sexta-feira, 13 de março de 2015

Especuladores mentem sobre a situação da economia brasileira e mundial! - Marcos Doniseti!

Especuladores mentem sobre a situação da economia brasileira e mundial! - Marcos Doniseti!

Dívida Pública Líquida era de 60,4% do PIB no final de 2002. No final de 2014 era de 36% do PIB, acumulando uma redução de 40,4%. 

Vejam o que essa tal de de 'Vérios Investimentos' publicou em sua página no Face: 

"Estão falando em crise internacional, mas os números indicam crescimento continuado. O mundo avança a taxas superiores a 3%, pelo menos desde 2011, apesar da contribuição negativa do Brasil para o resultado. Será que o objetivo é fazer fumaça sobre os equívocos nacionais e desinformar os já mal informados? Nossa economia passa pelo que classificam de estagflação. A inflação supera os 7,5% em 12 meses (a meta é 4,5%) e a expectativa é que o PIB retraia pelo menos 1% em 2015. Sinceramente é confuso. Mas quem se estuda um pouco mais, não pode simplesmente concordar com este discurso. Falar em crise internacional ou é má-fé, ou desinformação.".

Abaixo, publico a minha resposta para a mesma, que postei lá na página deles:
Mentira! A má-fé é praticada por vocês, especuladores que não gostam de ganhar dinheiro trabalhando.
Vamos aos fatos:
1) O Brasil foi a 3a. economia que mais cresceu no mundo entre 2008 e 2013, ficando atrás apenas da China e da Índia;
2) Não é à toa que o país fechou 2014 com a menor taxa de desemprego da sua história, com média anual de 4,8%, contra gigantescos 12,6% em 2002 (média anual);
3) Para efeito de comparação, na Itália o desemprego está em 12,9%, em Portugal está em 13,4%, na Espanha em 23,7% e na Grécia em 25%;
4) O Brasil também possui as maiores reservas internacionais líquidas da sua história, com US$ 371 bilhões, que são suficientes para pagar por 18 meses de importações (no governo FHC era suficiente para pagar apenas 4 meses de importações);
5) A dívida pública líquida despencou nos governos Lula e Dilma, caindo de 60,4% do PIB (2002) para 36% do PIB em 2014;
6) E o Brasil foi o 4o. país que mais recebeu investimentos produtivos no mundo em 2014, ficando atrás apenas da China, EUA e Cingapura;
7) No primeiro mandato de Dilma o país recebeu US$ 258 bilhões em investimentos externos produtivos;

Quando Fernando Collor assumiu a Presidência da República o Brasil tinha uma inflação de 82,39% ao mês. Agora, temos uma inflação de 6,4% ao ano (índice de 2014) e a taxa média anual do período 2004-2014 foi de 6% ao ano. 

8) A valorização do Dólar é um fenômeno global. O Euro, por exemplo, está com a sua menor cotação em relação ao Dólar dos últimos 12 anos.
Em relação ao Peso Mexicano, o dólar possui, atualmente, a sua maior cotação desde 1992;
9) O Brasil tinha a 15a. maior economia do mundo em 2002. Hoje ele tem a 7a. maior economia mundial;
10) A crise de 2008 derrubou as maiores economias do mundo. A União Europeia e o Japão ainda estão em recessão. E economias importantes entraram em recessão recentemente devido à queda do preço das commodities, como são o caso da Rússia e da Venezuela;
11) Entre as maiores economias mundiais, o Brasil foi o menos afetado pela crise, tanto isso é verdade que somente em 2014 ela atingiu o país com força, enquanto nos outros países a crise começou em 2008 e ainda está longe de acabar;
12) A inflação está dentro das metas (que vão de 2,5% a 6,5% ao ano) desde 2004 e nos últimos 10 anos ela ficou em 6% ao ano (média anual);
13) A China crescia quase 12% ao ano no primeiro trimestre de 2010. E no acumulado daquele ano o crescimento dela atingiu os 10,3%. Agora, a sua economia está crescendo em torno de 7% ao ano, representando uma queda de mais de 41% no seu ritmo de crescimento;
14) Somente entre Fevereiro de 2011 e Fevereiro de 2015, o preço da tonelada do minério de ferro despencou cerca de 66,6% no mercado internacional (era de US$ 187,18 em Fevereiro de 2011 e fechou em apenas US$ 62,69 em Fevereiro de 2015) . A soja também desabou. E isso prejudicou as exportações brasileiras. Os preços dos produtos de exportação no mercado internacional não são responsabilidade do governo Dilma, mas da profunda recessão que se abateu sobre a economia mundial a partir de 2008, quando tivemos o estouro da bolha subprime, a falência do Lehman Brothers (para o qual as agências de classificação de risco davam nota máxima no dia em que ele quebrou) e da quebradeira no mercado de derivativos e de fundos de hedge, em especial;


Taxa de desemprego brasileira foi a menor da história em 2014, fechando em 4,8% (média anual). Mas segundo os especuladores financeiros o país enfrenta uma 'crise terrível'. Acredite, se quiser...
15) A atual crise econômica mundial gerou o corte de 61 milhões de empregos em todo o mundo. No Brasil, no mesmo período, foram criados mais de 11 milhões de empregos com carteira assinada;
16) A crise mundial somente não atingiu o Brasil com mais força anteriormente porque os governos Lula e Dilma adotaram medidas anti-cíclicas keynesianas (vocês nem devem saber o que é isso...), como a redução dos juros (comparem as taxas de juros da CEF e do BB com as dos bancos privados), de impostos (exemplo: para linha branca e automóveis), aumentos de salários (salário mínimo subiu 75% acima da inflação entre 2003-2015), elevação dos investimentos públicos (via PAC, pré-sal, Minha Casa Minha Vida), entre outras. Procurem se informar melhor e parem de mentir para os leitores.

Links:

20 de 21 moedas de economias relevantes perderam valor em relação ao Dólar no começo de 2015:


Valor da tonelada de minério de ferro desabou 66,5% entre Fevereiro de 2011 e Fevereiro de 2015:


PIB da China cresceu 10,3% em 2010: 


Em 2014, China tem o menor crescimento econômico em 24 anos:


Mundo perdeu 61 milhões de empregos desde início da crise global de 2008:


Agências de classificação de risco davam nota máxima para o Lehman Brothers no dia em que ele quebrou, em 15/09/2008:


Taxa de Desemprego em 20 das maiores economias mundiais:


Nenhum comentário: