terça-feira, 4 de outubro de 2016

Afinal, porque as periferias abandonaram as forças progressistas nestas eleições? – Marcos Doniseti!

Afinal, porque as periferias abandonaram as forças progressistas nestas eleições? – Marcos Doniseti!
Haddad criou o ProUni, em 2005, quando era ministro da Educação do governo Lula. Mas quantos eleitores paulistanos sabem disso? 
As periferias de todo o Brasil viraram as costas ao PT e para as forças progressistas. Fato. E o resultado disso nós vimos nas eleições municipais deste ano.

Agora, temos que analisar friamente os motivos disso ter acontecido, apesar de todas as políticas sociais que foram adotadas nestes 13 anos de governos petistas (Lula e Dilma).

Temos algumas pistas para tentar encontrar uma resposta para essa questão.

Vou citar algumas:

- Vão até qualquer região periférica, de qualquer cidade brasileira, e vejam quantos núcleos do PT ou de movimentos sociais progressistas temos nas mesmas, ativos, funcionando, promovendo um diálogo com a população local, por meio de reuniões, atos públicos, etc.

E depois compare com o número de igrejas evangélicas neopentecostais que são extremamente conservadoras e que odeiam o PT que existem nas mesmas periferias. 

- Procure descobrir quais são as fontes de informação da população das periferias brasileiras. Aposto que as grandes mídias reacionárias ganham de lavada.

Em São Paulo, apresentadores como o Datena, que ficou quatro anos atacando duramente ao governo Haddad, são extremamente populares. Nas emissoras de rádio o PT, Lula, Dilma e os movimentos sociais são atacados dia sim, dia também. 

E não temos nenhum ‘Datena progressista’ para divulgar uma visão radicalmente distinta daquela que o ‘Datena reacionário’ divulga. Também não temos nenhuma emissora de rádio progressista que divulgue uma visão distinta dos acontecimentos.
Em desemprego de 2014 a taxa de desemprego caiu para o menor patamar da história (4,3%). 
Com isso, a visão mais retrógrada se impõe a respeito de todos os assuntos. E daí ficamos surpresos quando os eleitores reproduzem estes argumentos e votam em candidatos da Direita Reacionária. 

O governo de Haddad foi massacrado diariamente pelos jornais, emissoras de rádio e TV, durante quatro anos seguidos. E em nenhum momento ele conseguiu contestar essa visão, extremamente negativa, que essa Grande Mídia divulgou a respeito do seu governo.

Querer que, depois de todo esse massacre midiático, Haddad ainda vencesse a eleição é piada. E de péssimo gosto.

E o problema é que isso sempre aconteceu com os governos do PT na capital paulista: Foi assim com os governos de Erundina e de Marta. E agora o mesmo se repetiu com o governo de Haddad.

Isso ajuda muito a explicar porque os governos do PT, apesar de muitas realizações significativas, nunca conseguem se reeleger na capital paulista.

E o fato concreto é que o PT nunca conseguiu furar esse bloqueio midiático. E também nunca tentou. E este foi um grave erro, sem dúvida alguma.
O poder de compra do salário mínimo aumentou 91,3% durante os governos Lula e Dilma, passando de R$ 200 (2002) para R$ 880 (2016).
- Perguntem a essa população das periferias qual é a origem dos programas sociais que os beneficiam, questionando-os a respeito de quem os criou e quando.

Por exemplo: Quantos, na periferia de São Paulo, sabem que Fernando Haddad foi o criador e idealizador do ProUni, em 2005, durante o governo Lula?

- Perguntem a estas pessoas das periferias se elas tomaram conhecimento das inúmeras melhorias econômicas e sociais que tivemos durante os governos Lula e Dilma.

Quantas destas pessoas sabem, por exemplo, que, durante os governos Lula e Dilma, o Brasil se tornou a 7a. maior economia mundial e que foram criados 21 milhões de empregos com carteira assinada, entregues 2,5 milhões de moradias do Minha Casa Minha Vida ou que o salário mínimo teve um aumento real de 91,3% entre 2003-2016.

Conheço pessoas que possuem curso superior completo e que tem acesso às mais variadas fontes de informação e que não sabem de nada disso. Imaginem, então, o que acontece com alguém que se informa apenas pela Grande Mídia Reacionária.

As lutas políticas e sociais, atualmente, são essencialmente conflitos midiáticos.

Quem impõe a sua narrativa, por meio da Mídia, vence as disputas.
A renda per capita brasileira aumentou 315,2% entre 2003 e 2014, passando de US$ 2.810 para US$ 11.670.
Doria ganhou a eleição já no primeiro turno, na capital paulista, porque a narrativa que o beneficia foi amplamente vitoriosa na sociedade e isso já tinha acontecido muito antes da realização da eleição. O fato concreto é que ele já tinha vencido a eleição antes mesmo que esta acontecesse.

Vou citar um outro exemplo: Antes de começar a campanha eleitoral no rádio e na TV, na campanha presidencial de 2014, o governo Dilma tinha cerca de 30% ótimo/bom, o que era inteiramente insuficiente para permitir a sua reeleição.

No entanto, durante a campanha eleitoral, Dilma teve condições de mostrar o que estava fazendo. O resultado disso é que quando a campanha eleitoral terminou o índice de ótimo/bom de seu governo já estava em 45%, o que lhe permitiu conquistar a vitória.

- O fato de que as mudanças introduzidas por Eduardo Cunha em 2015 tenham resultado na diminuição do número de dias de campanha eleitoral (foi reduzido de 90 para 45 dias) e do período de tempo em que  são exibidos os programas eleitorais no rádio e na TV (diminuiu de 45 para 35 dias) também contribuiu para essa fragorosa derrota das forças progressistas (do PT, em especial) nas eleições deste ano.

Afinal, isso significa que a Grande Mídia teve mais tempo para atacar o PT e, ao mesmo tempo, que os governos petistas (de Haddad, por exemplo) tiveram muito menos tempo para mostrar as suas realizações.
Banco Mundial: Pobreza crônica caiu de 6,7% para 1,6% em um período de oito anos (governos Lula e Dilma).
Caso esta alteração tivesse sido aprovada a tempo de valer já para a campanha presidencial de 2014 é bem provável que a Presidenta Dilma não tivesse conseguido se reeleger.

Isso comprova que quem controla a Mídia e impõe a sua narrativa, a sua versão dos acontecimentos, vence as eleições.

Justamente por isso é que eu bato sempre na mesma tecla: O maior erro de Lula e Dilma foi não ter construído um sistema de comunicação alternativo e que permitisse mostrar uma versão dos acontecimentos que fosse diferente daquele que a Grande Mídia (Globo, Veja, Folha, Estadão, CBN, Jovem Pan, Band) impõe ao público.

A Internet e as redes sociais são, de fato, o único espaço em que a militância progressista tem espaço, mas a Direita Reacionária também está presente na mesma 
e com uma atuação bastante significativa.

Enquanto as forças progressistas não possuírem uma mídia própria que permita divulgar a sua versão dos acontecimentos, e que possa atingir a população brasileira em geral, a versão que a Grande Mídia divulga para a população continuará sendo vitoriosa.

E com isso as forças progressistas continuarão a sofrer sucessivas derrotas. Antes, durante e depois das eleições.
Residências do Minha Casa Minha Vida, que foi um dos programas sociais criados pelos governos Lula e Dilma. Até o final de 2015 foram entregues 2,5 milhões de moradias, beneficiando cerca de 10 milhões de pessoas. 
Links:

ProUni beneficiou 1,4 milhão de estudantes em 10 anos:


ProUni e Fies beneficiam 40% dos alunos de universidades privadas brasileiras:

Nenhum comentário: