terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Golpe de 2016 afastou Brasil dos BRICS no momento em que este se prepara para dominar a Ásia e em que irá se expandir pelo Mundo todo! - Marcos Doniseti!

Golpe de 2016 afastou Brasil dos BRICS no momento em que este se prepara para dominar a Ásia e em que irá se expandir pelo Mundo todo! - Marcos Doniseti!
Linhas mostram as novas rotas que a China irá construir, por terra e mar, a fim de integrar fisicamente toda a Ásia, ligando-a também aos continentes europeu e africano. Ferrovias, Rodovias, oleodutos, gasodutos, sistemas de telecomunicações receberão investimentos da ordem de US$ 4 trilhões. 

No final de 2015 o 'Estadão' publicou um ótimo texto (A Nova Rota da Seda), de autoria do Vice-Presidente Sênior do Banco Mundial, no qual ele comenta sobre o projeto de expansão da China em direção à toda a Ásia, em aliança com a Rússia, a fim de promover a unificação de todo o continente por meio de gigantescos investimentos que irão promover a integração física de todo o continente.


O nome do projeto chinês é 'Um Cinturão, uma Rota'.

E essa expansão também poderá chegar à África, tanto que o Egito já manifestou interesse em participar do mesmo e o governo chinês está convidando os países africanos para que participem do projeto.

Aliás, o projeto chinês é tão atraente que até mesmo a Alemanha, França e Reino Unido, Austrália, Japão e Coréia do Sul desejam se integrar ao mesmo. E vejam que tais países são todos aliados dos EUA desde, pelo menos, o final da Segunda Guerra Mundial. Outros são aliados ainda mais antigos. 

Mas o canto de sereia do projeto chinês é irresistível. 

No total, o governo chinês reservou a modesta quantia de US$ 900 bilhões que serão usados para financiar a construção de ferrovias, rodovias, oleodutos, gasodutos, sistemas de telecomunicações, etc, por todo o continente asiático.

E para financiar tudo isso, a China criou um Banco próprio, que é o Banco Asiático de Investimentos em Infraestrutura (BAII), bem como criou o Novo Banco de Desenvolvimento, ligado aos BRICS.
Vladimir Putin e Xi Jinping lideram duas potências que estão se fortalecendo cada vez no cenário mundial e que formaram uma alianã-estratégica. A China tem um Governo forte, muito Capital (reservas de US$ 3 trilhões) e Mercado Consumidor imenso. A Rússia tem Governo forte, poderio militar, tecnologia bélica de ponta e recursos naturais em abundância. Somem os dois e o resultado disso é que o Mundo mudará, gostem ou não os EUA.

E dizer que o Golpe de 2016, no Brasil, visa mudar a forma de inserção do país no mundo, afastando-o de sua aliança com os países membros dos BRICS, que serão os maiores beneficiados por este projeto de expansão chinesa.


Caso o governo do PT tivesse se mantido no poder e a operação Lava Jato não tivesse destruído as maiores empreiteiras do país, o Brasil poderia tirar proveito deste gigantesco projeto chinês, conquistando inúmeros contratos, o que iria gerar centenas de milhares de empregos e atrairia bilhões de dólares para o Brasil devido ao aumento da exportação de serviços.

É como disse o Pepe Escobar: 'Lula é BRICS'.

E este foi um dos motivos principais para tirar Dilma do cargo, colocando o Brasil, novamente, na condição de mera neo-colônia dos EUA, cuja economia cresce muito pouco e que está acumulando crescentes problemas econômicos e sociais (desindustrialização, empobrecimento e encolhimento da classe trabalhadora industrial e da classe média, infra estrutura precária, aumento da concentração de renda), que foram as causas principais da vitória de Trump.

E agora os EUA terão um governo protecionista, o de Donald Trump, que fechará os seus mercados para produtos estrangeiros, o que irá, é claro, prejudicar o Brasil e ao comércio internacional como um todo. Com isso, a estratégia golpista de aprofundar as relações do Brasil com os EUA caíram por terra. 

Afinal, os golpistas tupiniquins (e seus aliados no Império) tinham certeza absoluta de que Hillary venceria a eleição nos EUA e, com isso, os alicerces externos do 
governo ilegítimo de Temer estariam garantidos.
Golpe de 2015/2016 colocou o Brasil, novamente, na esfera de influência dos EUA. Mas isso aconteceu em um momento no qual tivemos a eleição de um presidente protecionista (Trump) e em que os EUA estão perdendo espaço no cenário mundial, principalmente para China e Rússia, que expandem cada vez a sua influência no Mundo. Elites brasileiras escolheram um péssimo momento para promover um Golpe de Estado Neoliberal e Entreguista. 

Com a vitória de Trump, cujo governo irá priorizar a resolução dos problemas internos dos EUA e que será fortemente protecionista (suas ameaças à GM, Ford e Toyota, que desejavam construir novas fábricas no México e, a partir delas, exportar os veículos para os EUA, mostram que ele não está brincando), 
essa estratégia desmoronou.

Com a mudança radical da política externa brasileira por parte do governo neoliberal de Temer (que o afastará dos BRICS e que abrirá mão de uma presença mais forte do país no cenário global, principalmente na América Latina e na África) o Brasil perderá uma grande oportunidade de se beneficiar da aliança estratégica feita por Rússia e China, bem como da gigantesca expansão que estas potências levarão adiante por toda a Ásia e que também chegará à Europa e ate ao continente africano. O governo chinês, inclusive, já está convidando países africanos para que participem deste gigantesco projeto. 

Como se percebe, as elites capitalistas brasileiras escolheram um péssimo momento para promover um Golpe de Estado Neoliberal que coloca o Brasil, novamente, sob a hegemonia dos EUA (que perdem cada vez mais influência no mundo) e que o afasta dos BRICS, que estão cada vez mais fortes no cenário mundial.

As elites capitalistas brasileiras podem ser ricas, mas são muito burras.

Quem mandou não estudar.
Previsão da OCDE mostra que China e Índia irão se transformar nas duas maiores economias mundiais durante o século XXI.

Links:

China - A Nova Rota da Seda:


China quer a participação de países africanos na 'Nova Rota da Seda':


Pepe Escobar: Porque a Nova Rota da Seda deixa os EUA apavorados!


Pepe Escobar: A luta é de vida ou morte, porque Lula é BRICS:


China e a Nova Rota da Seda:


Paul Craig Roberts: Trump e a economia dos EUA em 2017:


Moniz Bandeira - EUA querem implantar Ditadura do Capital Financeiro:


Trump ameaça e Ford cancela construção de fábrica no México:


Argentina: Desemprego, desigualdades sociais e pobreza aumentam na Argentina no governo Macri:


OCDE prevê que China e Índia se transformarão nas maiores economias mundiais nas próximas décadas:

Nenhum comentário: