domingo, 26 de abril de 2015

Governo Dilma inicia processo de recuperação! - Marcos Doniseti!

Governo Dilma inicia processo de recuperação! - Marcos Doniseti! 
Em nome da Democracia, a manifestante pede a volta dos militares ao poder. Freud não explica. Karl Marx, sim. Parodiando James Carville, marqueteiro de Bill Clinton em 1992: 'É a luta de classes, estúpido!'.
A ideia do Impeachment, que não passava de um festival de choradeira e mimimi de tucano perdedor, já era e foi abandonada por aqueles que seriam os seus maiores beneficiários, ou seja, os próprios tucanos. 

Nenhum dos principais líderes do PSDB (FHC, Serra, Alckmin) está defendendo mais esse absurdo. Abandonaram esse projeto golpista e irracional, pois era totalmente desprovido de bases jurídicas e legais para ser levado adiante. Nem mesmo juristas politicamente conservadores, como é o caso de Miguel Reale Jr, encontraram razões legais para se tentar um processo de impeachment da presidenta Dilma. 

E como disse o sociólogo Adalberto Cardoso, um eventual impeachment de Dilma teria como maiores beneficiários justamente os corruptos e corruptores que, pela primeira vez na história do Brasil, estão tendo as suas práticas ilegais sendo investigadas pela Polícia Federal, pelo Ministério Público e pela CGU, em especial. 

O lucro líquido efetivo da Petrobras em 2014 foi de R$ 29,2 bilhões, mostrando a eficiência operacional da empresa. E a receita líquida da empresa cresceu de R$ 305 bilhões para R$ 337 bilhões no ano passado. 
O fato concreto é que os governos Lula e Dilma foram aos maiores responsáveis pela criação dos principais instrumentos de combate à corrupção existentes no país, tais como a Lei 12.846 (que pune os corruptores), a criação da CGU, o respeito pela autonomia do Ministério Público e o Portal da Transparência, bem como a realização de maiores investimentos para equipar a Policia Federal dos recursos humanos e materiais necessários à sua atuação. 

Tanto isso é verdade que, em 12 anos de governos Lula e Dilma, a PF prendeu mais de 25 mil pessoas envolvidas em todo tipo de crime (contrabando, corrupção, tráfico de drogas, pedofilia, etc).

Assim, pela primeira vez na história do Brasil nós vimos membros das elites tupiniquins sendo investigadas e presas, incluindo na lista grandes empresários, banqueiros, juízes, desembargadores, políticos, industriais, comerciantes, etc. Já no governo FHC o número de presos foi de apenas 534 pessoas e, na sua imensa maioria, eram os chamados 'peixes pequenos'. 

Com os 'tubarões', a PF tucana não mexia. 

Nos governos Lula e Dilma, no período de 2003-2014, o número de operações da Polícia Federal cresceu 4433% em relação aos 8 anos de governo FHC, passando de 48 para 2226. 
Então, derrubar Dilma da presidência seria algo muito bem visto pelos corruptores e pelos corrompidos, pois um outro governo não teria criado e nem daria o mesmo apoio (político, institucional, material, financeiro, etc) para as investigações que se fazem atualmente no país. 

Como disse o sociólogo Adalberto Cardoso, quem deseja o Impeachment de Dilma são os setores políticos e sociais que estão querendo impedir que essas investigações tenham continuidade. E ele conclui dizendo que: 

'Aqueles que estão clamando pelo impeachment estão querendo impedir que essa limpeza continue. O impeachment hoje serve aos corruptores e aos corruptos... Há uma profunda revisão do que é o nosso capitalismo e o agente desse processo é o governo. Nenhum outro governo jamais fez isso. Está agindo sobre o coração do capitalismo brasileiro, que é inteiramente corrupto.'. 

O aumento dos investimentos em obras de infra-estrutura, como nos aeroportos, contribuiu para manter a economia brasileira em crescimento mesmo enquanto a economia mundial enfrentava a sua mais grave crise desde a Grande Depressão dos anos 1930. 
Além disso, o fato de que um processo de impeachment aumentaria ainda mais o grau de dificuldades da economia brasileira, aumentando a gravidade de uma crise que é mundial e que aumentou em 61 milhões o número de desempregados pelo mundo afora, segundo a OIT, e que começou em 2007-2008, mas que somente em 2014 atingiu com força ao Brasil, também deve ter pesado na balança dessa avaliação de que o Impeachment seria bastante prejudicial ao país.

Um processo de impeachment sério, de verdade, seria longo, demorado, e agravaria a situação econômica e social do país, gerando prejuízos imensos para as grandes empresas e para a economia brasileira como um todo. Projetos de investimentos teriam de ser adiados e os consumidores ficariam assustados com o agravamento da crise política e passariam a consumir muito menos, gerando uma grave recessão no país. 

Esta patética tentativa de Impeachment de um governo recentemente reeleito não passa de mera chorumela de derrotados que não sabem perder eleição e querem vencer no 'tapetão', ou seja, nos tribunais, promovendo uma judicialização da política, tal como foi feito nos Golpes de Estado vitoriosos de Honduras e Paraguai. 

Além disso, os movimentos sociais e os partidos de Esquerda começaram uma articulação e promoveram mobilizações para demonstrar que sairiam às ruas em defesa do mandato legitimamente conquistado por Dilma nas urnas, o que radicalizaria os conflitos políticos e sociais no país. 

O número de trabalhadores com carteira assinada cresceu quase 60% no setor privado brasileiro entre 2003-2014. 
Além disso, os dados mais recentes indicam que a economia brasileira já iniciou um processo de recuperação, gerando quase 20 mil empregos com carteira assinada em Março, a cotação do dólar baixou para menos de R$ 3, a Bolsa de Valores iniciou uma fase de grande valorização, sendo que o mesmo aconteceu com as ações da Petrobras, cuja nova direção publicou o balanço da empresa, tendo sido criada uma nova diretoria para assuntos de governança que visa evitar a repetição das irregularidades. 

 Logo, a Petrobras resolveu o problema do seu balanço e tem R$ 69 bilhões em caixa, sendo uma empresa altamente eficiente e produtiva. O prejuízo de 2014 foi devido à desvalorização de ativos e não por motivos operacionais. E a produção do pré-sal está aumentando rapidamente, o que continuará acontecendo nos próximos anos. 

Em janeiro deste ano, por exemplo, a produção de petróleo e gás natural no pré-sal atingiu os 824 mil barris diários. E a safra de grãos do Brasil me 2015 irá ultrapassar, pela primeira vez na história do país, os 200 milhões de toneladas. 

As posturas mais recentes de Renan Calheiros, confrontando Eduardo Cunha, já são resultado, com certeza, das articulações políticas feitas pelo vice Michel Temer. E mais cedo ou mais tarde, Cunha terá que recuar, pois como disse o José Guimarães, ou se é governo ou se é oposição. Querer ser as duas coisas ao mesmo tempo não dá. 

E quando isso for feito, tenho certeza que grande parte do PMDB ficará com o governo, pois muitos dos seus integrantes não vão querer abandonar o governo e perder os cargos que possuem no mesmo, ainda mais sabendo que o impeachment gorou e que Dilma irá governar até 2018, tendo grandes chances de recuperar a popularidade e de, assim, a candidatura de Lula chegar forte em 2018. 

O poder de compra do salário mínimo aumentou significativamente durante os governos Lula e Dilma, contribuindo para melhorar a distribuição de renda no país. Seu reajuste anual, sempre acima da inflação do ano anterior, beneficia diretamente a 48 milhões de pessoas. 
Assim, tudo indica que, como disse José Guimarães, o pior momento já passou para o governo Dilma. 

Agora, só falta aprovar o ajuste fiscal. Este é um remédio amargo, sim, mas que precisa ser adotado para reequilibrar as contas públicas, diminuindo o déficit público nominal para o nível dos anos anteriores a 2014, quanto estava abaixo de 3% do PIB e era facilmente financiado pelo Estado brasileiro. 

E depois disso, caso Eduardo Cunha e o empresariado retrógrado e de mentalidade escravocrata insistam em aprovar o PL 4330 e a Terceirização generalizada, Dilma terá que vetar o projeto, sim. 

Se Dilma não vetar o projeto, eu duvido que algum partido político ou movimento social de extração popular (sindical, em especial) progressista ou de Esquerda continuará lhe dando o apoio e a sustentação política que são necessárias para que ela possa continuar governando. 

Então, depois que for superada essa fase de turbulência no início do segundo mandato, o governo Dilma terá todas as condições necessárias para continuar governando e para tirar o país da situação de dificuldades que o mesmo enfrenta, e que são temporárias, conjunturais.

Tais dificuldades são resultado do esgotamento das medicas anti-cíclicas adotadas pelos governos Lula e Dilma a partir de 2009, em especial a redução dos juros, o aumento dos investimentos públicos, o aumento do salário mínimo e dos gastos sociais, a redução de impostos para automóveis, móveis, e linha branca (geladeira, fogão, etc), a desoneração da folha de pagamento, o aumento dos empréstimos pelos bancos públicos (BB, CEF e BNDES) sendo as principais e mais importantes. 

Tais informações são sonegadas pela Grande Mídia, que mente e manipula o tempo inteiro, dizendo que a Petrobras estaria 'quebrada'. Na verdade, o faturamento, o lucro, o valor dos ativos e de mercado da empresa cresceram fortemente entre 2003-2014.
Porém, o Brasil também foi prejudicado pelo forte agravamento da crise econômica internacional que tivemos a partir do segundo semestre de 2013, quando a União Europeia entrou em processo de deflação, a recuperação anêmica e irregular da economia os EUA (onde o desemprego ainda se encontra em um patamar superior ao existente antes da crise começar, em 2007-2008), com a China e a Índia crescendo muito menos (o crescimento chinês caiu de 11% para 7% ao ano e o indiano desabou de 9% para 4,5% ao ano), a Rússia entrando em recessão, a forte queda dos preços do petróleo prejudicando os exportadores do produto (Oriente Médio, Venezuela, etc) e a América Latina inteira passando por um rápido processo de desaceleração econômica, com economias importantes da região sendo muito afetadas (México, Argentina, Chile, Venezuela).

Com isso, as exportações brasileiras, que haviam crescido rapidamente (passando de US$ 60 bilhões para US$ 242 bilhões no período de 2003 a 2013) diminuíram em 2014, fruto da recessão econômica global, que diminuiu o comércio internacional. A manutenção do Real num patamar bastante alto, enquanto as moedas dos demais países eram bastante desvalorizadas (dólar, iene, renminbi, etc) e a forte queda dos das cotações dos principais produtos de exportação brasileiros (o minério de ferro perdeu 65% do seu valor entre Fevereiro de 2010 e Fevereiro de 2015) também prejudicaram as exportações brasileiras. 

As classes de maior renda, ABC, cresceram significativamente no Brasil durante os governos Lula e Dilma, enquanto que as classes DE diminuíram de tamanho.
Agora, com a valorização do dólar, que chegou a cerca de R$ 3, recolocou-se a moeda brasileira no seu patamar correto, segundo muitos especialistas na questão, o que irá permitir a substituição de importações pela produção nacional, bem como uma futura retomada do aumento das exportações. 

Agora, os dados mais recentes apontam para uma desaceleração da taxa de inflação. Segundo a FGV, o IPC-S fechou em 0,71% na prévia da terceira semana de Abril. 

E caso as principais economias mundiais iniciem um processo de recuperação, isso também irá contribuir para a retomada do crescimento da economia brasileira. 

Até porque o Brasil tem uma das menores taxas de desemprego entre as grandes economias mundiais e isso ajuda muito os trabalhadores melhor organizados e com sindicatos mais fortes a obter aumentos reais de salários nos acordos que fecham com as empresas. Mesmo num ano de dificuldades como foi o de 2014, o Dieese disse que em 92% dos acordos salariais fechados no ano passado os trabalhadores conseguiram aumentos reais de salários. E isso acontece devido ao baixo patamar em que se encontra a taxa de desemprego no país, que fechou 2014 no menos nível da história (4,8% na média anual e 4,3% em Dezembro). 

Então, a combinação de um ajuste econômico bem sucedido e de uma articulação política bem feita, junto com a recuperação da economia, poderá levar o governo Dilma a desfrutar de um momento muito mais favorável, futuramente, do que aquele que existiu nos primeiros meses do segundo mandato. 

E com a economia brasileira retomando um processo sustentado de crescimento, com a inflação começando a passar por um processo de desaceleração (que já começou),  com o desemprego sendo mantido em um patamar baixo e os salários preservando a sua trajetória de aumentos reais anuais, então a presidenta Dilma poderá chegar em 2018 com níveis de popularidade muito maiores do que os atuais, fazendo do ex-Presidente Lula um candidato muito forte para a sucessão presidencial. 

Reservas internacionais do Brasil cresceram de US$ 16,3 bilhões, em 2002, para US$ 372,5 bilhões atualmente, o que dá uma segurança muito maior para os investidores e credores do país, pois eles sabem que o Brasil possui os recursos necessários para honrar os seus compromissos externos. 

Links:

O pior já passou, diz José Guimarães:

http://www.brasil247.com/pt/247/ceara247/178463/Jos%C3%A9-Guimar%C3%A3es-ao-247-O-pior-j%C3%A1-passou.htm

Brasil gera quase 20 mil empregos com carteira assinada em Março:

http://www.vermelho.org.br/noticia/262755-2

Impeachment de Dilma beneficiaria corruptos e corruptores, diz sociólogo:

http://www1.folha.uol.com.br/poder/2015/04/1621134-entrevista-eleonora.shtml

Nova Petrobras gera euforia no mercado financeiro:

http://www.brasil247.com/pt/247/economia/178334/Nova-Petrobras-traz-euforia-ao-mercado-financeiro.htm

Reservas internacionais líquidas do Brasil (23/04/2015) são de US$ 372,5 bilhões:

https://www.bcb.gov.br/?RP20150423

Fitch afirma rating e retira Petrobras de observação negativa:

http://www.brasil247.com/pt/247/economia/178332/Fitch-afirma-rating-e-retira-Petrobras-de-observa%C3%A7%C3%A3o-negativa.htm

Dieese: 92% dos Acordos salariais em 2014 tiveram reajuste acima da inflação:

http://www.otempo.com.br/capa/brasil/acordos-salariais-t%C3%AAm-aumento-real-maior-em-2014-diz-dieese-1.1011279

Brasil fecha 2014 com a menor taxa de desemprego da história:

http://g1.globo.com/jornal-da-globo/noticia/2015/01/brasil-encerra-2014-com-menor-taxa-de-desemprego-ja-registrada.html

Produção de petróleo e gás natural chegou a 824 mil barris diários em Janeiro de 2015:

http://www.petrobras.com.br/fatos-e-dados/pre-sal-atinge-producao-de-824-mil-barris-por-dia-em-janeiro.htm

Pré-Sal é o grande ativo da Petrobras, dizem economistas:

http://www.jb.com.br/economia/noticias/2015/04/25/economistas-dizem-que-pre-sal-e-o-grande-ativo-da-petrobras/

Faturamento da Petrobras aumentou em R$ 35 bilhões em 2014:

http://pafranco2005.blogspot.com.br/2015/04/lucro-efetivo-da-petrobras-surpreende-e.html

Safra de grãos ultrapassará os 200 milhões de toneladas pela primeira vez na história:

http://www.vermelho.org.br/noticia/262060-2

Nenhum comentário: