sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

A prioridade das forças progressistas deve ser lutar contra os planos do governo golpista! - Marcos Doniseti!

A prioridade das forças progressistas deve ser lutar contra os planos do governo golpista! - Marcos Doniseti!
O Capital Financeiro assumiu inteiramente o controle do Estado Brasileiro em 2016 por meio de um Golpe de Estado. 

Observo que algumas pessoas estão pedindo pelo ‘Volta Dilma’ ou pelo ‘Anula o Golpe STF’. Entendo que isso não irá acontecer e afirmo isso por vários motivos. 

Em primeiro lugar, Dilma tem um elevado índice de rejeição. Isso é inegável. Por isso entendo que o povo não pedirá pela volta dela. Isso é ficção científica.

Talvez peçam pela volta de Lula, daqui a alguns meses, quando a crise econômica e social estiver muito pior (e ela irá se agravar), pois Lula saiu do governo com elevada popularidade, algo que não aconteceu com Dilma. Esta saiu com a imagem (se é correta ou não é outra história) de ter promovido um 'estelionato eleitoral', ou seja, de ter feito um discurso durante a campanha e de ter adotado outro depois de eleita. 

Lula nunca foi acusado disso. E isso explica porque ele lidera todas as pesquisas eleitorais para Presidente da República.

Lula nunca nomeou um Joaquim Levy, um neoliberal, para o Ministério da Fazenda, como a Dilma fez. Lula sempre manteve este cargo (estratégico) nas mãos do PT (nomeando Palocci e Mantega). Em seu governo, Meirelles era apenas o presidente do BC, tendo um papel secundário na área econômica. Ele estava lá apenas para acalmar o mercado financeiro, mas a política econômica estava nas mãos de Lula.

Foi por isso que tivemos a criação de políticas sociais e de estímulo ao crescimento econômico desde o primeiro ano de seu governo. A política de aumento real do salário mínimo começou já em 2003 (ele foi reajustado em 20%, contra uma inflação de 9,3% para o mesmo ano), o Bolsa Família e o Luz Para Todos foram criados em 2003. O ProUni foi criado em 2005. E em 2006 tivemos a criação do PAC.

Dilma entregou o Ministério da Fazenda para os bancos (Levy é do Bradesco). Daí eles quiseram mais, ou seja, o cargo dela. Foi o seu maior erro. Aliás, nem a própria Dilma pensa que poderá voltar ao cargo.

Tanto que ela já pediu por Diretas-Já. E Lula também fez o mesmo.
As elites brasileiras acumularam capital por meio de uma brutal exploração da força de trabalho. E ficou tão viciada nisso, que não quer mais abandonar tal política. 

Além disso, quando digo que não há chance alguma de Dilma voltar é porque, além dela ser muito impopular, este é um Golpe INSTITUCIONAL.

Foram as próprias instituições do país que o promoveram.

Toda a máquina estatal (MPF, PF), a Burguesia brasileira, mais a Grande Mídia, o Capital Financeiro Globalizado, 80% da classe política, Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, o governo dos EUA, as petroleiras, todos participaram disso.

E o Golpe não foi apenas interno. Foi externo também. Leiam os textos e vejam as entrevistas de Pepe Escobar, Jessé Souza e Moniz Bandeira e se certifiquem disso.

Sugiro também que leiam 'A Segunda Guerra Fria', de Moniz Bandeira, 'A Doutrina do Choque', de Naomi Klein, e 'Todos os Homens do Xá', de Stephen Kinzer, que daí vocês terão uma perspectiva mais ampla do que foi esse Golpe que tivemos no Brasil.

Assistam também ao filme 'Estado de Sítio', do Costa-Gavras, que mostra como os EUA treinam agentes e funcionários de outros países e os utilizam para promover Golpes mundo afora. Ainda não vi, mas indicaram ‘Snowden’, o novo filme de Oliver Stone, como uma forma de ajudar a entender esse Golpe que tivemos no Brasil. 

Essa turma não promoveu um Golpe para anular o mesmo, depois, e colocar a Dilma de volta no cargo, por mais justo, legal, constitucional e correto que isso seja.
Taxa de desemprego desabou durante os governos Lula e Dilma, fechando 2014 com uma taxa média (anual) de 4,8%. Agora, o desemprego já está em 11,8%, em função do movimento golpista que arruinou a economia brasileira.  

Os golpistas não estão para brincadeira. A PEC 241/55 e a Reforma da Previdência Social que o digam. Ambos são retrocessos gigantescos, que sequer a Ditadura 
Militar teve coragem de promover.

E depois da Reforma Previdenciária, teremos a famigerada 'Reforma Trabalhista', ou seja, a destruição da CLT e a aprovação, pelo Senado, da Terceirização generalizada.

E ao contrário do que muitos dizem os golpistas tem um projeto, sim, para colocar em prática, e o mesmo é de caráter reacionário, neoliberal e entreguista.

E eles irão fazer isso rapidamente, o que já estão fazendo, aliás. 

E é contra esses planos do governo golpista que temos que lutar. Esta deve ser a 
prioridade das forças progressistas. É esta luta que poderá ser fundamental para a reconstrução e a recuperação delas.

Quando travamos lutas políticas, temos que fazer uma análise realista dos acontecimentos. Se não fizermos isso, adotaremos estratégias totalmente equivocadas de luta e contribuiremos para a vitória dos inimigos. Nestas circunstâncias, seremos inevitavelmente derrotados.

As Esquerdas já cometeram esse erro inúmeras vezes aqui no Brasil (e pelo mundo afora também). 

Isso aconteceu, por exemplo, em 1935, quando Luiz Carlos Prestes se convenceu de que tínhamos as condições necessárias para se promover uma 'Revolução Socialista'. No entanto, a mesma não passou de uma mistura de quartelada e carnaval de rua.
Donald Trump promete adotar uma política protecionista, a fim de reindustrializar os EUA. Se isso acontecer, o comércio mundial irá despencar, agravando ainda mais a crise global. Suas políticas tem tudo para inviabilizar os governos neoliberais pelo mundo afora, incluindo os de Temer e Macri, entre outros.  

Prestes dizia que o Brasil estava pronto para passar por uma 'Revolução Socialista'. 

Assim, Prestes errou feio na análise da realidade brasileira da época e, com isso, tomou decisões totalmente equivocadas, que foram fatais, sendo que inclusive contribuíram fortemente para a instalação, em Novembro de 1937, da Ditadura do ‘Estado Novo’.

E ocorreu o mesmo fenômeno durante o governo Jango, quando as Esquerdas Radicais fizeram de tudo para inviabilizar o governo deste, contribuindo decisivamente para enfraquecê-lo. 

E assim, o Golpe de 64 triunfou sem maiores resistências, para surpresa dos próprios golpistas, que esperavam travar uma guerra civil, inclusive, para a qual estavam se preparando. Assim, durante o governo Jango, em vez das forças progressistas se unirem, elas racharam, facilitando muito a vitória dos movimentos golpistas naquele momento.

Portanto, entendo que pedir pelo 'Volta Dilma' é fantasia (tal como era a 'Revolução Socialista' de Prestes em 1935) e isso serve apenas para dividir e enfraquecer as já bastante enfraquecidas forças progressistas do país, que foram virtualmente massacradas nas recentes eleições municipais, quando os partidos que participaram do Golpe foram amplamente vitoriosos, em todo o Brasil.

Entendo que temos que ser realistas.
'Todos os Homens do Xá': Ótimo livro de Stephen Kinzer sobre o Golpe de Estado no Irã, em 1953, que mostra como os EUA promovem processos de desestabilização a fim de derrubar governos nacionalistas e reformistas. A colaboração de setores políticos e sociais poderosos dentro de cada país é fundamental para que os Golpes sejam bem sucedidos.  
Logo, primeiro devemos lutar pelo possível. E neste momento, isso significa lutar para barrar os planos do governo golpista (as reformas trabalhista, previdenciária, PEC 55, privatizações, desmonte da Petrobras, entrega do pré-sal, reforma do ensino médio, etc).

Depois que conseguirmos isso, lutaremos por metas mais ambiciosas. 
Mas é uma coisa de cada vez.

Que adianta ficar pedindo pelo Paraíso na Terra, quando milhões mal tem o que comer ou mesmo um mero emprego?

Esse governo golpista não cairá tão facilmente quanto vocês pensam, por mais impopular que ele seja. Até porque ele ainda possui amplas bases de sustentação, que são as elites (nacionais e estrangeiras) que o colocaram no poder. Vejam bem: 

Não estou falando de Temer, mas do governo golpista como um todo.

Temer é fraco, sim, mas o governo golpista não é. Como disse o FHC, Temer 'é uma pinguela, é o que temos'. Ele é o instrumento que as forças golpistas têm, neste momento, para impor o seu projeto ao país, não importando se este projeto é impopular ou não.

É como disse o Nizan Guanaes: Temer já é impopular, mesmo, então ele que aproveite para impor medidas impopulares, pois não fará diferença nenhuma. Até porque ele não chegou ao poder pelo voto popular, mesmo, então ele não deve satisfação alguma ao povo brasileiro.

Então, não basta colocar um milhão de pessoas na frente do STF para a Dilma voltar, como tantos dizem por aí. Quem acredita nisso é ingênuo, para dizer o mínimo. Se todas essas pessoas aparecessem por lá, elas seriam brutalmente reprimidas. É assim que as coisas funcionam em regimes autoritários, onde a Constituição e as 
Leis não valem mais nada.
Com as novas regras que o governo Temer quer impor, aposentar se tornará um privilégio no Brasil. 

Então, sugiro que se esqueçam do Temer. Este é apenas um peão nesse tabuleiro. 

Ele será usado, tal como o Cunha também foi. E também poderá vir a ser descartado quando não servir para mais nada. Se ele for útil para colocar em prática o que os golpistas desejam, ele ficará no cargo até 2018. Mas se eles perceberem que ele é fraco demais para promover tais mudanças, então ele será derrubado e colocarão alguém que possa fazer o mesmo serviço no lugar dele.

Outra coisa: O jogo de poder que temos no Brasil é global, é pesado, é violento, envolvendo as grandes potências mundiais, que incluem os BRICS, EUA, Rússia, China. São interesses globais que estão em jogo no Brasil.

O fato concreto é que as economias capitalistas desenvolvidas nunca conseguiram superar a crise na qual entraram em 2008. A tal 'recuperação' beneficiou apenas a turma da primeira classe, aos mais ricos, ao Grande Capital. Para a imensa maioria da população dos EUA e da UE a crise está longe de terminar. A classe média e a classe trabalhadora industrial empobreceram e encolheram, nos países desenvolvidos, desde o estouro da crise. 

E foi justamente por isso que tivemos o Syriza sendo vitorioso na Grécia, ocorreu a vitória do Brexit e do Trump, tivemos a derrota de Matteo Renzi na Itália e que a Extrema-Direita e a Esquerda estão crescendo por todo o mundo desenvolvido.
E os países capitalistas enxergam no saque das riquezas e do patrimônio dos países emergentes (A.Latina, O.Médio, África, Ásia) a saída para sair da sua crise. 

Evo Morales já disse: Antigamente, quando queriam sair de crises, os países ricos saqueavam os países destas regiões. E agora eles voltaram a fazer o mesmo. Daí os Golpes, processos de desestabilização e guerras pelo mundo afora (Honduras, Paraguai, Venezuela, Brasil, Ucrânia, Síria, etc).

Tais países precisam voltar a controlar as riquezas e o patrimônio dos países emergentes, custe o que custar, para poder sair da crise em que se enfiaram. É por isso que o governo Temer entregou o pré-sal e está desmantelando a Petrobras tão rapidamente.
Enquanto a elite política do Brasil se esbalda, o povo é reprimido por lutar contra a PEC que congelará os investimentos sociais por 20 anos.

Desde o governo Bush Jr os EUA colocaram em ação o chamado PNAC (Projeto para um Novo Século Americano) dos Neocons, que começou a ser implantado no governo Bush, pós-11/09/2001, e que continuou no governo Obama. O PNAC visa impor uma Ditadura Global dos EUA. E é claro que as elites capitalistas associadas aos EUA em inúmeros países contribuem para isso.

E no Brasil isso sempre foi muito forte.

Sempre tivemos uma elite capitalista fortemente associada ao capital estrangeiro (EUA e Europa). O Brasil nasceu assim. Desde o período Colonial que as elites brasileiras são sócias minoritárias do Grande Capital Global. Assim, não é à toa que elas cultuam tudo que vem de fora. As elites tupiniquins sempre foram culturalmente colonizadas e economicamente dependentes do capitalismo dos países desenvolvidos.

Logo, não é à toa que as elites tupiniquins preferem tudo que vem de fora e desprezam a cultura nacional, os valores, os símbolos e o próprio povo brasileiro, que veem apenas como mão-de-obra barata para ser explorada brutalmente. Até porque foi assim, explorando força de trabalho escrava e semi-escrava, que os capitalistas brasileiros acumularam tantas riquezas.

Atualmente, o Brasil é uma espécie de Síria, com a diferença de que ainda não estamos em guerra, mas os interesses que atuam aqui são globais, tal como acontece na Síria, embora de outra forma.

Portanto, entendo que para inviabilizar os planos do governo golpista, teremos que ir às ruas, sim, mas não para pedir pelo ilusório, ingênuo e fantasioso 'Volta Dilma' ou pelo estúpido e imbecil 'Anula o Golpe STF', mas para lutar contra os planos concretos dos golpistas.

Essa deve ser a prioridade imediata das forças progressistas brasileiras neste momento.

Se elas não entenderem isso, já era.
Acima vemos alguns dos principais líderes Neocons, defensores do PNAC (Projeto para um Novo Século Americano): Donald Rumsfeld,  Dick Cheney e Paul Wolfowitz. Neocons subiram ao poder no governo de Bush Jr. e permaneceram no mesmo durante o governo Obama, que adotou as suas ideias e políticas. 
Links:

Dilma defende as Diretas Já:


Entrevista com Pepe Escobar:


Entrevista com Moniz Bandeira:


Golpe no Irã em 1953:


Governo Temer entrega o pré-sal ao capital estrangeiro:


Governo Temer - O desmonte da Previdência Social:


Jessé Souza - Elite global está por trás da derrocada da Social-Democracia:


Número de inadimplentes no país cresce e chega a 58,7 milhões:


Investimentos produtivos despencam 13,6% em Outubro:


Governo Temer desmonta a Previdência Social:


Congelar investimentos sociais por 20 anos nivelará Brasil ao Congo, um dos 15 países mais pobres:


Previdência dos militares fica de fora da Reforma, embora tenha despesa maior do que o Bolsa Família:


ONU diz que PEC 241/55 provocará retrocesso histórico:

Nenhum comentário: