terça-feira, 27 de outubro de 2015

De que maneira Scioli pretende derrotar o candidato da Direita Neoliberal no segundo turno da eleição presidencial argentina? - Marcos Doniseti!

De que maneira Scioli pretende derrotar o candidato da Direita Neoliberal no segundo turno da eleição presidencial argentina? - Marcos Doniseti!
Daniel Scioli foi Vice-Presidente de Nestor Kirchner, falecido em 2007 e que iniciou um processo de recuperação da economia e da sociedade argentina e que teve continuidade no governo de Cristina. 
Afinal, de que maneira o candidato apoiado pela Presidenta Cristina Kirchner pretende derrotar Mauricio Macri, o candidato da Direita Neoliberal, no segundo turno da presidencial?

Segundo o que diz a matéria abaixo, do site argentino 'InfoNews', Scioli irá promover um confronto de projetos políticos, tornando claro para o eleitorado do país o que diferencia o seu projeto de governo e de sociedade em relação ao projeto de Macri, que é o candidato da direita neoliberal. 

Vejam o diz a notícia abaixo:

Scioli irá "polarizar al máximo en su discurso con su adversario, Mauricio Macri, e insistir en contraponer dos modelos de país antagónicos, aunque con cambios en la comunicación, con un lenguaje más llano y frontal."

Assim, polarizando a campanha, explicitando as diferenças entre os dois projetos de país que estarão se confrontando, Scioli poderá recuperar votos que perdeu entre as camadas populares no primeiro turno. 

Pois somente a perda de votos entre os mais pobres é que permitiu que a diferença entre a sua votação e a de Macri fosse tão reduzida (2,8 p.p. a favor de Scioli, quando se esperava algo em torno de 10 p.p.).

Uma das diferenças entre os dois projetos, e que será explorada por Scioli, por exemplo, está na política de comércio exterior. 

Macri defende uma abertura comercial mais ampla para as importações. E o que a campanha de Scioli dirá a respeito disso? 

Será o seguinte:

"Vamos a decirle a la gente que si gana Macri se abren las importaciones y se quedan sin trabajo en las fábricas”.

Logo, Scioli vai explicar aos eleitores argentinos que essa proposta de Macri implicará em um aumento do desemprego no país (que é baixo... é de apenas 6,6% atualmente). 

Além disso, será usada uma linguagem mais didática e popular, explicando melhor as propostas de Scioli para governar o país. E a sua campanha também irá mostrar que as propostas de Macri representam uma volta ao passado e que elas irão aumentar o desemprego e reduzir os salários, agravando os conflitos sociais no país. 

Scioli também irá procurar se aproximar dos candidatos que ficaram de fora do segundo turno, buscando dialogar com os mesmos e incorporando algumas de suas propostas em sua plataforma de governo. Desta maneira será possível ampliar a base eleitoral de Scioli. 

Assim, pode-se dizer que Scioli irá usar uma estratégia de campanha muito semelhante com aquelas que Lula (em 2006) e Dilma (em 2010 e em 2014) utilizaram. 

No segundo turno destas campanhas presidenciais, Lula e Dilma fizeram exatamente isso, explicando de maneira bem didática para os eleitores em que as suas propostas de governo eram diferentes das de Alckmin (2006), Serra (2010) e Aécio (2014). 

E isso funcionou.

Espero que isso funcione com Scioli também.

Avante, Scioli!

Link:

Scioli define a sua estratégia de campanha para vencer a eleição presidencial:

http://www.infonews.com/nota/259066/el-sciolismo-definio-su-estrategia-electoral-confrontar-el-modelo-de-macri

Segundo turno terá 2 debates entre os candidatos à Presidência da República:

http://www.infonews.com/nota/259038/scioli-confirmo-que-ira-a-tn-y-habra-dos-debates-con-macri-antes-del-balotaje

Nenhum comentário: