sábado, 28 de fevereiro de 2015

As políticas de inclusão social e o ajuste econômico! - Marcos Doniseti!

As políticas de inclusão social e o ajuste econômico! - Marcos Doniseti!


Acompanhada do governador baiano Rui Costa e da presidente da CEF, Miriam Belchior, Dilma entrega chave de casa de residência do 'Minha Casa Minha Vida' para família de Feira de Santana (Fevereiro de 2015)

Neste segundo mandato, alguns críticos do governo Dilma, inclusive eleitores que votaram na presidenta, estão dizendo que, com a adoção da política de ajuste econômico, ela estaria abandonando as políticas de inclusão social e de distribuição de renda que são uma das grandes marcas dos governos Lula e Dilma. 

Nada mais falso do que isso.

Senão, vejamos:

1) Dilma reajustou o salário mínimo em 8,8% em 2015 (e o mesmo subiu para R$ 788,00) acumulando um ganho de 2,4% em relação à inflação de 2014, que foi de 6,4%. Com isso, ele atingiu, em Janeiro, o seu maior poder de compra dos últimos 50 anos;

2) O Piso Salarial Nacional dos Professores foi reajustado em 13% e subiu para R$ 1.917,00. Foi um dos maiores reajustes já concedidos para o PSN.

Obs: Reajuste de 13% e valor de R$ 1.917 (ano da Revolução Russa)... sei não... isso está com cara de propaganda comunista subliminar... rs...;

3) Ampliação do programa 'Minha Casa Minha Vida', cuja terceira fase será lançada no final de Março e que prevê a construção de mais 3 milhões de novas moradias até o final de 2018. 

4) Ampliação do programa 'Mais Médicos', com a contratação de mais 4.146 novos médicos, o que ampliará o alcance do mesmo para 63 milhões de pessoas;

5) O número de Bolsas oferecidas pelo ProUni ultrapassou os 213 mil em 2015, crescendo 11% em relação a 2014. 

Agora, me respondam, por favor: Como tais iniciativas poderiam ser consideradas como um sinal do abandono das políticas de inclusão social e de distribuição de renda? 

Desde quando aumentar o salário mínimo e o piso salarial nacional dos professores acima da inflação, ampliar o Mais Médicos, o ProUni e o Minha Casa Minha Vida é sinônimo de 'política de austeridade', hein? 

Isso é ficção científica.

Governos que adotam políticas de 'austeridade' não adotam medidas como essa. O governo grego, quando implantou as medidas de 'austeridade', ou seja de arrocho, reduziu os salários e as pensões dos aposentados gregos em 40%, privatizou inúmeras estatais e demitiu milhares de funcionários públicos, além de eliminar inúmeros direitos sociais, trabalhistas e previdenciários. 

Isso, sim, é política de austeridade e de arrocho. 

O que acontece é que o Brasil precisa, sim, neste momento, fazer um ajuste econômico, nas suas contas públicas e nas contas externas, mas sem que isso resulte no abandono das políticas sociais. 

Na verdade, o ajuste econômico é necessário justamente para que o país possa voltar a crescer e tais políticas possam vir a ser devidamente financiadas com os frutos deste crescimento, garantindo a sua ampliação e o seu aprofundamento futuramente. 

Sem o ajuste, tudo isso desmoronaria. 

E as consequências (políticas, econômicas, sociais, etc) seriam trágicas para o Brasil e o seu povo. E com exceção dos eternos reacionários e golpistas, é claro que a imensa maioria da população não deseja isso. 

E tampouco desejam isso os mais de 54 milhões de brasileiros que votaram em Dilma e que querem promover a construção de um país onde todos possam viver com dignidade.


Link:

Salário Mínimo é reajustado em 8,8% sobe para R$ 788 em Janeiro de 2015:

http://www.vermelho.org.br/noticia/256273-1

Salário Mínimo atinge o seu maior poder de compra em 50 anos:

http://www.ebc.com.br/noticias/economia/2015/02/salario-minimo-atinge-maior-poder-de-compra-em-50-anos-informa-bc

Programa 'Máis Médicos' é ampliado e atingira 63 milhões de pessoas:

http://www.brasil.gov.br/saude/2015/02/mais-medicos-18-estados-tiveram-todas-vagas-preenchidas-na-2a-chamada

Piso Salarial Nacional dos Professores é reajustado em 13% e sobe para R$ 1.917,00:


Número de bolsas do ProUni cresce 11% em 2015 e passa de 213 mil:

Nenhum comentário: