domingo, 15 de janeiro de 2017

Por que as forças conservadoras deverão dominar o Brasil por muitos anos! - Marcos Doniseti!

Por que as forças conservadoras deverão dominar o Brasil por muitos anos! - Marcos Doniseti!
Lula liderando os trabalhadores nas históricas greves do ABC de 1978/80, que contribuíram para enfraquecer a Ditadura Militar e para a Redemocratização do país.

Muitas pessoas, que se dizem esquerdistas, não entendem que os governos de Lula e Dilma (até o final do primeiro mandato, já que o segundo não existiu) e as políticas de inclusão social e de distribuição de renda que eles implantaram foram resultados de lutas populares de caráter progressista que duraram décadas e que começaram ainda na época da Ditadura Militar.


Exemplo: Sem as CEBs, criadas pela Teologia da Libertação (Igreja Progressista, da qual D.Paulo Evaristo Arns foi um dos principais líderes e representantes) não teria existido o PT, a CUT e nem o MST.

Antes deles serem criados, ainda tivemos a luta armada (muitos ex-guerrilheiros ajudaram a fundar o PT), a luta de intelectuais (muitos foram presos e censurados pela Ditadura Militar), movimento estudantil, luta contra a Carestia, pela Anistia, pelas Diretas Já, a Democracia Corintiana, as Greves de 1978/80...

Sem estas, e muitas outras lutas populares que se desencadearam no Brasil neste período anterior, não teria surgido uma liderança popular tão expressiva quanto Lula e nem movimentos sociais suficientemente fortes e organizados e de alcance nacional, que deram sustentação às candidaturas vitoriosas de Lula e Dilma.
A torcida corintiana 'Gaviões da Fiel' defendendo a Anistia Ampla, Geral e Irrestrita, pelo qual a oposição democrática lutava na época. A Fiel Torcida também participou desta luta. Anos depois foi a vez da Democracia Corintiana (liderada por Sócrates, Vladimir e Casagrande) participar da luta pelas Diretas Já. 

Assim, quando alguns segmentos mais radicais das Esquerdas passaram a priorizar os ataques a Lula e ao PT, e às suas lideranças, visando a destruição dos mesmos, décadas de lutas populares foram jogadas no lixo, abrindo caminho para a ascensão da Direita Troglodita ao poder, agora, em 2015/2016.


Com isso, as forças progressistas foram dizimadas nas recentes eleições municipais, fato do qual muitos esquerdistas parece que ainda não tomaram conhecimento ou então fizeram de conta que estas eleições não tiveram importância alguma.

Alguns perdem o seu tempo falando em 'fraude eleitoral', o que é uma asneira. Se isso fosse verdade, Lula e Dilma não teriam vencido quatro eleições presidenciais consecutivas.

O fato concreto é que muitos anos de massacre midiático e de 'fogo amigo' contra Lula, PT, Dilma, Zé Dirceu, entre outras lideranças progressistas, cobram agora o seu preço.

A verdade é que as forças progressistas nunca estiveram tão enfraquecidas, no Brasil, nas últimas décadas, como se encontram neste momento histórico.
Marighella, Lamarca e Herzog: Três vítimas da Ditadura Militar. Os dois primeiros lideraram importantes grupos guerrilheiros (ALN e VPR), enquanto que Herzog era um jornalista da TV Cultura e que era filiado ao PCB, partido que foi totalmente contrário à luta armada mas que, mesmo assim, foi violentamente reprimido pela Ditadura Militar. 

E mesmo assim, as 'intelectuais de Facebook', que nunca participaram de um movimento social ou de uma manifestação popular na vida, dizem que é fácil colocar milhões de pessoas em frente ao STF, a fim de se conseguir a anulação do Golpe. E falam disso como se fazer algo assim fosse extremamente fácil, bastando querer.


Se é tão fácil, assim, então porque elas mesmo não fazem isso?

Aliás, elas esquecem que, além do STF, este Golpe teve o apoio e a participação decisivas da Grande Mídia, da PF, do MP, das Forças Armadas, do Capital Financeiro (Nacional e Internacional), das classes médias, da Fiesp, da Febraban, do Agronegócio, das Associações Comerciais, da CIA, da NSA, do governo dos EUA, das petroleiras estrangeiras... E por aí vai.

Enfim, este foi um Golpe que, tal como o de 64, uniu toda a Burguesia (nacional e estrangeira), com o objetivo de interromper o processo de mudanças em favor dos trabalhadores e dos mais pobres que o governo Lula começou.

Mas agora temos um PT, uma CUT e um MST muito enfraquecidos. Inclusive, o PT, para grande parte da população, e injustamente, virou 'sinônimo de corrupção'.
Milhares de integrantes do MST chegam a Brasília, em 1997, como parte de uma luta pela Reforma Agrária.

Assim, as forças progressistas precisarão mergulhar numa profunda discussão interna, a fim de identificar os erros cometidos, corrigi-los, e definir uma nova estratégia para levar adiante as lutas populares progressistas nos próximos anos.


Porém, é bom não esquecer que, agora, não temos mais CEBs, Teologia da Libertação, Igreja Progressista e nem novos movimentos sociais de massa que pudessem originar novas organizações populares e tampouco um novo partido progressista que seja forte o suficiente para vencer quatro eleições presidenciais consecutivas e pudesse levar adiante um amplo processo de mudanças sociais e econômicas em favor dos trabalhadores e dos mais pobres, tal como conseguiu o PT.

Se não estaremos começando do zero, então estaremos iniciando essa luta bem perto deste zero, infelizmente.

Desta maneira, as forças conservadoras e reacionárias deverão dominar o país por muitos, muitos anos, mesmo.

Espero, sinceramente, estar errado.

Mas duvido que esteja.
D.Paulo Evaristo Arns foi um dos principais representantes da Igreja Progressista, que foi fundamental para a criação de movimentos sociais (CUT, MST) e de partidos políticos progressistas (principalmente o PT).

Nenhum comentário: