quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

A entrevista de Lula aos blogueiros e a 'Era da Estagnação' da economia global! (parte 1) - Marcos Doniseti!

A entrevista de Lula aos blogueiros e a 'Era da Estagnação' da economia global! (parte 1) - Marcos Doniseti!
Lula e Dilma tem que trabalhar juntos, para promover a retomada do crescimento econômico e criar as condições para aprofundar as políticas de inclusão social. 
Lula deixou bem claro, na entrevista que concedeu aos blogueiros, que muito dificilmente ele seria candidato a Presidente da República caso a eleição fosse em 2016. Hoje, Lula não seria candidato à Presidente. Isso é óbvio. Foi por isso que Lula sugeriu que poderá vir a apoiar outro candidato em 2018. 

Mas ainda temos dois anos pela frente até a próxima eleição presidencial e o cenário político, econômico e social do país passará por significativas mudanças até 2018, o que eu comento a seguir:

1) Em 2016, teremos o enterro do Impeachment/Golpe de Estado contra Dilma no Congresso Nacional (no STF ele já foi devidamente enterrado), até porque ninguém mais aguenta isso, nem os setores produtivos da economia. Como disse o Luís Nassif, quem deseja o Impeachment/Golpe de Dilma é quem não vive da produção, da economia real, mas da especulação financeira. Até o Michel Temer/Café Filho já enfiou a viola no saco, abandonou o movimento golpista e já ensaia um 'Esqueçam tudo o que escrevi' para Dilma; 

2) A Lava Jato (ou melhor, Vaza Jato) será devidamente esvaziada, à medida que vai chegando no governo FHC . E daí ela terminará, já que é uma operação que poderia se chamar 'Pega PT-Lula-Dilma', em vez de Vaza Jato ou Lava Jato. Qualquer pessoa minimamente bem informada sabe que ela deixou de ser uma operação de combate à corrupção (será que algum dia foi? Duvido) e se transformou numa operação destinada a derrubar o governo Dilma e destruir as forças políticas progressistas do país (Lula, PT, CUT, MST, UNE, etc);
Diálogo do governo Dilma com os movimentos sociais é fundamentar para manter o governo na rota do crescimento econômico com inclusão social. Sem isso, chances de vitória em 2018, na eleição presidencial, serão virtualmente inexistentes. 
3) A inflação (que é provocada por aumento de custos  - e que é fruto da maxidesvalorização do Real e do aumento das tarifas de energia elétrica e de combustíveis - e não por expansão da demanda) será menor em 2016 (voltando ao patamar de 6,5% ao ano) e, com isso, os juros (Selic) irão diminuir; 

4) O Governo federal prepara medidas de estímulo econômico, via maior oferta de crédito e concessões no setor de infra-estrutura (rodovias, ferrovias, portos, aeroportos); 

5) A continuidade da política de aumento real para o salário mínimo, a preservação dos programas sociais (Bolsa Família e afins), o reajuste dos benefícios dos aposentados que ganham mais de um salário mínimo (acima da inflação oficial, calculada pelo IPCA) e do Piso Salarial Nacional dos Professores (medidas que a Grande Mídia escondeu e que a própria Dilma não soube divulgar e faturar politicamente) contribuirão para manter um patamar mínimo de consumo e irão colaborar na recuperação da economia; 

6) No segundo semestre deste ano começará uma recuperação econômica puxada por substituição de importações e aumento de exportações (industriais e agrícolas) e que, aliás, já está em pleno andamento. Isso deverá se  intensificar nos próximos meses. Alguns indicadores da economia já mostram isso claramente. Exemplos: O aumento de exportações de veículos foi de 97% em Dezembro de 2015, em relação ao mesmo mês de 2014, e o comércio varejista teve dois meses seguidos de crescimento; 

7) O superávit comercial brasileiro, que foi de quase US$$ 20 bilhões em 2015, deverá dobrar, pelo menos, em 2016, chegando ou até ultrapassando os US$ 40 bilhões. Os gastos de turistas brasileiros no exterior despencaram (foram de US$ 505 milhões em Novembro de 2015, reduzindo-se em quase 60% quando comparado com Novembro de 2014). Com isso, o déficit nas contas externas já diminuiu bastante em 2015 e se reduzirá ainda mais em 2016; 

8) A economia mundial, que entrou na sua mais séria crise desde 2008, tende a se estabilizar em um patamar de menor crescimento, e cuja situação se agravou bastante desde 2014, deverá parar de piorar;
Corredor Via Mangue, no Recife, que foi inaugurado pela Presidenta Dilma em Janeiro de 2016. 
9) Se pelo menos a economia mundial parar de piorar, já será muito bom. 

O Brasil já fez o ajuste econômico que necessitava (maxidesvalorização cambial; ajuste nas tarifas de energia energia elétrica e combustíveis) e, desta maneira, a inflação já será menor em 2016 e a taxa Selic poderá vir a ser reduzida em breve. O processo de substituição de importações, o aumento de exportações, o aumento considerável superávit comercial e a redução do déficit externo. 

Agora é colher os frutos disso e estimular o crescimento, algo que o governo Dilma já disse que fará, por meio da ampliação da oferta de crédito, manutenção das políticas de inclusão social, aumentos salariais (salário mínimo, piso salarial nacional de professores, benefícios previdenciários), concessões na área de infra-estrutura, estímulo para pequenas empresas e para a construção civil. 

Com isso, será possível retomar o processo de crescimento econômico e dar continuidade e aprofundar as políticas de inclusão social e de distribuição de renda. 

Links:

Nelson Barbosa traça as estratégias para fazer o Brasil voltar a crescer:

http://jornalggn.com.br/noticia/as-estrategias-de-nelson-barbosa-para-a-economia

Lula: PT irá ressurgir das cinzas:

http://www.revistaforum.com.br/2016/01/20/lula-a-blogueiros-o-pt-vai-ressurgir-das-cinzas-muito-mais-forte/

Contas externas do Brasil em Novembro de 2015: Reservas Internacionais superam dívida externa bruta em US$ 29 bilhões:

http://www.bcb.gov.br/?ECOIMPEXT

Desvalorização do Real promove substituição de importações:

http://abiquifi.org.br/estudo-ja-ve-substituicao-de-importacoes-em-alguns-setores/

Exportações de veículos cresceram 97,2% em Dezembro de 2015 (sobre o mesmo mês de 2014):

http://www.brasil.gov.br/economia-e-emprego/2016/01/exportacao-de-veiculos-cresce-25-em-2015-diz-anfavea

Governo Federal prevê déficit primário de 0,5% do PIB em 2016:

http://br.reuters.com/article/topNews/idBRKCN0R022K20150831

Governo Federal quer aumentar oferta de crédito e investimentos na construção civil para retomar crescimento em 2016:

http://br.reuters.com/article/topNews/idBRKCN0UZ1WG

Governo Federal teve queda de 5,62% na arrecadação em 2015:

http://br.reuters.com/article/topNews/idBRKCN0UZ1IF

Brasil teve superávit comercial de US$ 19,7 bilhões em 2015:

http://www.brasil.gov.br/economia-e-emprego/2016/01/brasil-teve-superavit-comercial-de-us-19-7-bi-em-2015

Taxa Selic é mantida em 14,25% ao ano, contra inflação de 10,7%; Juro real é de 3,55% a.a.:

http://www.brasil.gov.br/economia-e-emprego/2016/01/taxa-basica-de-juros-e-mantida-em-14-25
Brasil é um dos países que mais atrai investimento estrangeiro produtivo no Mundo. Somente no primeiro mandato do governo Dilma foram cerca de US$ 260 bilhões. 
Salário Mínimo sobe para R$ 880 em 2016 e acumula aumento real de 77% desde 2003, diz Dieese:

http://www.vermelho.org.br/noticia/274597-2

Benefícios previdenciários acima de 1 salário mínimo tem reajuste de 11,28% em 2016:

http://g1.globo.com/economia/seu-dinheiro/noticia/2016/01/aposentados-que-ganham-acima-do-minimo-terao-reajuste-de-1128.html

Piso Salarial Nacional dos Professores tem reajuste em 11,36% em 2016:

http://educacao.uol.com.br/noticias/2016/01/14/mec-anuncia-reajuste-de-1136-no-piso-salarial-dos-professores.htm

Nenhum comentário: