sexta-feira, 22 de agosto de 2014

O Brasil antes de Lula e Dilma e o atual! - por Marcos Doniseti!

O Brasil antes de Lula e Dilma e o atual! - por Marcos Doniseti!


Lula e Dilma: Em seus governos o Brasi acumulou uma série de avanços e melhorias econômicas e sociais, como a forte redução do desemprego, o aumento do poder de compra dos salários e a elevação das exportações e das reservas internacionais.

Antes dos governos de Lula e Dilma o Brasil era um país muito, mas muito pior do que aquele que temos hoje. Desemprego gigantesco, salários baixos, inexistência de oferta de crédito para a economia, juros escorchantes, ausência de investimentos públicos em infra-estrutura e na área social, dívidas imensas com o FMI, reservas internacionais baixíssimas, salário mínimo arrochado eram algumas das principais características do país no final de 2002. 

Agora, temos um país muito mais forte, rico, justo e soberano. Muito ainda está por ser feito, mas se isso acontece é porque os governos anteriores aos de Lula e Dilma não fizeram a sua parte.

Se alguém duvida disso, então publico abaixo alguns dados comparativos, nas mais variadas áreas, sobre a situação do Brasil antes de 2002 e aquela que temos atualmente.

1) Exportações:

2002: US$ 60 bilhões;
2013: US$ 242 bilhões (crescimento de 303%);

2) Reservas Internacionais:

2002: US$ 17 bilhões;
2014: US$ 380 bilhões (crescimento de 2135%);

3) Produção de Veículos:

2002: 1.700.000;
2013: 3.500.000 (crescimento de 105,9%);

4) Vendas de Veículos:

2002: 1.500.000;
2013: 3.500.000 (crescimento de 133,3%);

5) Safra de Grãos:

2002: 97.000.000 de toneladas;
2014: 192.500.000 de toneladas (98,5%);

6) Salário Mínimo:

2002: R$ 200;
2014: R$ 724 (reajuste de 262%);

7) PIB:

2002: US$ 459 bilhões;
2013: US$ 2,2 Trilhões (crescimento de 379,3%);

8) Balança Comercial:

1995-2002: Déficit de US$ 8,7 bilhões;
2003-2013: Superávit de US$ 311 bilhões;

9) Inflação Anual:

2002: 12,5%;
2013: 5,9% (redução de 52,8%);

10) Taxa de Desemprego (média anual):

2002: 12,6%;
2013: 5,4% (redução de 57,1%);

11) Oferta de Crédito:

2002: 23% do PIB:
2013: 56,5% do PIB (crescimento de 145,7%);

12) Taxa de Juros (Selic):

2002: 25% ao ano;
2014: 11% ao ano (redução de 56%);

13) Empregos Formais Criados:

1995-2002: 5.000.000;
2003-2014: 20.000.000 (crescimento de 300%);

14) Petrobras - Faturamento:

2002: R$ 97 bilhões;
2013: R$ 281 bilhões (crescimento de 189,6%);

15) BNDES - Desembolsos:

2002: R$ 38 bilhões;
2013: R$ 190 bilhões (crescimento de 400%);

16) Bolsa Família - Orçamento anual:

2002: Zero (não existia);
2014: R$ 24 bilhões;

17) ProUni (estudantes beneficiados):

1995-2002: Zero (não existia);
2003-2012: 1.560.000;

18) Pronaf - Orçamento Anual:

2002: R$ 2 bilhões;
2014: R$ 21 bilhões (crescimento de 950%);

19) Pronatec (número de beneficiados):

1995-2002: Não Existia;
2003-2014: 8.000.000;

20) Minha Casa Minha Vida (moradias entregues):

1995-2002: Zero (Não Existia);
2003-2014: 1.700.000; Outras 1.700.000 já foram contratadas;

21) Salário Mínimo (em US$):

2002: US$ 56;
2013: US$ 325 (crescimento de 480,4%);

22) Reajuste da Tabela do Imposto de Renda:

1995-2002: 17,5%;
2003-2014: 67,7%;

23) Renda Per Capita:

2002: US$ 2.500;
2013: US$ 11.000 (crescimento de 340%);

24) PIB - Ranking Mundial:

2002: 15a. economia mundial;
2013: 6a. economia mundial;

25) Déficit Público Nominal:

2002: 4% do PIB;
2013: 3,28% do PIB (redução de 18%);

26) Dívida Pública Líquida (em % do PIB):

2002: 60,4% do PIB;
2013: 33,6% do PIB;

27) Dívida Pública Líquida (em Reais):

2002: R$ 3,0 Trilhões;
2013: R$ 1,6 Trilhão (redução de 46,7%);

28) Universidades Federais construídas:

1995-2002: 1;
2003-2014: 14;

29) Escolas Técnicas Federais construídas:

1995-2002: 11;
2003-2014: 422 (crescimento de 3736%);

30) Taxa de Inflação (média anual):

1995-2002: 9,1%;
2003-2014: 6% (redução de 34,1%);

31) Número de empregos formais:

2002: 28.600.000;
2014: 49.000.000 (crescimento de 74,8%);

32) Inflação Acumulada:

1995-2002: 100,6%;
2003-2013: 79,4%.

4 comentários:

José Celso Garcia disse...

Prezado "guerrilheiro"

Correção no item 29:

29) Escolas Técnicas Federais construídas:
1995-2002: 11;
2003-2014: 422 (crescimento de 37,4%);

Crescimento de 38,4 vezes ou 3836%
Um crescimento de apenas 37,4% daria somente 4 escolas a mais, ou seja, 15.

Antônio Augusto Zoppi disse...

GLÓRIA A DEUS.
DOIS HOMENS SEM DIPLOMA: UM MATUTO MINEIRO E OUTRO RETIRANTE DA SECA. MOSTRAM PARA O MUNDO QUE ATENDENDO OS NECESSITADO, DISTRIBUINDO A RENDA NACIONAL, MELHORA A ECONOMIA E FAZ A NAÇÃO FICAR FORTE E SOBERANA.
DEUS CONFUNDE A INTELIGÊNCIA DOS DOUTORES. TRANSFORMA OS PEQUENINOS PARA FAZER VALER A VONTADE DO PAI DO CÉU.

Equipe Apoio a Crianças Especiais disse...

Boa tarde,é realmente inacreditável como o povo não vê a mudança e não rebate esses que querem ter de volta o poder para massacrar novamente o povo de menor poder aqisitivo ,mas vamos vencer sabemos que não é facíl mas também não é impossivél ,precisamos de equidade para o nosso Brasil.

Oscarlinda Kruger disse...

Só não vê quem vive distante, na frente da Globo!