domingo, 27 de setembro de 2015

Plano Levy ou Plano Mantega? - Marcos Doniseti!

Plano Levy ou Plano Mantega? - Marcos Doniseti! 
Equipe econômica do ex-ministro Guido Mantega já dizia, em 2014, que a desaceleração da economia chinesa iria obrigar o governo Dilma a promover ajustes na economia.  
Um documento elaborado pela equipe do ex-ministro da Fazenda, Guido Mantega, já defendia (em 2014) que, em seu segundo mandato, a presidenta Dilma adotasse medidas de contenção dos gastos públicos, promovesse uma reforma tributária, desvalorizasse o Real e fizesse da política fiscal a âncora macroeconômica dos próximos anos. 

O documento se intitulava "Estratégias de Política Econômica: programa de consolidação fiscal para 2015-2018".

As medidas já contemplavam propostas de impor exigências maiores para ter acesso a benefícios como seguro desemprego, pensão por morte e auxílio doença, por exemplo (tais medidas foram adotadas por Joaquim Levy). 

O documento elaborado pela equipe econômica de Mantega também defendia o aumento do IOF sobre crédito ao consumo, elevação do PIS/Cofins de importações, tributação de cosméticos. 

Tais medidas promoveria um ajuste das contas públicas, mantendo-as equilibradas , e impediriam que o Brasil viesse a perder o 'Grau de Investimento', risco que era considerado como sendo 'não desprezível' pela equipe de Mantega. 

Também era dito que as condições que haviam permitido ao Brasil crescer 4,8% ao ano, em média, entre 2004-2008, não estavam mais presentes: a economia chinesa estava desacelerando (reduzindo fortemente o preço das principais commodities agrícolas e minerais), o comércio mundial estava diminuindo, a massa salarial e de oferta de crédito dentro do Brasil também iriam desacelerar. 

A equipe de Mantega também reconhecia que tivemos uma retração dos investimentos do setor privado brasileiro (que se recusou a investir nas condições estipuladas pelo governo Dilma, promovendo uma verdadeira 'Greve do Capital Produtivo' no primeiro mandato desta), o que gerava um aumento do pessimismo sobre o comportamento da economia. Este círculo vicioso precisava ser rompido por uma agenda de medidas que restaurasse a confiança das empresas e das famílias na economia. 

Portanto, e muito ao contrário do que se pensa, grande parte das medidas de ajuste econômico adotadas neste ano pelo ministro Joaquim Levy já eram defendidas pelo então ministro Guido Mantega. 

Então, caso Mantega tivesse permanecido no cargo, o ajuste econômico estaria sendo adotado, do mesmo jeito que acontece com Joaquim Levy.  

Link:

Plano Levy e as propostas de Guido Mantega para a economia brasileira no segundo mandato de Dilma:

http://www.conversaafiada.com.br/economia/mantega-sabia

Nenhum comentário: