domingo, 11 de janeiro de 2015

A Esquerda Taleban Tupiniquim! - Marcos Doniseti!

A Esquerda Taleban Tupiniquim! - Marcos Doniseti!

O Boko Haram e as 200 mulheres sequestradas pelo grupo radical islâmico. 

Quero pedir aos petistas e esquerdistas brasileiros que tenham muito cuidado com as ideias e posturas que adotam e defendem. 

No recente e intenso debate que está sendo travado no país, nas redes sociais em especial, a respeito do atentado em Paris, alguns esquerdistas estão demonstrando uma indignação maior com os chargistas do Charlie Hebdo do que com os terroristas que os assassinaram de forma covarde e a sangue frio.

Muito cuidado com isso: O mesmo sentimento de intolerância que estamos vendo contra o Charlie Hebdo poderá vir a se intensificar fortemente contra os petistas-esquerdistas, futuramente, aqui no Brasil. Até porque ele já existe e está crescendo fortemente, tal como ficou mais do que evidente na mais recente eleição presidencial, quando tivemos até caso de estupro (no RJ) e de assassinato (em Curitiba) de petistas. 

E daí poderemos vir a ser vítimas do mesmo tipo de violência que os terroristas islâmicos usaram contra os chargistas do Charlie Hebdo. Não é à toa que alguns expoentes da Grande Mídia reacionária e golpista (caso de Marco A. Villa) já estão tentando relacionar o PT com o ISIS/Estado Islâmico. 

O sentimento de intolerância, quando se torna dominante na sociedade, pode se voltar contra qualquer um e geralmente é sempre contra os mais fracos, ou seja, contra os assalariados, petistas, de esquerda, integrantes das classes trabalhadoras, de movimentos sociais (sem-terra, sem-teto, LGBT...) e contra aqueles que lutaram contra a Ditadura Militar e pela Redemocratização do país e que desejam construir um país melhor para todos. 

Quando Adolf Hitler apareceu no cenário político alemão, logo após o final da Primeira Guerra Mundial, usando de um discurso e de uma prática de extrema-direita, agressiva, intolerante, anti-democrática, ele começou atacando judeus, liberais e comunistas, em especial.

E depois, quando já estava solidamente instalado no poder, essa política brutal, agressiva e intolerante fez vítimas até entre bebês recém-nascidos que tinham qualquer tipo de deficiência, os quais eram mortos na Alemanha Nazista. Duvidam disso? Então, sugiro a leitura do livro 'Ascensão e Queda do Terceiro Reich', de William Shirer, que é um clássico sobre o movimento e o regime Nazistas.

O então presidente dos EUA Ronald Reagan reunido com líderes mujahideen, extremistas islâmicos, que lutavam contra o exército soviético no Afeganistão. Como sempre, os EUA adoram alimentar corvos que, posteriormente, se voltam contra os próprios EUA e outros países ocidentais. O mesmo erro foi cometido recentemente com relação ao ISIS/Estado Islâmico.

Muitos petistas-esquerdistas (entre os quais me incluo)  criticam os EUA, a França e o Reino Unido (e com total razão), em especial, pelo fato dos governos destes países apoiarem e financiarem, em diferentes locais e momentos, grupos de extremistas islâmicos, quando os mesmos podem ser usados e instrumentalizados de acordo com os interesses dos Impérios Capitalistas pelo mundo afora. 

Isso é a mais pura verdade e já comentei sobre o assunto em vários textos, em minha página no Facebook e nos meus blogs, dizendo que, ao agirem desta maneira, os governos do Ocidente imperialista cometem um gravíssimo erro político e estratégico, pois estão alimentando e fortalecendo forças obscurantistas que tem ideias e objetivos totalmente diferentes e opostos aos do Ocidente. 

Vide o caso do Taleban, que foi criado pelo Serviço Secreto do Paquistão para lutar contra os soviéticos no Afeganistão e que recebeu centenas de milhões de dólares dos EUA em ajuda militar. Ronald Reagan, então presidente dos EUA, classificava esses extremistas islâmicos (os mujahidin) como sendo os 'Combatentes da Liberdade'. 

Mas vejam o que está acontecendo, agora, com tais grupos extremistas, que estão ficando cada vez mais fortes e se voltando justamente contra aqueles (EUA, França, R.Unido) que os alimentaram e os fortaleceram. 

Taleban, Al-Qaeda e ISIS/Estado Islâmico são alguns exemplos claros desse erro brutal de avaliação e de ação política que é cometido pelos países ocidentais imperialistas ao longo da história. 

E isso acontece porque, em algum momento, os objetivos políticos estratégicos, de longo prazo, dos grupos de radicais islâmicos entram em choque com os interesses do Ocidente, porque tais interesses são totalmente incompatíveis. 

Entre as principais ideias defendidas pelos radicais islâmicos (como é o caso do Wahabismo de origem saudita) está a total rejeição aos valores ocidentais, em todos os aspectos da vida (música, cultura, educação, política, direitos das mulheres, etc). 

E um dos principais objetivos do radicalismo islâmico é justamente o de expulsar as tropas dos países ocidentais de territórios de países muçulmanos. 

Mohammed ibn Abd al-Wahhab foi o criador do Wahabismo na Arábia Saudita durante o século XVIII. Essa vertente do islamismo é exportada pelo governo saudita para todo o mundo muçulmano, por meio do financiamento e do apoio à inúmeros grupos de radicais islãmicos, como são o caso da Al-Qaeda, do ISIS e do Boko Haram, entre outros. 


E se alguém pensa que 'o radicalismo islâmico é criação ocidental', como já vi afirmarem nas redes sociais, então o mesmo fique sabendo que o Wahabismo saudita foi criado por um teólogo islâmico (Mohammed ibn Abd al-Wahhab) no século XVIII. 

O fato concreto é que os interesses dos radicais islâmicos são totalmente incompatíveis com os do Ocidente, a médio e longo prazo. O fato de algum grupo de radicais islâmicos ter recebido apoio dos EUA, em algum momento, não os faz aliados do Ocidente. 

O IRA, Exército Republicano Irlândês, chegou a receber apoio da Alemanha Nazista quando lutava contra o Império Britânico, mas nem por isso eles tinham qualquer simpatia pelo Nazismo. Receber esse apoio não transformou o IRA numa organização nazista. 

Outro exemplo da incompatibilidade entre o radicalismo islâmico e os interesses ocidentais é a atuação do grupo radical islâmico Boko Haram, da Nigéria, que deseja proibir a existência de qualquer tipo de 'educação ocidental' no país, bem como deseja proibir que as pessoas usem calças (isso mesmo...). Na Arábia Saudita (Wahabista), que é a matriz religiosa e ideológica do Boko Haram, as mulheres são proibidas de dirigir um automóvel e de assistir a jogos de futebol e são enforcadas por defenderem os seus direitos.

E por aí vai...

Integrandes da Grande Mídia e da oposição reacionária e golpista, como é o caso de Marco A. Villa, já estão tentando, pateticamente, igualar o PT ao Estado Islâmico. Daí para se dar início e promover uma política de intolerância e de perseguição aos petistas não irá demorar muito, não. 

Então, sugiro que evitemos de cometer os mesmos erros que as potências imperialistas do Ocidente já cometeram em inúmeras oportunidades. Simples assim. 

Resumindo: Setores da esquerda brasileira estão estimulando um sentimento de intolerância na sociedade brasileira que poderá se voltar contra eles futuramente. O que é isso? Vocação suicida? 

É como dizem os espanhóis: Não crie corvos, pois quando eles crescerem irão comer os seus olhos.

E não digam que não foram avisados.


Links:

Arábia Saudita enforca mulher alegando pratica de 'bruxaria':

http://www.aldeiaglobal.net.br/2011/12/alegando-bruxaria-arabia-saudita.html?m=1

A colaboração entre o IRA (Exército Republicano Irlandês) e a Alemanha Nazista:

http://www.blogdasegundaguerra.com.br/?p=961

O Wahabismo Takfirista, os seus métodos e objetivos:

http://www.orientemidia.org/takfirismo-wahabista-e-terrorismo/

O radicalismo islâmico do Boko Haram:

http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2014/05/140513_boko_haram

O que é o Salafismo:

http://www.artigosenoticias.com/artigos/gerais/152/o_que_e_o_salafismo.html

Takfirismo, Salafismo, Wahabismo. Mas o que é isso?

http://www.vermelho.org.br/coluna.php?id_coluna_texto=5822&id_coluna=25

Nenhum comentário: