sábado, 2 de julho de 2016

São Paulo, seus separatistas ridículos e o 'novo Japão'! - Marcos Doniseti!

São Paulo, seus separatistas ridículos e o 'novo Japão'! - Marcos Doniseti!
Relação de grandes empresas japonesas, que possuem íntima relação com o Estado, que as protege da concorrência externa e que apoia e estimula as suas atividades. 
Abaixo, comento dois trechos da entrevista de um dos líderes do SPL (São Paulo Livre) e nos quais ele explica porque deseja separar São Paulo do restante do país:
1) 'Porque temos uma história colonial própria':
Traduzindo - " Nossos ancestrais, os gloriosos Bandeirantes, saíram daqui e fizeram uma das maiores limpezas étnicas da história da humanidade, escravizando, estuprando e exterminando milhões de nativos. Se Hitler tivesse ouvido falar deles, com certeza os teria homenageado no Mein Kampf. Por isso é que temos tanto orgulho de sermos paulistas e queremos a independência de São Paulo'.
2) Outro trecho ridículo da entrevista:
"Queríamos formar um governo como o do Japão, que é pobre em matéria-prima, mas uma potência econômica.";
Explicando: Para isso, São Paulo terá que passar por algumas mudanças bem radicais, tipo:
2.1) Investir maciçamente em educação pública, gratuita e de qualidade, tal como o Japão fez no Pós-Guerra.
Então, pode parar com essa babaquice de querer fechar escolas, superlotar salas de aula, pagar salários miseráveis aos professores, espancar alunos e funcionários da educação que fazem greves;
2.2) Investir muito em tecnologia, tal como o Japão faz, principalmente na área industrial;
O 'Plano Colombo' foi a versão japonesa do Plano Marshall e permitiu a reconstrução do Japão no Pós-Guerra, com recursos originários dos EUA. Seu sucesso e a ocupação militar do Japão pelos EUA garantiram a submissão nipônica aos interesses estratégicos do Tio Sam, principalmente na Ásia, que, a partir de 1945, foi atingida pela Revolução Socialista na China, na Coréia e na Indochina, principalmente no Vietnã. 
2.3) Manter e ampliar o Ciência Sem Fronteiras.
Um dos principais motivos da modernização do Japão foi que, a partir das últimas décadas do século XIX (pós-Restauração Meiji, que ocorreu em 1868), o governo do país enviou milhares de estudantes para estudar nas melhores universidades da Europa e dos EUA.
Eles voltaram para o país e ajudaram muito no seu desenvolvimento industrial, tecnológico e econômico, o que levou o Japão a se tornar a maior potência industrial e militar da Ásia em pouco mais de 20 anos;
2.4) Melhorar e muito a distribuição de renda. Afinal, enquanto o índice de Gini do Brasil é de 0,519, o do Japão é de 0,376.
Obs: No índice de Gini, quanto mais próximo de 1, maior é a concentração de renda. Quanto mais próximo de 0, menor é a concentração de renda. Logo, o Japão possui uma concentração de renda bem menor do que a do Brasil;
2.5) Ter um Estado forte e que intervenha bastante na economia, concedendo crédito farto e barato e criando reservas de mercado para as empresas nacionais (fechando o mercado nacional para produtos importados), baseado na ideia de que 'Capital se faz em casa', restringindo a entrada de capital estrangeiro no país;
2.6) Desvalorizar a moeda nacional, a fim de tornar as exportações altamente competitivas em todos os mercado mundiais. O Japão fez isso depois da Segunda Guerra Mundial;
2.7) Criar o contrato vitalício de trabalho, proibindo as empresas de mandarem os trabalhadores embora. E nas épocas de crise, mandar os trabalhadores para casa, mas sem demiti-los, pagando os salários deles normalmente;
2.8) Receber bilhões de dólares dos EUA sob a forma de investimentos a fundo perdido, para que o país possa se desenvolver rapidamente, tal como aconteceu com o Japão depois da Segunda Guerra Mundial;
'São Paulo possui uma história colonial própria', dizem os separatistas paulistas. É verdade. Os Bandeirantes, que escravizaram, estupraram e exterminaram milhões de nativos brasileiros (chamados de índios), eram paulistas.
2.9) Copiar na cara-dura os produtos inventados por outros países e exportá-los livremente para os EUA, o maior mercado consumidor do mundo, a preços bem menores, já que não tiveram despesa em pesquisa e desenvolvimento;
2.10) Fazer uma Reforma Agrária radical, que elimine os latifúndios, entregando as terras para os camponeses e pequenos proprietários;
O Japão fez isso logo após a Segunda Guerra Mundial e deu excelentes resultados;

2.11) Formar grandes conglomerados empresariais que atuem de forma combinada e que recebam ajuda e proteção do Estado (chamados de Keiretsus), a fim de reduzir custos, eliminar a concorrência (interna e externa), aumentar a eficiência e a competitividade (dentro e fora do país). Então, pode jogar no lixo aquela baboseira de 'livre mercado'. Os japoneses e os asiáticos em geral (chineses, coreanos, etc) nunca acreditaram nessa asneira. 

2.12) Ter uma cultura que valorize muito mais o interesse da coletividade do que o do indivíduo. No Japão é assim. 
Então, sabe aquela famosa frase da Thatcher, que disse que 'Não existe sociedade. Existem apenas indivíduos'? Esqueça. No Japão (e na Ásia em geral) eles pensam exatamente o contrário. 
Logo, paulistas reacionários, sugiro que vocês joguem o seu pensamento neoliberal, egoísta e individualista na lata de lixo se quiserem transformar o estado de São Paulo em um 'novo Japão'. 
Está vendo como é fácil transformar São Paulo num 'novo Japão'.
'Boa sorte'...
Links:
SPL: Queremos transformar São Paulo em um 'novo Japão': 


Os Zaibatsu:

Os Keiretsu:

Nenhum comentário: