terça-feira, 9 de julho de 2013

As críticas patéticas ao programa 'Mais Médicos Mais Saúde'! - por Marcos Doniseti!

As críticas patéticas ao programa 'Mais Médicos Mais Saúde'! - por Marcos Doniseti! 


Objetivos principais do programa 'Mais Médicos Mais Saúde'.

Muitos médicos que criticam o programa 'Mais Médicos', apresentado pelo governo Dilma nesta segunda-feira, dizem que não adianta levar médicos para as regiões carentes e para as periferias das cidades se não existir infra-estrutura adequada para se trabalhar nas mesmas.

Isso é verdade. 

Mas, pergunto a estes médicos: De que adiantaria o governo investir na criação dessa infra-estrutura (ampliando e construindo hospitais, UPAs e unidades básicas de saúde, por exemplo) se nenhum médico aceitasse ir trabalhar nestas regiões?

O governo estaria jogando dinheiro no lixo, com a ampliação e a construção destes novos equipamentos públicos, que acabariam se transformando em obras abandonadas, certo? 

Daí, poderíamos ter inúmeros hospitais, UPAs, etc, construídos e bem equipados, oferecendo todas as condições de trabalho, mas que não funcionariam porque não existiriam médicos para trabalhar nestas unidades? 

E daí estes mesmos médicos que, agora, atacam o programa criado pelo governo Dilma, criticariam o governo dizendo algo como 'Tá vendo como o governo é incompetente? Gastou bilhões de Reais em obras e esqueceu de levar os médicos para trabalhar nos hospitais e nas unidades de saúde!!'.

É por isso mesmo, inclusive, que o programa do governo Dilma prevê as duas medidas: construir e equipar novas unidades de saúde (hospitas, UPAs, etc) e estimular os médicos para trabalhar nos mesmos.

No portal do Ministério da Saúde, pode-se ler o seguinte:

'As medidas integram o Pacto pela Saúde, lançado pela presidenta Dilma em reunião com governadores e prefeitos de capitais no último dia 24, que prevê a expansão e a aceleração de investimentos por mais e melhores hospitais e unidades de saúde e por mais médicos, totalizando R$ 15 bilhões até 2014. Deste montante, R$ 7,4 bilhões já estão contratados para construção, reforma e ampliação de 818 hospitais, 601 Unidades de Pronto Atendimento (UPAs 24h) e de 15.977 unidades básicas. Os outros R$ 5,5 bilhões serão usados na construção, reforma e ampliação de unidades básicas e UPAs, além de R$ 2 bilhões para 14 hospitais universitários'.

Assim, ao contrário do que se diz, o programa não se limita a levar médicos para trabalhar onde eles estão ausentes, mas também prevê muitos investimentos na reforma, ampliação e construção de novas unidades e equipamentos públicos para o setor. 

O que se deve fazer é acompanhar a execução do programa e cobrar que todas as ações previstas no mesmo sejam, de fato, implementadas. 

Somente assim será possível melhorar a qualidade dos serviços públicos de saúde oferecidos ao povo brasileiro, que faz jus à um serviço de saúde que seja decente e digno e que se preocupe, antes de mais nada, em cuidar da sua saúde e não com o lucro e o acumulo de riquezas por parte de laboratórios farmacêuticos, empresas e médicos que apenas desejam trabalhar nos grandes centros urbanos e nas regiões mais ricas da cidade, prestando serviços, quase que exclusivamente, para a parcela mais abastada da população. 

Portanto, declaro todo apoio ao programa 'Mais Médicos Mais Saúde' do governo Dilma e torço para que o mesmo seja bem sucedido. 

O povo brasileiro, extremamente carente no atendimentos às suas necessidades na área da saúde pública, penhoradamente agradece.

Link:

http://portalsaude.saude.gov.br/portalsaude/noticia/11752/162/programa-mais-medicos-levara-profissionais-a-regioes-carentes.html

Nenhum comentário: