quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Por que a economia brasileira ficará estagnada em 2017! - Marcos Doniseti!

Por que a economia brasileira ficará estagnada em 2017! - Marcos Doniseti! 
Política econômica do governo Temer é fortemente recessiva e fará com que mais 1 milhão de trabalhadores fiquem desempregados em 2017.

1) Ainda temos juros reais muitos altos no Brasil (cerca de 6,7% ao ano neste momento). Eles ainda estão muito acima dos níveis internacionais, que vão de 0% a 1% ao ano, no máximo; 


2) O PIB brasileiro vem de 2 anos seguidos de fortes quedas que, somadas, chegam a uma retração de quase 8% do PIB, o que caracteriza uma Depressão econômica; 

3) A taxa de desemprego está muito elevada (11,8%) e manterá a tendência de crescimento durante todo o ano. A velocidade do crescimento deverá diminuir, mas ainda continuará aumentando, o que desestimulará a população a consumir;

4) Governos federal, estaduais e municipais estão sofrendo fortíssimas quedas na arrecadação de impostos.  Grande parte dos estados e municípios já quebrou (RJ, MG, RS...). E quem ainda não quebrou, poderá quebrar durante 2017; 

5) Com a quebra dos governos estaduais e municipais, investimentos e gastos públicos irão desabar em 2017, aprofundando a crise. E em 2018 eles deverá cair novamente, pois começará a vigorar a PEC 55, que congelará os investimentos em saúde e educação durante 20 anos;

6) O nível de endividamento do setor público brasileiro está aumentando rapidamente. A Dívida Pública Líquida cresceu 8,2 p.p. apenas em 2016, passando de 35,6% do PIB para 43,8% do PIB;
O Salário Mínimo nos governos Lula e Dilma teve um aumento real de 91,3%. O reajuste acumulado entre 2003-2016 foi de 340% (passando de R$ 200 para R$ 880), contra uma inflação de 130% no mesmo período. Assim, caso o salário mínimo tivesse sido reajustado apenas pela inflação ele teria sido, em 2016, de apenas R$ 460. Então, isso ajuda e muito a explicar porque as elites capitalistas tupiniquins de mentalidade escravocrata derrubaram o PT.

7) Os Investimentos produtivos despencaram mais de 11% em 2016; 


8) As vendas do comércio varejista desabaram 6,4% em 2016; 

9) Governos, empresas e consumidores estão fortemente endividados e não tem como elevar seus gastos. 

Isso somente poderia ser feito com aumento de impostos sobre os mais ricos, taxando os ganhos de capital, por exemplo, e criando uma nova tabela do Imposto de Renda, muito mais progressiva do que a atual, reduzindo fortemente a tributação sobre a população de menor renda (poderiam dar isenção a quem ganha até 5 salários mínimos e taxar fortemente quem ganha acima de 20 salários mínimos); 

10) A capacidade ociosa da indústria brasileira está em 34%. Mesmo que ocorresse uma retomada do crescimento econômico (algo que está muito longe de acontecer) as empresas iriam, em primeiro lugar, usar a capacidade ociosa e somente depois que ela fosse ocupada é que fariam novos investimentos;

11) O índice que mede o medo do brasileiro de perder o emprego subiu fortemente em Dezembro, chegando a 64,8 pontos, bem acima da média histórica, que é de 48,4 pontos. E é evidente que, nesta situação, os trabalhadores ficarão com medo de consumir. Com isso, as vendas do comércio varejista deverão sofrer nova queda em 2017; 
O Brasil foi o terceiro país que mais cresceu entre as grandes economias mundiais entre 2007-2014. Mas o movimento golpista jogou o país na crise, provocando uma redução de 8% do PIB brasileiro em 2015-2016. Devido ao Golpe, o Brasil será o lanterna em termos de crescimento econômico entre os países do G-20 nos anos de 2016 e 2017. 
12) O governo Trump será fortemente protecionista, o que prejudicará todos os países que exportam para os EUA, ou seja, o mundo inteiro. 

As chances de termos uma guerra comercial global são muito grandes, pois haverá reação ao protecionismo de Trump. 

Seu governo também deverá ser bastante conturbado, no mínimo. 

A CIA, Democratas, NSA, Neoliberais, Neocons e a Mídia global já declararam guerra 
ao Trump. 

Os EUA poderão cair numa crise política, econômica e social profunda, com consequências imprevisíveis. Golpe à vista? Ou assassinato, como fizeram com Kennedy e Lincoln? Não é de se duvidar. 

Afinal, a CIA sabe como fazer isso. 

Nestas novas circunstâncias, o Brasil precisará ser repensado como Nação. 

Precisamos de outro tipo de governo (mais democrático), economia (mais desenvolvida) e sociedade (mais justa), que priorize a distribuição de renda e a justiça social. 

E com juros reais de 6,7% ao ano não é possível fazer isso, não. 

E com as elites capitalistas de mentalidade escravocrata e colonizada que temos, menos ainda.
Trump já avisou a Toyota de que não irá permitir que ela construa uma fábrica no México e exporte a produção para os EUA. O protecionismo e a adoção de uma política industrial, por parte de Trump, que visa reindustrializar os EUA, provocará grandes abalos no comércio internacional, podendo dar início a uma guerra comercial global. E é claro que o Brasil também será prejudicado com isso. 

Link:


OCDE vê PIB do Brasil como o pior entre países do G20 em 2016 e em 2017:

http://g1.globo.com/economia/noticia/2016/11/apesar-de-otimismo-ocde-ve-pib-do-brasil-como-o-pior-entre-paises-do-g20-em-2016-e-em-2017.html

Indústria brasileira tem 34% de capacidade ociosa:

http://www.portaldaindustria.com.br/cni/imprensa/2016/07/1,93421/ociosidade-na-industria-em-2016-sera-a-maior-em-15-anos.html

Aumenta fortemente o medo do brasileiro de ficar desempregado:

http://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2017-01/indice-de-medo-do-desemprego-chegou-648-pontos-em-dezembro-diz-cni

Emprego na construção civil tem queda de 14,5% no acumulado em 12 meses:

http://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2017-01/emprego-na-construcao-tem-queda-de-145-no-acumulado-de-12-meses

Nenhum comentário: