segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Portugal: Forças de Esquerda dialogam e deverão formar o novo governo do país! - Marcos Doniseti!

Portugal: Forças de Esquerda dialogam e deverão formar o novo governo do país! - Marcos Doniseti!-
Os líderes do PSD, Passos Coelho (à esquerda) e do CSA-PP Paulo Portas (à direita) revelaram-se dispostos a aceitar cerca de 20 itens do programa do Partido Socialista, a fim de obter o apoio necessário para poder continuar governando, mesmo que isso implique em entrar em total contradição com tudo o que fizeram durante os últimos quatro anos (2011 a 2015), período em que governaram Portugal.
Desesperada para continuar governando o país, a coligação da Direita Neoliberal (PSD/CDS), que governa o país desde 2011, está disposta a fazer inúmeras concessões ao Partido Socialista para que este lhe dê o apoio parlamentar que necessita para poder continuar administrando Portugal, se prontificando a colocar em prática mais de 20 propostas defendidas pelo PS na última eleição.

E o curioso é que, durante a campanha eleitoral, estas mesmas propostas foram consideradas como sendo 'demagógicas' pelos direitistas do PSD/CDS.

Mas como a coligação de Direita perdeu a maioria absoluta no Parlamento e o PSP elegeu a segunda maior bancada de deputados e está negociando a formação de um governo com as duas principais forças de Esquerda (CDU e Bloco de Esquerda), agora a Direita mudou radicalmente o seu discurso.

E o curioso é que muitas destas propostas também são defendidas pelas forças de Esquerda (CDU e Bloco de Esquerda) que, na campanha eleitoral, fizeram duras críticas às políticas de austeridade, que resultaram na redução dos salários, no aumento do desemprego, da pobreza e das desigualdades sociais em Portugal desde que a coligação do PSD/CDs governa o país, há 4 anos. Neste período, a taxa de desemprego entre os jovens, por exemplo, chegou a quase 35% e 485 mil pessoas abandonaram o país entre 2011 e 2014, devido à elevada taxa de desemprego.

Haja hipocrisia dessa Direita troglodita portuguesa. 

Novo governo português deverá ser liderado pelo Partido Socialista!
Assim, tudo indica que Portugal deverá ter um governo de Esquerda progressista a partir deste ano, pois o diálogo do Partido Socialista com o Partido Comunista, Verdes e o Bloco de Esquerda está avançando rapidamente, tanto que o líder do PS, Antônio Costa, já fala em elaborar uma plataforma de governo conjunta entre todas estas forças políticas.

O novo governo será liderado pelo Partido Socialista (comandado por Antônio Costa) e também contará com a participação do Bloco de Esquerda (liderado por Catarina Martins) e da CDU (coligação entre Comunista e Verdes, liderada por Jerónimo de Sousa), o que permitirá enterrar as políticas de austeridade e de arrocho que foram impostas ao país desde o estouro da crise neoliberal global de 2008. 

Afinal, as três forças políticas da esquerda portuguesa defenderam tal proposta durante a campanha eleitoral e os portugueses que votaram no Partido Socialista, no Bloco de Esquerda e na CDU levaram isso em conta na hora de definir a sua posição na eleição.

Os líderes sindicais portugueses também estão entusiasmados com a possibilidade de formação de um governo de Esquerda que enterre as políticas de austeridade e mantenha intactos os direitos sociais, trabalhistas e previdenciários, priorizando a defesa do 'Estado Social' e o fim do governo de direita.  

Vários líderes da Esquerda portuguesa se manifestaram nessa direção, dizendo claramente que as prioridades, neste momento, são o aumento do salário mínimo, a criação de empregos e o fortalecimento dos serviços públicos de educação, saúde e da Seguridade Social. Aliás, os sindicalistas e líderes políticos portugueses progressistas também consideram que este diálogo entre as principais forças de Esquerda do país é histórico, visto que antigamente tal diálogo entre elas era muito raro e bastante difícil.

No entanto, o resultado final das eleições deu a maioria absoluta dos votos para o PS, BE e CDU (os três juntos somaram mais de 50%) e, com isso, passaram a ter maioria no Parlamento, viabilizando a formação de um governo de Esquerda progressista no país.

E o diálogo entre as três grandes forças da Esquerda portuguesa já avançou tanto que até mesmo os técnicos dos partidos de Esquerda envolvidos no mesmo já estão se preparando para aprofundá-lo e, assim, poder definir as políticas e medidas que o novo governo português irá tomar. 

Que assim seja.   

Basta de Arrocho! 
Catarina Martins lidera o Bloco de Esquerda, que conquistou a maior votação de sua história e elegeu a terceira maior bancada para o Parlamento português. Ela deverá participar de um provável governo liderado pelo Partido Socialista e que também deverá contar com a participação do CDU (coligação entre Partido Comunista e Verdes).
Notícia: 

Do Observador: Coligação aceita discutir “mais de 20” propostas do PS. E ainda abre a porta a outras

PSD e CDS escolheram "mais de 20" propostas do programa do próprio PS, que admitem agora serem "compatíveis" com a sua estratégia. Mas abrem a porta a outras ideias de Costa. Terça-feira há reunião.

“As mais de 20 propostas são retiradas do programa eleitoral do PS”, nomeadamente “das quatro áreas prioritárias” que António Costa fez aprovar na reunião da comissão política do seu partido na terça-feira – e que PSD e CDS vêem agora como “complementares ao programa da coligação”. Que áreas são essas? As seguintes:

“O virar de página na política de austeridade e na estratégia de empobrecimento, consagrando um novo modelo de desenvolvimento e uma nova estratégia de consolidação das contas públicas assente no crescimento e no emprego, no aumento do rendimento das famílias e na criação de condições para o investimento das empresas”;

"A defesa do Estado Social e dos serviços públicos, na segurança social, na educação e na saúde, para um combate sério à pobreza e às desigualdades”;

“Relançar o investimento na Ciência, na Inovação, na Educação, na Formação e na Cultura, devolvendo ao país uma visão de futuro na economia global do século XXI”;

“O respeito pelos compromissos europeus e internacionais, para a defesa dos interesses de Portugal e da economia portuguesa na União Europeia, para uma política reforçada de convergência e coesão.”

Links:

Coligação PSD/CDS-PP envia mais de 20 propostas ao Partido Socialista:

Coligação PSD/CDS-PP envia mais de 20 propostas ao Partido Socialista:
http://www.publico.pt/politica/noticia/coligacao-envia-mais-de-20-propostas-ao-ps-e-ainda-acredita-num-acordo-1710964

Antônio Costa já fala em elaborar plataforma de governo de Esquerda:

http://www.publico.pt/politica/noticia/costa-ja-fala-em-plataforma-de-governo-de-esquerda-1710967?frm=ult

Antônio Costa diz que há condições para se formar um governo de Esquerda:

http://observador.pt/2015/10/12/costa-diz-que-ha-condicoes-catarina-diz-que-e-o-fim-do-governo-passosportas/

Bloco de Esquerda e Partido Socialista estão cada vez mais próximos de um acordo para formação de um novo governo:

http://www.publico.pt/politica/noticia/reuniao-do-ps-com-bloco-1710874

Líderes sindicais e da Esquerda portuguesa priorizam defesa do 'Estado de Bem Estar Social' e fim do governo da Direita: 

http://observador.pt/2015/10/12/ate-a-cgtp-cede-mas-o-que-fica-do-pcp-e-be/

Nenhum comentário: