terça-feira, 6 de dezembro de 2016

A 'Nova Direita' neoliberal e entreguista foi para as ruas! E ela é ainda pior do que o Fascismo! - Marcos Doniseti!

A 'Nova Direita' neoliberal e entreguista foi para as ruas! E ela é ainda pior do que o Fascismo! - Marcos Doniseti!
Kim Kataguiri, do MBL, é um das principais lideranças desta 'Nova Direita' neoliberal e entreguista, que pratica uma indignação seletiva contra a corrupção e que defende entregar todas as riquezas nacionais ao capital estrangeiro. 
A Direita que foi às ruas neste final de semana é uma Direita Troglodita e que apareceu há pouco tempo no cenário político brasileiro. É uma espécie de 'Nova Direita' em ação no Brasil.

Essa 'Nova Direita' fala em defender o Brasil ao mesmo tempo em que prega a volta da Ditadura Militar, aprova a entrega do petróleo do pré-sal e do patrimônio do país ao capital estrangeiro, quer destruir as políticas sociais, defende privatizar tudo (Bancos públicos, Petrobras, BB, CEF), além de praticar uma descarada indignação seletiva na questão da corrupção, pedindo por 'Fora Renan' e querendo a prisão de Lula, mas poupando inteiramente os demais envolvidos em escândalos de corrupção.

Nem o governo Temer eles criticaram em suas manifestações deste domingo.

Traduzindo: Essa 'Nova Direita' é formada por um bando de neoliberais reacionários, entreguistas e hipócritas.

E não dá sequer para chamá-los de Fascistas, pois o Fascismo tinha um caráter fortemente nacionalista e que promovia uma grande intervenção do Estado na economia, mas sem ser Socialista (como pensam tantos ignorantes).
A 'Nova Direita Neoliberal' pede por intervenção militar de forma explícita. Isso é fácil de explicar: É que o Projeto Neoliberal somente é viável com a instalação de Ditaduras. Pinochet que o diga... 
O governo de Mussolini praticou um tipo de 'Capitalismo de Estado', que reprimia duramente ao movimento sindical, enquanto reconhecia os direitos pelos quais o mesmo lutara intensamente por várias décadas, submetendo-o ao controle direto do Estado. Assim, o regime Fascista controlava os trabalhadores, permitindo que os Capitalistas continuassem a explorar intensamente aos mesmos. 

Foi o governo de Mussolini que criou a 'Carta Del Lavoro', de onde Getúlio Vargas tirou a CLT, que os neoliberais e direitistas reacionários brasileiros desejam extinguir, e que promoveu a intervenção do Estado em inúmeros setores da economia e da cultura italiana. 

A criação da 'Carta Del Lavoro', pelo regime Fascista de Mussolini, foi consequência direta da forte atuação política do movimento operário italiano, que chegou a ocupar as fábricas do país durante o chamado 'Biênio Vermelho' (1919-1920), quando ocorreu uma Revolução Socialista no país, mas que acabou derrotada. 

O governo de Mussolini também criou, por exemplo, a 'Cinecittá' (Cidade do Cinema), uma espécie de versão italiana de Hollywood.
A 'Nova Direita Neoliberal' tupiniquim idolatra de tal maneira aos EUA que chega a pedir para que eles invadam o Brasil, a fim de 'eliminar o comunismo' do país.
O objetivo do regime fascista, com isso, foi o de criar uma produção cinematográfica autenticamente nacional, que mostrava uma idealização da Itália da época. A 'Cinecittá' produziu mais de 300 filmes entre Abril de 1937 e 1943.

A criação da 'Cinecittá' abriu caminho para a ascensão de toda uma nova geração de produtores, cineastas, roteiristas, atores que, já nos últimos anos do governo de Mussolini (1942), deu origem a um dos mais revolucionários movimentos cinematográficos da história mundial, que foi o Neo-Realismo.

Assim, essa 'Nova Direita' brasileira consegue ser ainda pior do que o Fascismo, pois possui um caráter nitidamente entreguista e que desvaloriza os símbolos nacionais, bem como tudo o que é brasileiro.

Os integrantes dessa 'Nova Direita', de fato, tem vergonha de ser brasileiros e o sonho deles era morar em Miami, nem que fosse para lavar latrina. E tais características que nunca estiveram presentes no Fascismo.

Logo, a 'Nova Direita Neoliberal' brasileira consegue ser ainda pior do que o Fascismo, pois ela é ditatorial (tal como o Fascismo), mas também recusa-se a reconhecer os direitos dos trabalhadores como legítimos, além de renegar os valores, símbolos e a cultura nacional, adotando a ideia, tipicamente colonizada, de que tudo que vem 'de fora', do exterior, é melhor, tendo os EUA como sendo o seu modelo ideal. 
Até o governo de Mussolini tratou de intervir na economia e na cultura. Um exemplo disso foi a criação da 'Cinecittá', a 'Hollywood' italiana, que produziu mais de 300 filmes entre 1937 e 1943. 

Golpe quebrou as Grandes empresas do país! Direita não tem nome forte para a disputa presidencial de 2018! 

O jornalista Franklin Martins disse que o Brasil caminha para um processo de convulsão social. 

Há vários meses que estou dizendo isso, ou seja, que caminhamos para uma convulsão social. 

Afinal, o cenário brasileiro atual é marcado por um rápido aumento do desemprego aumentando, pedidos de recuperação judicial de empresas batendo recordes, vendas do comércio varejista e investimentos produtivos despencando, arrocho salarial, contas públicas sendo arrebentadas (Dívida Pública Líquida já está em 45% do PIB, sendo que era de apenas 34% no final de 2014). 

Tudo isso configura um cenário econômico e social explosivo, que deverá piorar ainda mais em 2017. Até porque temos um agravante, que é crise política e institucional que o país está vivendo neste momento, com as principais lideranças e instituições do país se digladiando. 

E é muito interessante a observação do Franklin Martins de que a Direita não tem um nome forte para vencer a eleição presidencial de 2018 e que, em função disso, poderemos não ter a realização de eleições.

Quando a então Presidenta Dilma venceu a eleição presidencial de 2014, a Direita se desesperou porque sabia que Lula seria imbatível em 2018, tendo chances de se reeleger em 2022. 
Com a vitória de Trump, o Brexit, a derrota de Renzi no referendo italiano e o crescimento das forças de Extrema-Direita e de Esquerda na Europa, a Globalização Neoliberal está com os dias contados. E governos neoliberais, como os de Temer e Macri, não terão chance alguma de serem bem sucedidos. 

Daí, a Direita Troglodita tupiniquim decidiu promover o Golpe, independente das consequências que o mesmo tivesse para o país e para o seu povo.

E o resultado é esse cenário catastrófico que estamos vivendo atualmente. 

Aliás, a ausência de uma forte candidatura de Direita para vencer a eleição presidencial também foi um dos motivos para o Golpe de 64 acontecesse. Na época, os candidatos mais fortes para a eleição presidencial de 1965 eram JK e, caso pudesse se candidatar, Jango. Brizola também era uma forte liderança, na época, e desejava se candidatar a Presidente em 1965.

A Direita não tinha nenhum nome capaz de derrotar JK, Jango ou Brizola. 

E foi por isso que vários presidenciáveis direitistas apoiaram o Golpe, além de serem líderes políticos profundamente reacionários, é claro. Estes foram os casos dos governadores de São Paulo (Ademar de Barros), de Minas Gerais (Magalhães Pinto) e da Guanabara (Carlos Lacerda).

Eles pensaram: 'O Golpe vai eliminar os candidatos progressistas e dai ficaremos somente nós, da Direita, na disputa'. E no fim não ficou nenhum deles para disputar a Presidência da República, pois nem sequer tivemos eleição presidencial em 1965. Ademar e Lacerda acabaram tendo os seus direitos políticos cassados, enquanto que Magalhães Pinto abdicou das suas ambições presidenciais. 

No fim das contas, o mandato do ditador Castello Branco foi prorrogado e as eleições presidenciais tornaram-se indiretas a partir da adoção do AI-2. E somente voltamos a ter eleição direta para Presidente da República em 1989.
Trump nem tomou posse como Presidente dos EUA e já fechou um acordo que impediu que uma indústria do estado de Indiana (que emprega 300 trabalhadores) fechasse as portas e transferisse a sua unidade de produção para o México. Em troca da manutenção das suas atividades nos EUA, o governo de Indiana irá oferecer US$ 7 milhões por 10 anos em incentivos fiscais para a empresa.

E agora a Direita não tem, novamente, um nome forte, com chances reais de vitória, para a disputa da eleição presidencial de 2018, o que poderá levar as forças conservadoras a adiar a eleição ou, então, poderá levá-las a adotar o Parlamentarismo, onde as forças direitistas são amplamente majoritárias, possuindo cerca de 80% dos congressistas. 

Mas o fato concreto é que o Golpe de 2016 destruiu o Brasil.

Basta ver a reportagem do 'Estadão', que apoiou o Golpe, dizendo que 49% das GRANDES empresas brasileiras não possuem recursos sequer para pagar os juros da dívida que acumularam. 

Traduzindo: Elas estão FALIDAS. 

Os pedidos de recuperação judicial de empresas aumentou 51,1% no acumulado de 2016. O consumo de eletricidade no país caiu 2,8% em Outubro, sendo que a maior queda foi no setor de comércio e serviços (-6,9%), que representa 2/3 do PIB brasileiro. As vendas de veículos Zero Km despencaram 21,1% no acumulado de Janeiro a Novembro de 2016. 

O setor de TV paga havia dobrado o número de assinantes entre 2010 e 2014. Apenas no ano de 2014 (quando o PIB do país cresceu 0,5%) a expansão havia sido de 8,7%. Mas nos últimos 12 meses, durante o movimento golpista que derrubou o governo Dilma, o número de assinantes diminuiu em 471 mil. 
A taxa de desemprego do Brasil (média anual) despencou durante os governos Lula e Dilma e era de apenas 4,8% no final de 2014. Agora, apos o início do movimento golpista, ele voltou a disparar e já está em 11,8%, taxa quase igual à de 2002 (12,5%). 

Resultados do Golpe: Economia devastada (em Depressão, acumulando queda de 4,4% entre Janeiro e Setembro deste ano), com contas públicas arrebentadas, empresas falidas, desemprego em massa, arrocho salarial, dívida pública disparando, aumento da pobreza e da miséria, crescimento acelerado de furtos e roubos.

E tudo indica que a crise brasileira irá se agravar em 2017, até em função da piora do cenário mundial, com a vitória de Trump (que irá adotar políticas protecionistas), do Brexit, da derrota de Matteo Renzi no referendo italiano e do fortalecimento das forças de Extrema-Direita em países importantes da Europa (Alemanha, Holanda, França, entre outros). Tudo isso colocará em xeque o processo de Globalização Neoliberal, ao qual o governo Temer pretendia atrelar o Brasil de forma muito mais intensa. 

Com a piora da situação política e econômica global e com as medidas recessivas e de eliminação de direitos adotadas pelo governo Temer, não há a menor possibilidade de que a economia brasileira volte a crescer nos próximos anos. 

Parabéns aos Golpistas por suas 'brilhantes' conquistas.
Durante os governos Lula e Dilma, as vendas de veículos batiam sucessivos recordes. Agora, somente em 2016, as vendas desabaram 21%. Movimento golpísta destruiu a economia brasileira. 

Links:

Franklin Martins: Brasil está em Depressão econômica e poderemos não ter eleição presidencial em 2018:


Grandes empresas brasileiras não conseguem nem pagar os juros das suas dívidas:


Pedidos de recuperação judicial de empresas aumentou 51,1% no acumulado de 2016:


Comércio de São Paulo deverá ter queda de 6% nas vendas de Natal:



Consumo de eletricidade caiu 2,8% em Outubro:


Número de assinantes de TV paga diminuiu em 471 mil no acumulado de 12 meses:


Vendas de veículos Zero Km despencaram 21,1% no acumulado de Janeiro a Novembro de 2016:


Governo Temer: Preço da Gasolina é reajustado em 8,1% e do óleo diesel em 9,5%:

Nenhum comentário: