sábado, 23 de maio de 2015

O governo Dilma está cortando os gastos, certo? Errado! Gastos federais em 2015 serão maiores do que em 2014 em R$ 100 bilhões! - Marcos Doniseti!

O governo Dilma está cortando os gastos, certo?Errado! Gastos federais em 2015 serão maiores do que em 2014 em R$ 100 bilhões! - Marcos Doniseti!
Ponte Rio Negro, no estado do Amazonas. Com 3,6 km de extensão, é a segunda maior ponte fluvial do mundo e a maior ponte estaiada do Brasil. Foi construída nos governos Lula e Dilma.
Gastos federais em 2015 serão maiores do que em 2014 em R$ 100 bilhões! 

Se os gastos do governo federal serão, em 2015, maiores do que em 2014 (R$ 100 bilhões a mais), como podemos falar que estão ocorrendo 'cortes' ou 'redução' de gastos públicos? 

Sem chance. 

Inclusive, o crescimento se dá não apenas no valor nominal das despesas, mas também como percentual do PIB. Em 2015, os gastos federais serão de 18,9% do PIB, contra 18,7% do PIB em 2014. 

Portanto, é complicado falar que tivemos cortes no Orçamento. 

O mais correto é dizer que a velocidade de crescimento das despesas irá diminuir, mas a tendência delas é a mesma de antes, ou seja, de continuar crescendo. 

Se o que a Dilma estivesse fazendo fosse corte de gastos, então em 2015 as despesas do governo federal deveriam ser inferiores as de 2014, o que não é o caso. 

Com o ajuste, e não corte, o governo federal diminui o ritmo do crescimento das suas despesas, mas elas não caem. O que diminui é apenas a velocidade do crescimento dos gastos. É como um automóvel que em vez de correr a 120 km/hora passa a correr a 100 km/hora. A velocidade do veículo diminui, mas ele continua indo para a frente. Ele não está dando marcha a ré. 

Imagine que você decida construir uma casa em 2 anos. Mas daí você descobre que somente terá condições de finalizar a casa em 3 anos, para que as despesas caibam no seu orçamento. Você não deixará de construir a casa, apenas irá demorar mais um ano para poder concluí-la, a fim de que o orçamento não fique desequilibrado. 

Então, você irá diminuir o ritmo da obra para ter um orçamento mais equilibrado, mas não deixará de continuar aumentando os seus gastos e nem a obra ficará paralisada, apenas irá demorar mais tempo para ficar pronta. 

É isso.

Crise é Mundial, mas a Grande Mídia esconde isso da população brasileira e na cara-dura. 

Vejam este exemplo, logo aqui ao lado, no vizinho Uruguai.
No Uruguai a taxa de desemprego também cresceu no primeiro trimestre de 2015, atingindo os 7%, sendo a maior taxa desde o segundo trimestre de 2010. Como se percebe, a crise está longe de ser exclusivamente brasileira. De fato, a economia mundial enfrenta a sua pior crise desde a Grande Depressão dos anos 1930.
E foram as políticas anti-cíclicas keynesianas que os governos Lula e Dilma adotaram que evitaram que tal crise chegasse antes ao Brasil.
Mas quem disse que a Grande Mídia brasileira irá explicar isso para a população?

Dilma eleva a taxação dos Bancos!

Apesar de termos um Congresso Nacional onde 85% dos parlamentares são representantes dos patrões, Dilma adotou medida que eleva em 33% o CSLL sobre o lucro líquido dos bancos, que passará de 15% para 20%.
Assim, a turma da primeira classe também vai pagar uma parte do ajuste econômico, que é necessário, sim, embora seja amargo, sem dúvida alguma.
Sem o ajuste não será possível promover a retomada do crescimento econômico com inclusão social e distribuição de renda, com maior intervenção estatal na economia (vide o Regime de Partilha do pré-sal) para sustentar essas políticas e fortalecer o papel do Brasil no Mundo (vide a sua atuação nos BRICS e como principal líder da América Latina).
Este é o projeto político que Lula e Dilma adotaram e que também é chamado de Social-Desenvolvimentista.

Evolução do Salário Mínimo e da Taxa de Desemprego entre 2003-2015 nos governos Lula e Dilma. Enquanto o salário mínimo foi reajustado em 294%, a taxa de desemprego chegou ao menor nível da história, ficando em 4,8% na média anual em 2014.


Políticas sociais e desenvolvimentistas evitaram que 
crise chegasse muito mais cedo ao Brasil.

Enquanto nos países ricos as  desigualdades sociais cresceram, na América Latina ocorreu exatamente o contrário, com uma redução importante, embora elas ainda sejam muito significativas. 
Nos países da América Latina tivemos a adoção, por parte de uma série de governos progressistas (Lula, Dilma, Chávez, Maduro, Kirchner (Nestor e Cristina), Evo, Correa, Mujica, etc) de uma série de políticas de promoção da justiça social e que aumentaram os salários dos trabalhadores.
E também tivemos, na região, a ampliação dos direitos sociais e trabalhistas, o que resultou na melhora das condições de vida dos trabalhadores e dos mais pobres.
Já nos países ricos ocorreu exatamente o contrário, com os governos neoliberais promovendo políticas de arrocho salarial e de eliminação de direitos sociais, trabalhistas e previndenciários.
O resultado é esse aí. Assim, nada acontece por acaso. É tudo fruto das políticas que são adotadas.

Dilma fecha acordo com a China, que trará 
R$ 160 bilhões em Investimentos para o Brasil!

Esse é um acordo histórico, de grande importância para o Brasil e para a América Latina. E não adianta a Grande Mídia reacionária, mentirosa, golpista e entreguista, que é totalmente submissa aos interesses dos EUA, querer negar esse fato.
Sem dúvida alguma, esse foi um golaço da Presidenta Dilma!

Banco Mundial: Brasil conseguiu praticamente eliminar a pobreza extrema!


É o Banco Mundial que diz isso: O Brasil conseguiu praticamente eliminar a pobreza extrema e fez isso mais rápido que seus vizinhos. 

Valeu, Lula! Valeu, Dilma!


Links:

Gastos federais serão, em 2015, R$ 100 bilhões maiores do que em 2014!

http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2015/05/1632752-apos-corte-gasto-do-governo-previsto-para-2015-ainda-supera-o-de-2014.shtml

Governo Dilma eleva CSLL dos bancos em 33%:

http://www.diariodocentrodomundo.com.br/essencial/governo-vai-aumentar-imposto-dos-bancos/

Taxa de desemprego no Uruguai chega a 7% no 1o. trimestre de 2015

http://www.elpais.com.uy/economia/noticias/desempleo-trimestre-mas-alto.html

Desigualdade de renda dispara nos países ricos e diminui na América Latina:

http://brasil.elpais.com/brasil/2015/05/20/internacional/1432157691_611114.html

Investimentos chineses no Brasil vão de ferrovia transcontinental a Petrobras:

http://brasil.elpais.com/brasil/2015/05/19/politica/1432059277_211030.html

Brasil lidera a redução da pobreza extrema, diz Banco Mundial:

http://brasil.elpais.com/brasil/2015/04/23/politica/1429790575_591974.html

Nenhum comentário: