permanecem tão elevadas mesmo com um noticiário político tão negativo. É que as pessoas estão se lixando para toda essa brigalhada política. 

Aliás, isso é uma coisa que eu já venho dizendo e há muitos anos.

Inclusive, observo esse desprezo da população pela escandalização da política nas minhas relações com amigos e conhecidos, que não dão a mínima para essas denúncias e acusações contra ministros disso ou daquilo, acusações de corrupção contra 'fulano, beltrano e sicrano'. 

Lembro-me que, numa ocasião, na época da campanha presidencial de 2010, no auge do noticiário a respeito da “quebra do sigilo do Eduardo Jorge”, quando não se falava de outro assunto na Grande Mídia e na Internet, eu estava almoçando com outros sete colegas de trabalho e perguntei a eles quem sabia alguma coisa sobre o Eduardo Jorge.

Ninguém soube responder e isso aconteceu depois de umas três semanas, pelo menos, em que a Grande Mídia não falava de outro assunto.

A pessoa que chegou mais perto da resposta correta perguntou: ‘Esse Eduardo Jorge não é o vice do Serra?”…

Isso comprova que todo esse noticiário midiático a respeito de conflitos e escândalos políticos é solenemente ignorado pela quase totalidade da população. Essas baboseiras sobre conflitos políticos, quedas de ministros, acusações disso ou daquilo, entram todas por um ouvido das pessoas e saem, rapidamente, pelo outro. 

Ninguém liga a mínima para todas essas baboseiras, pois não são assuntos diretamente relacionados à vida das pessoas como são, por exemplo, a questão da educação, do saneamento básico, do transporte coletivo, das enchentes,  da segurança pública, dos congestionamentos, entre outros que, de uma forma ou de outra, afetam a vida da população.  

A Grande Mídia golpista somente não descobriu isso, ainda, porque ela é comandada por um bando de fanáticos e de reacionários que vive numa realidade paralela e que não tem nada a ver com a vida dos cidadãos comuns.

Quem sabe, um dia, eles descobrem a América e passam a perceber que a população está preocupada com a sua própria vida e não com essa brigalhada política que sempre existiu e que sempre existirá.

Links:

Povo está se lixando para a brigalhada política!

http://guerrilheirodoanoitecer.blogspot.com.br/2012/01/povo-nao-da-minima-para-brigalhada.html

Tracking  do Planalto explica a indiferença do governo Dilma aos ataques da Grande Mídia - por Eduardo Guimarães:

http://www.blogdacidadania.com.br/2013/06/tracking-do-planalto-explica-sua-indiferenca-a-ataques-da-midia/#comment-551514

Datafolha: Políticas sociais e economia alavancam aprovação a Dilma:

http://datafolha.folha.uol.com.br/opiniaopublica/2013/03/1259083-politicas-sociais-e-economia-alavancam-aprovacao-a-dilma.shtml


Pesquisas feitas pelo instituto Vox Populi demonstram que os governos Lula-Dilma são melhor avaliados do que o de FHC em todos os quesitos: educação, saúde, combate à inflação, desemprego, segurança, economia, etc, etc, etc...

A herança de FHC - por Marcos Coimbra:

http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/a-heranca-de-fernando-henrique-por-marcos-coimbra

PT é o partido preferido de 29% dos brasileiros, diz o Datafolha:

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/poder/100181-desempenho-do-pt-no-governo-e-bem-visto.shtml

Marcos Coimbra - Grande Mídia e Oposição estão muito distantes do povo e próximos demais de FHC!


Dieese: Poder de compra do salário mínimo, hoje, é a maior desde 1979:


Brasil possui mais de 7,2 milhões de empregadas domésticas:


95% dos acordos salariais tiveram aumento real em 2012:


Petrobras capta US$ 11 bilhões no mercado internacional. Oferta para a empresa chegou a US$ 42 bilhões:

Nenhum comentário: