sexta-feira, 24 de junho de 2016

União Europeia: Projeto original foi abandonado! Capital financeiro alemão sequestrou a UE! Desemprego disparou! - Marcos Doniseti!

União Europeia: Projeto original foi abandonado! Capital financeiro alemão sequestrou a UE! Desemprego disparou! - Marcos Doniseti! 
Livro do sociólogo alemão Ulrich Beck, que há vários anos apontava os riscos de um processo de germanização da União Europeia.
Projeto atual da União Europeia é neoliberal, elitista e retrógrado! 

1) Eu sou um crítico do atual projeto de integração da UE porque ele foi totalmente desvirtuado das suas intenções originais, que eram: 

A) Consolidar a democracia liberal-representativa; 

B) Diminuir a distância entre países ricos e pobres; 

C) Europeizar a Alemanha, integrando-a numa Europa democrática; 

D) Reduzir as desigualdades sociais. 

2) Desde a introdução do Euro que estes objetivos foram abandonados, pois o sistema financeiro alemão assumiu o controle do processo de integração europeu. 

Daí em diante o que tivemos foi o seguinte:

A) Tecnocratas não eleitos pela população tomam as decisões na UE, esvaziando-se o poder dos governos e dos parlamentos nacionais (Eric Hobsbawm já falava a respeito disso), que são eleitos diretamente pela população; 

B) A distância entre países ricos e pobres está aumentando; 

C) A Alemanha é que está germanizando a Europa (sugiro a leitura do livro do Ulrich Beck, sociólogo alemão, a respeito, que se chama 'A Europa Alemã'); 

D) As desigualdades sociais estão crescendo e não diminuindo na UE, inclusive no Reino Unido;

3) A imposição de políticas neoliberais e de arrocho é que estão aumentando a concentração de renda, as desigualdades sociais, a pobreza e a miséria na UE. 

E é isso o que está alimentando o crescimento da extrema-direita e do neofascismo na Europa. Mas esse processo não é generalizado. Em vários países, quem está crescendo é uma 'nova Esquerda', o que são os casos de Portugal (com o 'Bloco de Esquerda') e da Espanha (com o 'Podemos' que, agora, se uniu à mais antiga e tradicional 'Izquierda Unida). 
Atualmente, a taxa de desemprego na Espanha está em 21%. Já são 5 anos consecutivos com taxa superior a 20%. 
No próprio Reino Unido, um trabalhista histórico e autêntico, Jeremy Corbyn, tornou-se o novo líder do Partido Trabalhista, desbancando a ala neoliberal - da Terceira Via - de Tony Blair/Gordon Brown;

4) Em 2008, o mundo entrou na pior crise econômica mundial desde os anos 1930. O FMI a denominou de 'Grande Recessão'. Desde 2008, 68 milhões de trabalhadores ficaram desempregados, segundo a OIT. 

Na UE temos cerca de 26 milhões de desempregados, sendo que as taxas entre os jovens são típicas de uma sociedade que enfrenta uma Grande Depressão. 

Na França ela é de 23,5%. Na Itália ela é de 36,9%; Na Espanha, ela chega a 45% e na Grécia ela atinge os 50,4%. Então, como se pode esperar que essa juventude continue a acreditar nos governos atuais da UE se nem um emprego eles conseguem? 

Isso ajuda a explicar o crescimento da 'Nova Esquerda' e da Extrema-Direita em muitos países europeus; 

5) A UE foi literalmente sequestrada pela Alemanha, que impede a adoção de políticas anti-neoliberais nos países do bloco. A Grécia queria abandonar tais políticas, mas a UE (Alemanha, especialmente) não permitiu, obrigando os gregos a engolirem um programa de arrocho que se fosse adotado no Brasil levaria o povo a botar fogo no Congresso Nacional e no Palácio do Planalto, no mínimo;

6) Para se entender melhor o processo de germanização da Europa, sugiro a leitura do livro de Ulrich Beck (sociólogo alemão). Há uma edição brasileira do mesmo, publicado pela Editora Paz e Terra.

Título: A Europa Alemã; Subtítulo: A Crise do Euro e as Novas Perspectivas de Poder; Autor: Ulrich Beck; Editora: Paz e Terra; 128 páginas; Ano: 2015.

7) Abaixo, publico a taxa de desemprego em cada um dos 28 países que integram a UE. 

Na média do bloco, a taxa é de altíssimos 18,8%. 

Taxa de Desemprego entre os jovens na União Europeia:

1) Grécia: 50,4%;
2) Espanha: 45%;
3) Croácia: 39%;
4) Itália: 36,9%;
5) Portugal: 29,9%;
6) Chipre: 28,2%:
7) Bélgica: 24,5%;
8) Eslováquia: 24,2%;
9) França: 23,5%;
10) Finlândia: 22,2%;
11) Romênia: 20,9%;
12) Suécia: 18,4%;
13) Bulgária: 17,4%;
14) Polônia: 17,1%;
15) Eslovênia: 16,6%;
16) Irlanda: 15,3%;
17) Letônia: 14,3%;
18) Hungria: 14,2%;
19) Lituânia: 13,8%;
20) Luxemburgo: 13,8%;
21) Reino Unido: 13,2%;
22) Dinamarca: 11,6%;
23) Estônia: 11,6%;
24) Holanda: 11,1%;
25) Áustria: 10,4%;
26) República Tcheca: 9,5%;
27) Malta: 8,9%;
28) Alemanha: 7%.


Link:

http://pt.tradingeconomics.com/european-union/unemployment-rate

Espanha está há 5 anos e meio com taxa de desemprego superior a 20%:

http://brasil.elpais.com/brasil/2016/04/28/internacional/1461825960_689667.html

Nenhum comentário: