domingo, 25 de janeiro de 2015

A vitória do Syriza e as perspectivas da Europa!- Marcos Doniseti!

A vitória do Syriza e as perspectivas da Europa!- Marcos Doniseti!


Alexis Tsipras, líder do Syriza, e o ex-Presidente Lula, em reunião no Instituto Lula, em Dezembro de 2012. 

Um dos motivos para se comemorar a vitória do Syriza na Grécia é que, além de permitir o início de um projeto de reconstrução do país de Sócrates e Platão, agora o exemplo grego poderá começar a se espalhar pela Europa, o que seria muito bom, é claro. 

No final deste ano teremos eleição na Espanha e o 'Podemos', de esquerda (a versão local do Syriza grego... os dois partidos são muito próximos) tem liderado as pesquisas até o momento, à frente do PSOE e do PP, responsáveis por impor políticas de arrocho contra os trabalhadores e os mais pobres.

Outras nações europeias onde a Esquerda anti-austeridade poderia vir a crescer são Portugal e Itália, mas as eleições não estão tão próximas nestes países, infelizmente. 

A  vitória do Syriza foi mais do que previsível, pois as políticas neoliberais de arrocho e de austeridade foram verdadeiramente catastróficas para a Europa. 

Atualmente, o desemprego na UE está em 10%. Na Itália ele está em 13%, na Espanha em 23,7% e na Grécia ele chega a 25%. Os salários foram brutalmente arrochados e direitos sociais, trabalhistas e previdenciários foram eliminados. A concentração de renda disparou, as desigualdades sociais cresceram imensamente, a pobreza e a miséria dispararam. 

E todo esse arrocho, que foi imposto pela Troica (BCE, UE, FMI), não melhorou em nada a situação financeira da Grécia. Atualmente a dívida pública grega equivale a 175% do PIB, contra 165% do PIB de antes do início da crise. O poder de compra da população caiu 40%, empobrecendo enormemente aos gregos. Outro índice que mostra o quanto tal política foi trágica para os gregos é que o número de suicídios cresceu 45% no pais desde o começo da crise, em 2008. 

As políticas de austeridade anti-trabalhadores acabaram elevando a dívida pública, em vez de diminuí-la. Isso era mais do que previsível, pois o PIB grego caiu 25% como resultado do arrocho e da austeridade impostas ao povo da terra de Platão. 

Com uma queda tão forte do PIB, a arrecadação de impostos despencou (até porque com a crise a sonegação também cresceu bastante) e a dívida pública continuou representando uma parcela gigantesca da sua economia, ainda mais do que anteriormente. 


Assim, a política econômica imposta pela Troika (BCE, UE, FMI) fez com que os gregos, em termos de endividamento, ficassem enxugando gelo...


Alexis Tsipras e os seguidores do Syriza comemoram a vitória em Atenas. 

E é claro que, com tudo isso, o poder de compra da população desabou e o consumo desmoronou. Com isso, a inflação já é coisa do passado na UE, mas porque não há consumo. A crise europeia é tão profunda que a Zona do Euro já está em deflação. 

O BCE até anunciou, nesta semana, que irá comprar, mensalmente, 60 bilhões em ativos públicos e privados a fim de estimular a economia do Velho Mundo. Mas é claro que só isso não irá resolver o problema. 

A Europa precisa de muito mais do que isso. Ela necessita abandonar as políticas de austeridade e restaurar o poder de compra e os direitos dos trabalhadores. 

Somente assim será possível voltar a crescer, gerar emprego, elevar a arrecadação de impostos e, daí sim, reduzir a dívida pública. Será o aumento do PIB que irá reduzir a dívida pública e não a sua diminuição.

As propostas de governo do Syriza caminham justamente nessa direção. Esse é o caminho correto a ser seguido pela UE e não aquele imposto pela Troica, que foi verdadeiramente catastrófico.

Por isso é mais do que justificável comemorarmos essa importante vitória do Syriza na Grécia. Que o exemplo grego se espalhe pelo Velho Mundo e quanto mais rapidamente isso acontecer, melhor será. 

Avante, Syriza! 


Links:

Na Grécia, política de austeridade reduziu poder de compra em 40%:

http://pt.euronews.com/2015/01/19/alexis-tsipras-campeao-da-esperanca-numa-grecia-em-crise/

Troika e austeridade viraram coisas do passado na Grécia, diz Alexis Tsipras:

http://operamundi.uol.com.br/conteudo/noticias/39281/troika+e+austeridade+viraram+coisas+do+passado+na+grecia+diz+lider+do+syriza+apos+vitoria.shtml#/0

Alexis Tsipras:  Vitória do Syriza significa o fim da Troika:

http://www.esquerda.net/artigo/tsipras-o-veredicto-do-povo-grego-significa-o-fim-da-troika/35574

Com a vitória do Syriza, enfim há esperança:

http://www.esquerda.net/opiniao/esperanca-em-grego-diz-se-syriza/35557

Metade dos gregos vive abaixo da linha de pobreza:

http://www.esquerda.net/opiniao/avancos-e-recuos/35566

BCE comprará 1 trilhão de Euros em ativos públicos e privados até Setembro de 2016:

http://brasil.elpais.com/brasil/2015/01/22/economia/1421930158_392049.html

Nenhum comentário: