domingo, 9 de junho de 2013

Queda da avaliação do governo Dilma - "É a cesta básica, estúpido'! - por Marcos Doniseti!

Queda da avaliação do governo Dilma - "É a cesta básica, estúpido'! - por Marcos Doniseti!

Pesquisa Datafolha mostra limites para atuação política da Grande Mídia!


Para esse povo que a presidenta Dilma está cumprimentando, nada é mais importante do que emprego, salário e cesta básica com preços controlados. Se garantir tudo isso, Dilma irá se reeleger até com certa facilidade em 2014.
Mesmo depois de cinco meses de um massacre midiático diário, popularidade de Dilma permanece em patamar elevado. Índice de ruim-péssimo teve apenas um oscilação de 7% para 9%, dentro da margem de erro. 

Tudo indica que o forte aumento do preço da cesta básica nos últimos 12 meses, em especial no período de Janeiro a Abril deste ano, teve uma influência muito maior na queda da avaliação do governo Dilma do que os ataques da Grande Mídia. 

Tais ataques somente acabam tendo uma repercussão mais significativa na popularidade do governo quando eles refletem um problema real, concreto, enfrentado pela população. Do contrário, eles não surtem efeito algum. 

A nova pesquisa do Datafolha apontou uma queda de 7% na avaliação do governo Dilma, cujo índice de ótimo-bom caiu de 64% para 57% em relação à pesquisa anterior, realizada em Março. Porém, nenhum dos candidatos de oposição ao seu governo se beneficiou claramente disso. 

E é bom não esquecer que essa queda da popularidade do governo Dilma se deu num cenário em que o preço da cesta básica subiu bastante no Brasil inteiro nos primeiros meses deste ano. E mesmo somando isso com todo o massacre midiático que o seu governo sofreu nestes cinco primeiros meses de 2013, Dilma ainda mantém um índice de aprovação bastante elevado. 

Mas a pesquisa não foi ruim, não, justamente por isso, ou seja, que se o governo Dilma teve uma mera oscilação de 2 p.p. no índice de ruim-péssimo (que passou de 7% para 9%, ou seja, apenas oscilou dentro da margem de erro), mesmo com todo esse massacre midiático diário que sofreu desde o início do ano, e outros 6 p.p. passaram de ótimo-bom para regular (grande parte deste é regular positivo e tende a votar em Dilma, até por falta de uma alternativa melhor), então penso que o resultado não foi tão ruim, não, para Dilma. 

Se eu fosse dono da Veja, Globo, Folha ou Estadão ficaria frustrado com a pesquisa. Pelo massacre que o governo Dilma sofreu, a queda dela deveria ter sido muito maior e o índice de ruim-péssimo deveria ter chegado a uns 25-30%, pelo menos. E Dilma deveria ter caído para uns 40% das intenções de voto. 

No entanto, os números de Dilma são muito melhores do que esses: O seu governo ainda é considerado ótimo-bom por 57% dos brasileiros e Dilma tem 58,6% das intenções de votos (válidos). 

O interessante é que a razão principal para a queda da aprovação de Dilma são as expectativas da população para o futuro. 

Logo, a a anunciada 'quebra' da Petrobras, o anúncio de um inevitável racionamento de energia, entre outras mentiras asquerosas inventadas pela Grande Mídia, não interferiram nessa mudança de avaliação que foi aferida pela pesquisa Datafolha. 

Assim, o máximo que a Grande Mídia conseguiu depois de cinco meses de massacre diário contra o governo Dilma foi colocar algumas 'minhocas' na cabeça de uma parte do eleitorado que, agora, está em compasso de espera, aguardando o que irá acontecer com o país e a sua vida nos próximos meses. 

Para mim, na verdade, o que mais deve ter influenciado na queda da avaliação do governo Dilma foi o aumento do preço da cesta básica. Segundo o Dieese, o valor desta cresceu bastante nos primeiros cinco meses deste ano.  

Notícia divulgada pelo portal G1, "Nos cinco primeiros meses do ano, as 18 capitais apresentaram alta nos preços da cesta básica. Os maiores avanços partiram de João Pessoa (20,49%), Aracaju (17,97%) e Natal (17,53%). Os menores aumentos foram verificados em Florianópolis (5,69%), Belo Horizonte (8,22%) e Porto Alegre (9,78%).". 

Segundo notícia divulgada pela Agência Brasil, "Os alimentos são responsáveis por praticamente a metade do índice de inflação acumulada nos últimos doze meses, que é de 6,50%, o teto da meta estipulada pelo governo. No ano de 2013, os alimentos acumulam 5,98% de inflação, mais que o dobro do registrado no mesmo período do ano anterior, 2,56%.".

Mas a mesma notícia trouxe a seguinte informação: "A cesta básica ficou mais barata, em maio, em 12 das 18 capitais analisadas pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). Segundo o Dieese, essa predominância de redução de preços dos produtos da cesta básica não ocorria desde novembro do ano passado.".

Mas agora, como a nova safra agrícola, a maior da história do país (185 milhões de toneladas de grãos), começa a chegar ao mercado, isso irá acarretar a queda nos preços dos produtos da cesta básica. 

Logo, o tiro midiático tem grandes chances de sair pela culatra, pois é claro que o cenário apocalíptico, principalmente com relação a emprego e salário, criado pela Grande Mídia, não irá se confirmar nos próximos meses (e nem anos...). Até porque o preço da cesta básica já começou a cair, segundo o Dieese. 

E vejam que a inflação medida pelo IPC-Fipe foi de 0,1% em Maio e pelo IGP-M foi de 0% no mesmo mês. O IPCA (inflação oficial) de Maio veio em 0,37%, desacelerando em relação aos 0,55% de Abril. E a taxa de desemprego de Abril ficou em 5,8%, a menor da história para o mês. 

A economia brasileira acelerou no primeiro trimestre, crescendo 0,6% (2,5% anualizados) com o Brasil sendo o quinto país que mais cresceu no mundo (entre as principais economias mundiais), ficando atrás apenas de China, Índia, Japão e Coréia do Sul. Os investimentos produtivos voltaram fortes entre Janeiro e Abril, com os desembolsos do BNDES aumentando 59%. E para o setor industrial eles cresceram 113%. 

A produção industrial brasileira cresceu 8,4% em Abril, sobre o mesmo mês de 2013, surpreendendo a Grande Mídia reacionária e mentirosa, que vinha apostando numa piora do cenário para o setor. As vendas de veículos 

A taxa de desemprego brasileira continua no menor patamar histórico, na comparação mês a mês, tendo ficado em 5,8% em Abril deste ano, contra 6% no mesmo mês de 2012. Assim, ela tem uma tendência de queda. Para o ano que vem já está garantido um reajuste do salário mínimo, que deverá chegar a R$ 725. 

Portanto, neste cenário, não vejo como Dilma poderá continuar caindo nas próximas pesquisas. 

Inclusive, nesta pesquisa Datafolha, em votos válidos, Dilma alcançou um índice de 58,6%, o que permitiria que ela liquidasse com a eleição já no primeiro turno. 

Entendo que tudo aponta, a partir de agora, para uma certa estabilidade dos índices de aprovação do governo Dilma. Quem tinha que se deixar influenciar pelo massacre midiático e pelo aumento dos preços da cesta básica (fato ao qual a Grande Mídia deu um destaque imenso, como já era previsível), já foi influenciado. 

Em um momento futuro, inclusive, penso que aprovação de Dilma deverá voltar a subir, quando ficar claro que o cenário de 'fim de mundo' criado pela Grande Mídia para o Brasil não terá se confirmado e os preços da cesta básica voltarem a recuar, o que já começou a acontecer em Maio, segundo Dieese. 

Portanto, Dilma ainda é a favorita absoluta para vencer a eleição presidencial, como até o jornalista Fernando Rodrigues (do UOL) reconheceu. 

Mas que Dilma precisa acordar e passar a confronta a oposição midiática, isso é mais do que óbvio. E ela também precisa se esforçar ao máximo para manter os preços da cesta básica sob controle. 

Se Dilma conseguir fazer isso num cenário de continuidade do crescimento econômico e de queda, mesmo que num ritmo menor, da taxa de desemprego, nem todo o massacre midiático do mundo conseguirá impedir a sua vitória na eleição presidencial de 2014. 

Que assim o faça. 

Links:

Com 51%, Dilma continua favorita para a eleição presidencial:

http://www1.folha.uol.com.br/poder/2013/06/1292128-com-51-dilma-continua-favorita-na-corrida-eleitoral.shtml

Produção industrial cresceu 8,4% em Abril:

http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2013-06-04/producao-industrial-avanca-18-em-abril

Cesta Básica fica mais barata em 12 de 18 capitais em Maio, diz Dieese:

http://g1.globo.com/economia/seu-dinheiro/noticia/2013/06/cesta-basica-fica-mais-barata-em-12-cidades-em-maio-diz-dieese.html

Brasil é o 5o. maior mercado em vendas de carros no 1o. trimestre de 2013:

http://g1.globo.com/carros/noticia/2013/05/brasil-fica-como-5-maior-do-mundo-em-vendas-de-carros-no-1-trimestre.html

Produção de veículos no Brasil cresceu 18,6% entre Janeiro e Maio: Vendas aumentaram 8,6% no mesmo período:

http://economia.uol.com.br/noticias/efe/2013/06/06/producao-de-veiculos-no-brasil-bate-novo-recorde-em-maio.htm

Desembolsos do BNDES crescem 59% entre Janeiro e Abril deste ano:

http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2013-06-06/desembolsos-do-bndes-crescem-59-entre-janeiro-e-abril-deste-ano

Alimentos têm menor inflação desde Março de 2012:

http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2013-06-07/alimentos-tem-menor-inflacao-desde-marco-do-ano-passado

Fernando Rodrigues: Dilma ainda é a favorita para 2014:

http://fernandorodrigues.blogosfera.uol.com.br/2013/06/08/mesmo-com-queda-dilma-supera-lula-e-fhc-com-folga/

Nenhum comentário: