sábado, 26 de outubro de 2013

Ildo Sauer e a entrevista repleta de asneiras ao 'Viomundo' - por Marcos Doniseti!

Ildo Sauer e a entrevista repleta de asneiras ao 'Viomundo' - por Marcos Doniseti!




Se depender do Ildo Sauer, o petróleo do pré-sal ficará deitado eternamente em berço esplêndido nas profundezas do Oceano Atlântico, enquanto o Brasil continuará convivendo com pobreza e miséria em larga escala por toda a eternidade. 

Afinal, ele já afirmou que o petróleo do pré-sal somente deveria ser extraído depois que o mesmo fosse contado, barril por barril. Quanto tempo iria demorar isso? Ele não disse. 

Para o sr. Ildo Sauer, o Brasil é uma Noruega (país número 1 no IDH da ONU) e pode se dar ao luxo de 'controlar' a produção do pré-sal, deixando o mesmo guardado para um futuro incerto, no qual o petróleo, talvez, já não terá a mesma importância (e nem o mesmo valor) de hoje. 

Os argumentos que ele apresenta na entrevistas são fracos, muito fracos, pois o Estado brasileiro ficará com 85% da renda do pré-sal, como disse a Presidenta Dilma em seu discurso na TV após a realização do leilão do Campo de Libra. E os dados que ela apresentou foram confirmados pelo Fernando Brito, no Tijolaço (vide link: http://tijolaco.com.br/index.php/serra-claro-critica-o-leilao-nao-vai-dar-para-cumprir-o-prometido-a-chevron/ ).

Além disso, 60% dos investimentos no Campo de Libra serão feitos pelas empresas estrangeiras, mas o Estado ficará com 2/3 da produção. 

E a PetroSal, de grande importância e sobre a qual nada se fala, terá o poder de vetar qualquer decisão dos consórcios produtores. 

A PetroSal (ou seja, o Estado brasileiro) é que determinará qual será o grau mínimo de nacionalização dos equipamentos usados no pré-sal e que terá a palavra final em todos os assuntos relacionados ao mesmo. 

Mas Sauer nem comenta isso. Porque será, hein? 

A exploração do pré-sal também dará um impulso imenso ao processo de industrialização do país. Será algo comparável, e muito maior em escala, ao que representou a criação da Petrobras, da CSN, da Vale e do BNDES durante a Era Vargas. 

Assim, teremos o início de um novo ciclo de desenvolvimento econômico e social no Brasil e que impulsionará o crescimento do país por várias décadas seguidas. Estimativas já apontam para a criação de 87 milhões de empregos gerados no país durante os próximos 30 anos. 

Quando tivemos algo assim em nossa história? Nunca, é claro. 

E tudo isso acontecerá porque as regras do Regime de Partilha, criadas pelo governo Lula, entregaram ao Estado (e não às empresas privadas) as decisões, de fato, a respeito do pré-sal. 

Aliás, foi justamente por isso (e a revista neoliberal 'Exame', da Editora Abril, confirmou) que a Exxon, Chevron, Mobil, BP e BP ficaram de fora do leilão. 

Elas agiram assim porque sabem que as regras do Regime de Partilha beneficiam muito mais ao Estado brasileiro do que às empresas estrangeiras. 

E os chineses, como qualquer pessoa bem informada sabe, não estão preocupados com o preço do petróleo, pois tem mais de US$ 3 trilhões em reservas (e dinheiro para comprá-lo, portanto, não falta), mas sim com a garantia de fornecimento do produto, que é essencial para a continuidade do seu processo de crescimento econômico. 


Como se percebe, possuir um 'currículo invejável' não impede ninguém de sair falando asneiras a granel por aí, como fez o sr. Ildo Sauer. 


Links:

http://www.viomundo.com.br/denuncias/ildo-sauer.html

http://oglobo.globo.com/economia/investimentos-no-pre-sal-para-os-proximos-30-anos-movimentarao-us-17-trilhao-10440618

http://tijolaco.com.br/index.php/serra-claro-critica-o-leilao-nao-vai-dar-para-cumprir-o-prometido-a-chevron/

http://exame.abril.com.br/economia/noticias/os-perigos-do-campo-de-libra

http://tijolaco.com.br/index.php/dilma-quem-quer-mudar-a-regra-do-petroleo-que-mostre-a-cara-assista/

Nenhum comentário: